Vacinas caninas e sua importância para a saúde

Vacinas caninas

Quando um cão chega em sua vida, seja filhote ou adulto, você deve saber que está assumindo a responsabilidade de cuidar bem dele. É que, entre muitas outras questões, você deve velar por sua saúde. Por isso, hoje lhe trazemos informações sobre as vacinas caninas e a importância que elas têm para prevenir doenças infecciosas em seus animais de estimação que, em alguns casos, também podem afetar os humanos.

Saiba sobre a importância das vacinas caninas

Vamos partir do princípio que as vacinas caninas têm a mesma importância que as vacinas que aplicamos em nós mesmos. Por isso é necessário cumprir com o calendário de vacinação, que também enfatiza os filhotes.

Vacinar um cão pode fazer a diferença entre a vida e a morte do animal, já que essa é a forma de evitar que ele desenvolva algumas doenças infecciosas graves. Por exemplo:

veterinario

  • Cinomose
  • Parvovirose
  • Parainfluenza canina
  • Bordetella
  • Hepatite canina
  • Leptospirose
  • Raiva

Tenha em mente que as duas últimas doenças mencionadas podem ser transmitidas aos humanos.

Assim, peça ao seu veterinário que lhe informe sobre o calendário de vacinação para o seu peludo e para que tire todas as suas dúvidas a esse respeito.

Saber da importância que tem para a saúde do animal de estimação a correta aplicação das vacinas caninas é uma obrigação de todos os donos responsáveis. Portanto, não deixe de se informar com o veterinário sobre o calendário de vacinação de seu amigo de quatro patas.

Pontos a serem considerados antes de se vacinar um cão

Mas antes de vacinar o seu peludo, você deverá se assegurar de seu bom estado de saúde geral, por isso é necessário fazer um check-up no bichinho. Leve em conta que o cão não deve ser vacinado se:

  • Não foi desparasitado anteriormente.
  • Está passando por alguma enfermidade infecciosa.
  • Padece de alergias ou de algum outro tipo de alteração imunitária.
  • Encontra-se fraco por diversos motivos.

Considere que as vacinas, em geral, contêm vírus debilitados para que o corpo do cãozinho aprenda a identificá-los e a se defender deles. É por isso que, no momento de sua aplicação, o animal deve ter suas defesas fortes.

Possíveis reações depois da vacinação

Você deve estar a par de que é provável que o seu animal de estimação sofra algum tipo de reação depois da aplicação destas vacinas. As reações podem ser imediatas ou surgir dentro de até 48 horas. Por exemplo:

  • Inflamação
  • Vômitos
  • Edema

O mais provável é que estes “efeitos colaterais” desapareçam poucas horas depois. Mas, ante a menor dúvida, consulte o seu veterinário.

Alguns detalhes sobre a aplicação das vacinas caninas

No caso dos filhotes, para uma correta imunização, é necessário realizar uma segunda e, em alguns casos, uma terceira aplicação das vacinas nas primeiras 15 semanas e depois revaciná-lo no término de um ano.

Passado este período, o veterinário determinará se o peludo deverá continuar recebendo reforços, de acordo com as características do animal e da região em que habita.

Tenha em mente que um filhote que não completou sua devida imunização não deve sair de casa e nem entrar em contato com outros animais, pois ele corre sérios riscos de vir a adoecer. Isto se deve ao fato de que o bichinho estar atravessando um período em que vai perdendo as defesas que tinha recebido de sua mãe através do leite e o seu próprio sistema ainda não pode protegê-lo. Assim extreme os cuidados.

Assuma a responsabilidade de vacinar o seu peludo

medo-do-veterinario

Em resumo, as vacinas caninas são fundamentais para prevenir as muitas doenças infecciosas que seu animal de estimação pode contrair e que, em casos como o da raiva e da leptospirose, podem vir a contagiar também os humanos.

Portanto, não se esquive desta responsabilidade para com o seu peludo e cumpra com o calendário de vacinação à risca.

E, como sempre repetimos, consulte um veterinário para eliminar todas as dúvidas que possam surgir a respeito. Quando está em jogo a saúde de seu animal de estimação, sempre é melhor sobrar informação do que faltar.