Um cão só nos faz sofrer quando morre

Quando um cão morre...

Quando adquirimos um cão pela primeira vez, não temos nem ideia de quanto iremos amá-lo. É que escolher um cão não é algo ao acaso, embora pareça, nos decidimos por um ou outro porque sentimos uma conexão especial com ele. Talvez seu olhar tenha nos encantado, ou ele fez um movimento que nos apaixonou ou respondeu de uma forma inesperada a uma de nossas carícias, nos roubando a alma.

Ao chegar em casa

Cão com família

Ao chegar em casa com o seu novo cachorrinho, o qual você esteve olhando sem descanso durante o caminho para casa, você abre a porta e o deixa no chão e ele olha para você. Você não pode deixar de se perguntar: e agora?

Bom, agora você tem uma responsabilidade, mas também um amigo para toda a vida. Você começa a caminhar e o seu novo amigo te segue.

Sempre te incomodou que as pessoas te sigam, possivelmente um amigo ou até um familiar, mas desta vez não te incomoda, e mais, você acha engraçado. Isso faz você se sentir importante, porque você se dá conta de que o seu novo amigo é tão indefeso que precisa estar perto de você para se sentir a salvo.

Nesse momento você pensa que deveria lhe colocar água e possivelmente algo para ele comer. Sorte que você comprou tudo na loja de animais antes de vir para casa! E então, um dos primeiros momentos em que o seu cão te faz se sentir feliz: sua alegria em sinal de agradecimento por lhe dar água e alimento.

Você tenta se afastar para que ele coma tranquilo, mas ele te olha, ele não quer que você o deixe sozinho e vai atrás de você, assim não lhe resta outra opção a não ser ficar perto para que ele coma.

Você sempre disse que um animal não deve subir na cama ou no sofá, mas quando você vai para o sofá para ver televisão, e seu novo amiguinho começa a chorar pelos seus mimos, você não consegue resistir. Você acha que colocá-lo em seu colo não é o mesmo que colocá-lo sobre o sofá. Que desculpa mais esfarrapada!

Os dias se passam

Assim, os dias vão se passando e já existe entre vocês um vínculo especial, tanto que vocês quase podem se entender com o olhar. Você adora se levantar de manhã e saber que quando o seu amigo de quatro patas o ouve, ele vem correndo como um louco para te saudar. Às vezes, até chega a te incomodar, mas sua doçura, sua ternura e seu amor, já lhe ganharam.

Você adora sua insistência para que tome o café da manhã rápido e o leve para passear antes de ir trabalhar. Ele pula como um louco quando te vê pegar a coleira! E você não consegue deixar de esboçar um sorriso. Já na rua, ele passeia de uma forma um tanto arrogante junto a você, como querendo mostrar o quão feliz ele é de te ter como dono, melhor dizendo, como amigo.

Ao partir para o trabalho, é um tanto perturbador e triste escutá-lo chorar por ficar só em casa. Mas você sabe que ele estará bem, e por isso não pode deixar de se perguntar por que apesar dos anos terem se passado, você ainda continua se sentindo mal por deixá-lo sozinho. E quando você chega em casa do trabalho?

Mas ao chegar em casa, quando você escuta do elevador suas patinhas correrem até a porta, seu focinho cheirando debaixo da porta e algum outro choro, você quer sair logo do elevador para chegar em casa e poder abraçar o seu animal de estimação. “Calma, já estou aqui”, você lhe diz.

Ele parece não te entender, porque continua como um louco como se fosse ter um infarte. Mas você… você se sente muito amado e grato.

Mas um dia…

Cão olhando

Autor: LuAnn Snawder Photography

Um dia, como tantos outros, você se levanta e se senta em seu sofá. Seu bichinho vem te saudar, pede que o leve para passear. Você sorri pensando naqueles momentos em que quis lhe ensinar a sentar-se e ele te olhava sem entender o que você queria, ou quando você lhe atirava uma bola, ele sabendo que você iria pegá-la, fazia você correr atrás dele.

Você se lembra da primeira vez que você o trouxe para casa; ele estava tão assustado. Daquela vez que você adoeceu e ele não saiu do seu lado. Como ele latia sempre que escutava um barulho tentando te defender. Ou quando alguém, brincando, te batia, ele tentava morder.

Sim, olhando para trás, você tem apenas bons momentos que o fazem se lembrar de seu cão. E mais, se voltasse atrás não escolheria outro cão, porque a vida sem ele não seria a mesma.

Então, você olha para os seus pés, mas seu amigo fiel e leal não está mais lá. Isso era tudo o que você queria ver nesse momento e que te levou a navegar nos mares serenos de suas lembranças. E então entende uma difícil mas linda realidade: um cão só nos faz sofrer quando morre. Esteja onde você estiver meu amigo, obrigado por me fazer feliz.