Utilizar o transporte público com os animais de estimação

Como levar seu cão ao veterinário, às compras ou a uma visita a um familiar? E se você não tem carro próprio ou simplesmente prefere utilizar o transporte público, por não ter onde estacionar? Bem, a não ser que seja um cão guia, você terá dificuldades. Descubra aqui as regras em vigor na Espanha e na Europa em geral a respeito do uso do transporte público com animais de estimação.

TRANSPORTE PÚBLICO COM SEU PET – O METRÔ

Tanto em Madrid quanto em Barcelona, o transporte de animais no metro é muito restrito.

O animal só pode viajar de metrô se for doméstico e de porte pequeno, estiver dentro de caixa específica para transporte e não produzir ruído, odor ou desconforto para outros viajantes.

NOS ÔNIBUS

Nos ônibus intra e interurbanos, a mesma regra é seguida em toda a Espanha: não podem viajar animais com mais de 10kg e estes deverão estar em caixas ou malas de transporte adequadas.

Em Barcelona, a caixa de transporte deve ser rígida e cobrir completamente o animal.

Se o transporte é realizado entre diferentes cidades, os animais só podem viajar em caixas e no porta-malas junto com a bagagem, o que pode ser perigoso para o animal devido às dificuldades de respiração proporcionadas pelo ambiente fechado e também por acidentes que podem ocorrer devido a deslizamentos e quedas da bagagem.

Isso em empresas menos restritivas. Em algumas outras, o transporte de animais é totalmente proibido.

EM TRENS ELÉTRICOS

Animal com focinheira

Cidades como Zaragoza, que possuem trens elétricos (bondes), permitem que pequenos animais sejam transportados em qualquer vagão.

Cães com menos de 10kg devem ser transportados no último vagão portando focinheira e sobre tutoria de seu dono.

Cães com mais de 10kg também podem utilizar o transporte, mas devem apenas utilizar o último vagão e só é permitido um animal por bonde. Dois animais só serão permitidos se pertencerem à mesma pessoa.

NOS TRENS

As regras para viajar com seu cão dependem do tipo de trem.

No AVE e nos trens que percorrem longas distâncias, é permitido um cão por passageiro, mas este deve possuir sua própria passagem.

Este bilhete pode ser comprado diretamente no site da RENFE e custa aproximadamente 25% do valor de um bilhete normal. Se o passageiro for preferencial ou for viajar em classes superiores, o cão poderá acompanhá-lo gratuitamente.

No entanto, este ingresso não dá direito a um lugar e, caso deva ser trocado, deverá ser feito em uma estação. Os cães que podem utilizar o AVE não devem exceder 10kg e devem viajar em sua caixa de transporte, que não pode exceder as medidas 60x35x35cm.  

A caixa deve permanecer aos pés do dono, e é importante tomar cuidado, porque as poltronas acomodam quatro pessoas em torno de uma mesa, o que dificulta o encaixe da caixa de transporte no chão.

Nos trens de meia distância, as regras são semelhantes às do AVE. Os cães não devem exceder 10kg e sua caixa de transporte não pode exceder os 60x35x35cm. É permitido apenas um cão por passageiro, que deve possuir passagem e não tem direito a um lugar.

O transporte local é o único que permite o embarque gratuito e sem limite de peso para o cão. Não há necessidade do uso de caixa ou gaiola, mas é exigido o uso de guia e de focinheira.

Além disso, o transporte de cães só é permitido em horários determinados. Nas manhãs, animais só podem embarcar entre o início das atividades do transporte e as 06:00 e, depois, das 9:00 às 13:00; à tarde entre às 16:30 e 18:00 e, à noite, das 21:00 até o encerramento dos serviços de transporte.

NA EUROPA

Animal em transporte público

A Espanha possui regras muito rígidas para a circulação de animais no transporte público em comparação com algumas cidades do resto da Europa.

Por exemplo, na Grã-Bretanha (onde é cultural a presença de um companheiro canino) é permitido viajar com cães no ônibus, apenas utilizando sua guia/coleira, sem a necessidade de focinheira.

Se o ônibus não está carregando malas, o cão pode viajar no compartimento destinado para elas, que em geral possui grades. Se houver bagagem, o cão pode viajar junto ao seu dono, a não ser que atrapalhe ou ponha em risco outros passageiros.

Em Estocolmo, o animal pode viajar solto na parte de trás do ônibus, mas um dono não pode levar mais do que dois animais.

Em Berlim o animal pagará uma taxa reduzida se não viajar dentro de uma caixa de transporte, mas não há limite de peso.

Nenhuma destas regras aplica-se a cães guia, estes podem viajar gratuitamente para qualquer lugar e em qualquer tipo de transporte.