Um cão se salva no último minuto antes da eutanásia!

eutanásia

Quando um animal de estimação entra em nossa casa pela primeira vez, ele rapidamente se acostuma a nós e vice-versa, chega a se tornar parte da família, é um membro a mais. Para aqueles que amam os animais, não há nada mais doloroso do que ter que evitar o sofrimento de seu amigo, lhe causando a morte. Por isso, esta notícia de um cão da raça Collie, que se salvou da eutanásia no último minuto, é uma história que queremos te contar.

É um desses milagres que poucas vezes ocorrem, mas que comovem. Contaremos a história do cão Ollie. Como ele chegou até a eutanásia? E melhor ainda, como ele se salvou dela?

Ollie, o cão que chegou à eutanásia

Ollie tem dez anos e vive em Portland, Estados Unidos, junto com seus donos: Al e Joelie Meteney.

Como todos os cães, Ollie era alegre e adorava ir ao parque, correr e brincar com seus donos e saltar de um lado para outro. Adorava as viagens, já que seus donos sempre o levavam com eles. Enfim, resumindo, Ollie era um cão normal e feliz, muito feliz.

Um dia como outro qualquer, seus donos colocaram algumas coisas no carro e Ollie os olhava à espera de ser chamado. Quando ele escutou seu nome… sim, vamos viajar! Eles foram para o Oregon, um lugar belo, onde a natureza é a maior protagonista, uma área que encantou ao cão Ollie.

Depois da viagem

Apesar de terem aproveitado muito a viagem, tanto Ollie quanto sua família humana, ao retornarem para casa, o pesadelo começou. De repente o cão começou a perder a mobilidade. A princípio, pensaram que pudesse ser alguma dor muscular em virtude das muitas caminhadas, mas o animal estava muito em forma e essa não era uma possibilidade.

Depois, além da dificuldade para caminhar, o cão também apresentou dificuldades para se alimentar. Os dias se passavam e ele caminhava cada vez com mais dificuldade e cada vez ingeria menos alimentos e com mais esforço. Seus donos então chegaram à conclusão que não poderiam mais retardar a ida ao veterinário.

Foram feitos exames de urina e de sangue, além de outros exames, e os resultados foram frustrantes. Nada apareceu neles, mas a saúde de Ollie ia de mal a pior. Chegou um momento em que ele deixou de se alimentar porque já não podia mais se mover e nem sequer era capaz de ir ao banheiro.

Quando os Meteney retornaram do veterinário, ele tinha deixado claro: o melhor a fazer é a eutanásia. Ollie estava sofrendo muito e sua família também, era o melhor.

A família recorda esse momento como uma notícia dilaceradora e todos estavam totalmente desconsolados, mas era o melhor para todos.

Chega o dia fatal, o momento da eutanásia

scottish-collie

Os donos de Ollie, resignados, foram à clínica tentando assimilar que não iriam voltar a ver seu pequeno. Toda a equipe médica estava preparada. O panorama era triste, a família chorava e as enfermeiras também não conseguiam segurar as lágrimas por ver o sofrimento dos familiares.

Bem antes da eutanásia, uma das enfermeiras se despedia de Ollie com algumas carícias, quando notou algo estranho atrás da orelha do animal: uma protuberância.

Examinaram atentamente e havia manchas de sangue ao redor dela, era um carrapato! As manchas de sangue deixavam ver que o parasita estava há muito tempo alojado no corpo de Ollie, alimentando-se de seu sangue e prejudicando o seu sistema nervoso.

Os médicos ofereceram uma nova solução à família: tirariam o carrapato e dariam três dias ao animal para ver se ele se recuperava. Embora não seja comum, os carrapatos podem causar paralisia no animal, mas os veterinários não queriam dar falsas esperanças à família. E o melhor! Ollie não necessitou de três dias. Depois de removerem o carrapato, ele descansou por algumas horas e, de noite, já pôde retornar para casa.

Sua recuperação foi completa. No mesmo dia ele já estava pulando e, como sempre, arranhando a porta para sair a fazer xixi. Foi salvo da eutanásia!

Peça sempre exames e faça um check-up completo em seu animal quando ele estiver doente. Este não tem por que ser um caso isolado e possivelmente pode salvar a vida de seu animal de estimação.

Fonte da imagem principal: www.20minutos.es