Tudo sobre o cão pelado peruano

Cão da raã Pelado Peruano

Entre as raças mais curiosas ou raras do mundo, está o cão pelado peruano ou, simplesmente, “pelado”, devido à ausência de pelos na maior parte de seu corpo. No entanto, esse cão tão peculiar tem ganhado a admiração e o carinho de muitos, sendo declarado patrimônio de sua nação de origem, em 2001.

Enquanto há no mundo várias raças de cães sem pelos, quase todas procedentes de América do Sul, como o cão de crista chinês, o Xoloitzcuintle mexicano, ou o Pila argentino, todos eles têm características muito particulares que os fazem diferentes.

Origem

Ainda que não exista um consenso sobre sua origem, presume-se que ele tenha chegado ao continente americano através do Estreito de Bering, durante o povoamento da América.

Outra hipótese é que estes cães foram introduzidos por colonos chineses durante a chegada deles no território peruano e, ainda há a hipótese de que eles foram trazidos por nômades africanos, considerando sua origem no Canis Africanus (diferente da maioria das raças, que provêm do Canis Comunis).

No entanto, as evidências arqueológicas indicam que a presença desta raça no Peru data há mais de três mil anos, e podem ser apreciadas representações dos mesmos através em figuras de argila e barro, cerâmicas e tigelas.

Antigamente eles eram tidos como cães de companhia e também eram utilizados em rituais que incluíam a ingestão de sua carne, de maneira cerimonial, em substituição a carne humana.

Atualmente, o cão pelado peruano é muito apreciado e costuma ser um pouco mais caro do que as outras raças, ainda que isto dependa do estado do cão e de sua linhagem.

Em 2001, foi estabelecido que deve haver um exemplar desta raça em todos os museus ou sítios arqueológicos com condições que permitam a criação da espécie, em toda a costa peruana.

Características

Cão pelado peruano

Foi reconhecido oficialmente como raça em 1985 pela Federação Cinológica Internacional (FCI).

Descrito como um cão ágil e atlético entre os cães primitivos, o que quer dizer que suas características morfológicas não sofreram muitas alterações durante muitos séculos.

De acordo com as especificações da FCI, a cabeça deste cão tem forma de diamante, focinho alongado, com orelhas pontiagudas e eretas. Também tem as costas retas e um tórax forte e desenvolvido, o que lhe permite correr grandes distâncias em bom ritmo, sem se cansar.

O tamanho varia entre os 25 e os 65 centímetros, tendo como proporção o comprimento do peito até a cauda, e a medida do chão até o topo da “cruz” (lombo).

São cães muito bem adaptados a climas quentes, mas devido à ausência de pelos, nas estações frias, eles devem usar roupas, porque eles poderão vir a sofrer de doenças respiratórias.

Também, sua característica principal é a ausência de pelos, seja parcial ou total. Esta particularidade se deve ao fato do pelado peruano ter a síndrome da hipoplasia ectodérmica, que causa calvície.

Saiba que esta mesma condição faz com que lhe falte os pré-molares e, também, que ele possa vir a perder os dentes ainda em idade precoce. Também apresentará unhas frágeis, por isso você deverá ter o cuidado de lhe proporcionar uma alimentação rica em cálcio, bem como cuidar de sua saúde dental.

Apesar da calvície do pelado peruano ser reconhecida como um sinal de pureza da raça, também são aceitos exemplares com um pouco de pelo, em particular na cabeça, nas patas e na ponta da cauda, ainda que estas sejam mais uma espécie de manchas peludas de cor branca, cinza ou amarela.

A pele do pelado peruano é excepcionalmente grossa, porém, por estar desprotegida, tende a sofrer lesões com mais facilidade. A pele grossa ajuda a proteger o cão dos raios do sol e possui uma velocidade de cicatrização superior à de outros cães.

No entanto, o pelado peruano costuma se queimar facilmente, por isso ele poderá sofrer de insolação ou apresentar feridas após uma exposição prolongada. 

Temperamento

Xoloitzcuintle

São cães muito carinhosos e apegados ao seu dono. Tendem a ter energia extra, de modo que o exercício e os passeios são fundamentais para que eles não desenvolvam problemas de comportamento.

Apesar de serem cães muito submissos e fiéis, além de serem tolerantes com as crianças, costumam ser desconfiados com os estranhos.

Esta característica, somada a um ouvido muito agudo, faz deles bons cães de guarda, em especial os exemplares maiores.