Três pessoas são presas por deixarem quatro animais morrerem de fome e sede

Embora nos alegre ouvir sobre pessoas que lutam pelos animais e por sua sobrevivência, nós ainda nos entristecemos com histórias sobre criminosos que tratam os animais cruelmente e, às vezes, até causam a morte dos mesmos. Hoje, embora lamentamos fazê-lo, temos que contar esta triste epopeia de animais de estimação que foram deixados para morrer de fome e sede.

Temos que fazer isso mesmo não gostando, porque precisamos que estas histórias sejam divulgadas para que possamos criar consciência e prevenir que estes episódios se repitam. Ainda que o final não tenha sido o melhor para alguns dos animais, foi justo para os bandidos desalmados que terminaram presos. Te contamos a história de três pessoas que foram presas por deixarem quatro animais morrerem de fome e sede.

A história de três pessoas presas por deixarem quatro animais morrerem de fome e sede

Cachorro preso

A história aconteceu em Alcalá de Guadaira em Sevilha, na Espanha. Alertado por centenas de denúncias em redes sociais sobre os suspeitos deste crime, que foram localizados em uma fazenda na área de Cerro Clavijo, os agentes da polícia chegaram ao local.

Quando eles chegaram na fazenda encontraram uma cena cruel e chocante. Eles tinham pelo menos dez cães que estavam à beira da morte por desidratação e desnutrição, resultado de não terem nenhum alimento ou água. Um deles já estava morto quando os policiais chegaram, e outro morreu em poucos minutos.

No outro lado da propriedade foi encontrado um cavalo morto coberto com um toldo. Havia outro em um estado muito ruim, que foi transportado para ser operado e tentar salvar a sua vida, mas ele não aguentou e morreu depois da cirurgia.

Não contentes com isso, dois burros também estavam morrendo, com sinais de falta de água e comida. A verdade é que a cena deve ter sido assustadora e triste. É uma pena que ainda hoje em dia ocorram estas situações tão dolorosas.

Como a polícia soube da notícia?

Os vizinhos dos detidos estavam cientes do que estava acontecendo na fazenda. Estavam tristes e cansados de ver, dia após dia, que os animais emagreciam, se desnutriam, se desidratavam, e até mesmo os escutavam chorar. Então, como eles não queriam ser envolvidos, receber repressões ou até mesmo ameaças dos acusados, decidiram publicar nas redes sociais fotos e explicações sobre estas práticas e sobre o lugar.

Essas publicações logo chegaram à polícia, que rapidamente pediu um mandado de busca e apreensão. Apesar de que na Espanha as imagens de redes sociais e câmeras de vigilância não sejam consideradas provas legais, neste caso, como uma exceção, foi dado aos agentes passe livre para fazer o que bem entendessem.

Cachorro maltratado

A polícia não hesitou nem um minuto no que tinha que fazer e prendeu os dois proprietários da fazenda e um de seus sócios, eles foram levados ao tribunal depois de olhar as imagens e ver em primeira mão tudo o que acontecia ali.

Este veredito foi baseado em relatórios de um veterinário da cidade que foi requerido pelos agentes. Ele pôde ver o estado lastimável dos animais, as pobres criaturas já mortas, e mais uma dúzia estavam amarrados a um reboque de um carro sem comida ou alimentos.

O mau-trato animal era óbvio, e o veterinário não teve dúvida em afirmar e assinar isso no relatório da polícia.

É necessário coragem para relatar um caso de maus-tratos, e nós sabemos que o medo de represálias e ameaças está presente nestes casos, mas os vizinhos de Alcalá fizeram a coisa certa, e graças a eles foi possível salvar alguns destes animais.

Nós encorajamos que você, ao ver uma situação semelhante, mesmo que seja numa escala menor, denuncie. Não fique calado. Sua coragem e sua palavra podem ajudar a salvar alguns. Se todos nós fizermos isso, poderemos acabar com o mau-trato de animais. É uma missão social em que todos devem estar envolvidos e atentos. Que mais nenhum animal de estimação possa morrer de fome e sede.