Um colega para o seu gato, uma boa ideia?

Os gatos são viciantes. Normalmente, quando se tem um, a pessoa quer ter mais. Os gatos são muito interessantes, inteligentes e são uma boa companhia para aqueles donos que preferem os felinos, que raramente se conformam só com um. No entanto, há quem pode pensar que arrumar um colega para o seu gato não é a melhor das ideias. Vejamos isso mais a fundo.

Através da convivência, as pessoas conseguem identificar nos gatos uma personalidade autossuficiente e a territorialidade destes pequenos peludos.

Portanto, é um pouco difícil de assimilarmos que eles possam se dar bem com seus congêneres ou com outra classe de animais. No entanto, isto não é nada verdadeiro.

Apesar dessas características, os gatos desfrutam da companhia de outros animais, contanto que eles não considerem uma ameaça para seu território.

Desta maneira poderão ter um colega de brincadeiras, o que é importantíssimo, em especial para aqueles bichanos que passam muito tempo sozinhos.

Uma boa maneira de lidar com o tédio é mantendo os nossos animais de estimação ocupados, e que melhor forma haveria de fazer isso do que lhes presentear com o afeto de outro animal?

No entanto, isso exigirá paciência de sua parte enquanto os animais estabelecem papéis e confiança.

Geralmente, a relação de um gato com outro animal, no início, é distante, em especial quando se trata de animais adultos. No entanto, isso só durará alguns dias, enquanto o felino se acostuma à presença do outro animal e deixa de o considerar como uma ameaça.

A apresentação

Como apresentar um gato a outro animal

O melhor é que se espere uns dias antes de apresentar oficialmente os animais que compartilharão o mesmo teto. A princípio, você deve mantê-los separados.

Em primeiro lugar, porque o seu gato reclamará dominância sobre o território ao qual você está introduzindo um estranho.

Em segundo lugar, porque você deve permitir que o seu novo amiguinho se acostume ao espaço, assim reduzirá o estresse que implica mudar para um ambiente desconhecido.

Obviamente, através do olfato e da audição, seu gato saberá que há outro animal em casa, de modo que o ideal é que se espere que a sua curiosidade diminua um pouco.

Você pode ajudar no processo de adaptação pondo mantas impregnadas com o cheiro do novo gato embaixo do colchonete ou cama que o gato veterano dorme. Dessa maneira ele irá se acostumando e associando o cheiro com as coisas que lhe são agradáveis.

Quando os apresentar, deixe que se cheirem se assim o quiserem, mas também deve deixar que permaneçam distantes, caso queiram.

Se for apresentar um cachorro, o melhor é que não permita que ele se aproxime muito do gato, já que este pode se sentir ameaçado e atacar como resposta.

Deixe-os em um mesmo espaço por uns minutos e vá prolongando estes momentos com o passar dos dias. Assim será mais fácil e seu gato irá decidir o momento de se aproximar.

É melhor apresentar um filhote que um animal adulto, pois estes tendem a se mostrar submissos diante do animal veterano da casa.

No entanto, este processo também pode ser feito com animais adultos. Porém, procure conhecer o nível de agressividade do animal que você está tentando introduzir na casa.

Lembre-se que, antes de mais nada, você deve se mostrar tranquilo. Assim poderá transmitir ao seu animal a energia apropriada e evitará que ele interprete mal seu desconforto e o associe com o animal estranho.

Também, você deve se mostrar como o alfa o tempo todo, caso contrário, o gato veterano tenderá a se comportar mal com o recém-chegado.

Recomendações

Recomendações para os gatinhos

  • Não deixe os animais sozinhos até que você esteja absolutamente seguro de que não causarão danos um ao outro.
  • É melhor não descuidar dos outros animais pequenos que você possa ter em casa, como pássaros, hamsters e peixes. Lembre-se que seu gato é um predador e que sua dieta é, em grande parte, carnívora.
  • Deixe que seu gato se esconda ou escape do outro animal. Esse é um comportamento absolutamente normal.
  • Cada um dos seus animais de estimação deve ter suas próprias coisas (brinquedos, cama, pratos).
  • Tenha em mente o tamanho de sua casa, pois é melhor que a cada um tenha o seu próprio espaço.
  • Seja paciente. Este é um processo que poderá levar tempo, mas é melhor que o faça bem para evitar dificuldades na convivência de ambos os animais.

Casos de especial atenção

  • Gatos pouco socializados
  • Animais com histórico de agressividade
  • Felinos muito nervosos
  • Quando devem compartilhar alimentos ou água