Vacinas para gatos: Veterinário, o nosso melhor aliado

Os especialistas nos dizem que as vacinas são essenciais para garantir a saúde do animal. Em gatos, as vacinas básicas sugeridas são aquelas que lutam contra a raiva, a cinomose, a rinotraqueíte viral felina e o calicivirus felino. E quanto às vacinas? Quais os tipos de doenças elas impedem e quantas vezes devemos aplicá-las?

As vacinas ajudarão a preparar o sistema imunológico para combater a invasão de doenças causadas por determinados vírus. Elas são muito importantes para a saúde dos gatos.

É por isso que é essencial seguir um calendário de vacinação de acordo com a história, ambiente e estilo de vida de seu animal de estimação.

Quais são as vacinas para os gatos?

Vacinas para os gatos

As vacinas para gatos são divididas em duas categorias, básica e não-básicas. As primeiras são consideradas vitais para todos os gatos e para protegê-los contra raiva, a rinotraqueíte, o calicivirus felino e a anleukopenia (distemper felino).

As não básicas, são dadas de acordo com o estilo de vida do gato. Algumas delas são contra o vírus da leucemia, Bordetella, Chylamydophila felis e contra o vírus da imunodeficiência felina.

Gatos adultos, por exemplo, podem ser revacinados anualmente ou a cada três anos.

A seguir, compartilhamos quais as doenças que afetam os gatos e que podem ser prevenidas com vacinas.

Distemper felino: é uma doença viral altamente contagiosa e mortal. Os sinais incluem apatia extrema e perda de apetite. Febre, vômitos e diarreia são frequentemente vistas, mas alguns gatos morrem de repente com poucos sinais clínicos.

Rinotraqueíte viral felina e calicivirus felino: estima-se serem estas as responsáveis por 80-90% das doenças do trato respiratório superior.

Embora não seja geralmente grave em gatos adultos, as doenças causadas por estes vírus podem, às vezes, serem fatais em filhotes. Espirros, lacrimejamento, coriza e febre são os sintomas mais comuns da infecção.

Raiva: é uma ameaça crescente para os gatos. É fatal e é um problema de saúde pública. Recomenda-se a vacinação contra esta doença em todos os gatos e, em alguns países, é exigida por lei. Os gatinhos devem ser vacinados entre 12 e 14 semanas de idade.

Leucemia felina: se espalha pela saliva e pelas secreções nasais de gatos infectados; é transmitida pelo contato prolongado com gatos que têm a doença, pelas feridas por mordidas, e também da mãe infectada para seus gatinhos.

Clamídia: é causada pela bactéria Chlamydia psittaci. A conjuntivite é o sinal mais comum, mas também pode haver sintomas como nariz escorrendo e espirros. As bactérias são transmitidas através do contato direto com um gato infectado, e as maiores taxas de infecção são encontradas em gatos entre cinco semanas e nove meses de idade.

Vírus da imunodeficiência felina: é outro assassino viral dos gatos. O principal modo de propagação do vírus é através de mordidas.

Outras vacinas que também podem ser encontradas são contra a peritonite infecciosa felina e contra a bordetellosis.

No caso dos filhotes, eles automaticamente recebem anticorpos através do leite de sua mãe, se ela tiver um sistema imunológico saudável.

Quando o gato está entre seis e oito semanas de idade, seu veterinário pode começar a administrar uma série de vacinas em intervalos de três à quatro semanas até chegar à 16 semanas.

Recomendações

Recomendações quando as vacinas dos gatos

As vacinas estimulam levemente a imunidade do animal, a fim de criar proteção contra doenças infecciosas específicas, tais como as apresentadas aqui.

Essa estimulação pode criar sintomas leves, que vão desde dor no lugar onde foi aplicada a vacina, alguma febre e talvez uma reação alérgica.

Existem também outros efeitos secundários menos comuns como tumores no lugar em que é aplicada a injeção ou alguma doença imune associada à vacinação.

É importante notar que as vacinas têm salvado inúmeras vidas e desempenham um papel vital contra as doenças infecciosas felinas. Como com qualquer procedimento médico, há uma pequena chance de efeitos colaterais.

Na maioria dos casos, os riscos das vacinas são muito menores do que os riscos da própria doença.

Geralmente, os gatos que são vacinados não apresentam efeitos nocivos de saúde. As reações às vacinas são normalmente leves e de curta duração. Os sinais clínicos incluem febre, perda de apetite, vômitos, diarreia, inchaço e vermelhidão ao redor do local da injeção e claudicação.