Um gato virou o concierge de um museu

Que tal conhecer um gato que se transformou no concierge de um museu? Apesar das aparências, não é a história de um filme saída das mentes criativas de Hollywood. É um caso real, que começou como uma brincadeiras e acabou se tornando uma grande estratégia de publicidade. A seguir, contamos os detalhes.

Da ficção para a vida real: um gato se torna um porteiro de museu

A notícia vem da Rússia, mais precisamente da cidade de Serpukhov, localizada há 99km ao sul de Moscou. Em uma encantadora mansão do século XIX, funciona o Museu de História e Arte. Nas proximidades do edifício, o gatinho protagonista dessa história, Mirai, começou a circular. Pouco a pouco, o felino foi ganhando o carinho dos funcionários do museu.

 

gato dormindo

Até aqui nada de incomum nessa história. Mas tudo mudou no dia 1º de abril. Nesse dia, os russos comemoram o Dia da Mentira. Para celebrar a data, os funcionários do museu tiveram a ótima ideia de espalhar a informação de que Marai havia se candidatado para a vaga de porteiro do edifício.

Não demorou para que os meios de comunicação locais vislumbrassem na brincadeira uma boa notícia e começassem a ir até o museu para verificar se o animalzinho havia conseguido o cargo de concierge.

“Se alguém nos conta que um gato se tornou o concierge de um museu russo, não há motivo para acreditar que tudo não passa de uma brincadeira de 1º de Abril ou da trama de um novo filme norte-americano. Essa é uma história que, embora tenha começado como uma simples brincadeira, virou realidade, acabou se tornando notícia e aumentou o número de visitantes do museu onde trabalha o gatinho Marai.”

Como um gato conseguiu se tornar o concierge de um museu russo

Foi então que as autoridades do museu decidiram que a brincadeira se transformou em realidade e nomearam oficialmente Marai para o cargo. Como esperado, logo vieram os jornalistas querendo saber todos os detalhes sobre o gato e seu trabalho, incluindo o salário que recebe e o horário em que desempenha suas funções.

E como sempre acontece nesses casos de notícias improváveis protagonizadas por animaizinhos adoráveis, o Museu de História e Arte de Serpukhov viu o número de visitantes aumentar rapidamente.

Os meios de comunicação puderam, mesmo que por um curto período, transmitir uma notícia alegre para os cidadãos russos – e também de outros lugares -, distraindo a todos dos assuntos tradicionais como guerras e crises econômicas. Algumas pessoas não podem evitar de se emocionarem com histórias que humanizam os animais.

Enquanto isso, Marai, alheio a todas essas questões humanas, parece muito feliz com toda a atenção que passou a receber.

Outras histórias de gatos que se transformaram em…

Como você já deve ter imaginado, o caso de Marai não é a única de história de gatos que acabam ocupando postos de trabalho e são utilizados como excelente ferramenta publicitária.

Fuente: Facebook de Felix the Huddersfield Station Cat

Recentemente, um outro gato virou notícia: o pequeno Félix foi nomeado controlador de pragas sênior da First TransPennine Express, na estação ferroviária de Huddersfield, em West Yorkshire, no Reino Unido. O felino tem, inclusive, sua própria página no Facebook, onde “conta” detalhes de seu trabalho.

Mais para trás no tempo e mais para o Oriente, conhecemos a história de Tama, uma gatinha já falecida que chegou a ser a “chefe” da estação de trens Kish, em Kinokawa, no Japão. A presença da felina fez tanto sucesso, que em 2009 a companhia Wakayama Electric Railway inaugurou o Tama Densha, um trem com diversos desenhos de gatos, tanto por por dentro como por fora.

A sucessora de Tama se chama Nitama e, desde 2012, a acompanhava como “aprendiz” de chefe de estação.