Um piloto uruguaio voou para salvar a vida de um cão

salvar a vida de um cão

Através das redes sociais, ficou conhecida a notícia sobre um piloto uruguaio, na segunda etapa do campeonato internacional CODASUR, que acontece na Bolívia, que quase atropelou um cão. O piloto uruguaio Fernando Zuasnabar se tornou famoso pela manobra que fez para salvar a vida de um animal. O cão atravessou a estrada no meio de um rally.

Em um dos saltos, o piloto se deparou com um cãozinho no meio do caminho. A sorte, o acaso ou a perícia do condutor fizeram com que o carro saltasse milésimos de segundos antes de quase se chocar com o animal.

Momentos depois, membros da organização e policiais se encarregaram de tirar o animal da rota.

Os sinais de atropelamento em um cão

Se em alguma ocasião já nos deparamos com algum animal de estimação que arrasta algum de seus membros, ou os tem paralisados, inclusive com áreas da pele cortadas, com o pelo arrancado por ter ralado no chão, sujo de graxa ou óleo nas feridas ou na pele, o mais provável é que ele tenha sofrido um acidente e devemos salvar sua vida.

A forma correta de atuar é manter o animal em posição dita “de salvamento” que é deitado sobre seu lado direito, além de protegido com uma manta. Contribuir com calor é muito importante. Além disso, devemos agir de forma rápida, mas com serenidade.

Depois de protegê-lo dessa forma, é preciso levá-lo rapidamente ao veterinário mais próximo. É imprescindível um exame radiológico para conhecer com segurança que áreas foram afetadas.

Primeiros socorros para salvar a vida de um cão

Se quisermos fazer algo para ajudar o animal atropelado, podemos tentar conter o sangue pressionando a zona com um pano limpo, gazes ou algodão, colocando um em cima do outro, sem retirar o anterior.

O torniquete em algum membro só deve ser feito em último caso e aplicado durante alguns minutos (nunca mais do que 15), utilizando tiras de tecido e evitando as borrachas ou cordas. Para isso, pode-se introduzir um pau ou um lápis no nó e dar várias voltas para estreitar o tecido da atadura até que cesse a hemorragia, salvando assim a vida do animal.

No caso de haver algum osso quebrado, nós imobilizaremos o animal com a ajuda de uma tábua.

Quando a hemorragia flui rapidamente, deve-se aplicar uma gaze ou um pano limpo sobre a ferida. Depois, teremos que pressionar com força para fazer com que o sangue coagule. Isso é fundamental para salvar a vida de um cão.

Se a ferida que se produziu nas patas for de considerável importância e o sangue for de cor vermelha clara, teremos que comprimir a artéria braquial, caso seja nas patas anteriores, ou a femoral, no caso das posteriores.

Pode ser o caso de uma veia ter sido afetada. O sangue terá uma cor vermelha escura. Se isso ocorrer, deve-se colocar um torniquete a 5 centímetros da ferida até a extremidade do membro, ao mesmo tempo em que precisamos dar um nó por onde possa passar um lápis ou um pedacinho de pau, para apertá-lo até que o sangue deixe de fluir.

O passeio com o cão

Nunca sabemos o que pode ocorrer durante o passeio ou enquanto fazemos exercícios com o nosso cão, as lesões ou ferimentos podem acontecer a qualquer momento. Por isso, é importante que todos os donos de cães tenham alguns conhecimentos básicos sobre primeiros socorros.

Se, no transcorrer do passeio, nosso animal de estimação sofrer algum tipo de acidente, ferir-se e sangrar profundamente devido a um corte ou uma mordida de outro cão, é importante colocar-lhe uma focinheira.

Um animal ferido, embora tenhamos muita confiança nele, pode se tornar violento e com a tendência a morder, inclusive o seu dono.

Os perigos na via pública

cao-de-rua-1

Um cão tem, por natureza, tendência a correr, seja para brincar, para perseguir um carro, um gato, etc. Devemos estar conscientes de quão perigoso é um cão correndo pelas ruas por onde circulam veículos a toda velocidade.

É importante, desde o primeiro momento, adestrar o nosso animal de estimação para que ele esteja ao nosso lado em seus passeios. Dessa forma, evitaremos um possível acidente e, na pior das circunstâncias, que o animal perca a vida.

A estatística diz que em torno de dez milhões de cães são atropelados em acidentes de transito só na Espanha. Também se comprovou que, com uma correta educação dos cães, 70 % destes problemas não existiriam e poderíamos salvar a vida de um cão.