Você sabia que os cães podem sofrer de acne?

Cães também podem ter acne

Assim como os seres humanos, e principalmente os adolescentes, nossos cães também podem sofrer de acne sem que isso represente um perigo significativo para eles. Este pequeno inconveniente costuma durar até que o animal complete um ano de idade, e aparece pela primeira vez em sua etapa de puberdade, entre os 5 e os 8 meses de idade.

Embora este seja um fato que muitas pessoas desconheçam, trata-se de algo muito comum e diante do qual devemos tomar diferentes tipos de precauções, já que para nossos pequenos amigos a acne pode ser incômoda e dolorosa.

Se você está surpreso e não sabe nada sobre a acne nos cães, iremos esclarecer algumas das perguntas mais comuns neste artigo.

Por que a acne surge?

Em primeiro lugar, é preciso ressaltar que esta doença de pele é um processo inflamatório crônico que se manifesta principalmente nos lábios e no queixo do cão.

A razão pela qual estas desagradáveis espinhas aparecem em nossos pequenos amigos se deve a uma irritação nos folículos pilosos, produto do traumatismo que estas partes do seu corpo sofrem devido ao contato com o chão, as paredes, os móveis, a comida ou com outros animais.

Isso costuma causar lesões que, no geral, podem se infectar. Ao serem combinadas com as alterações hormonais que ocorrem durante a puberdade, trazem como consequência o surgimento da incômoda acne.

Quais são as raças de cães que mais sofrem de acne?

Apesar de a maioria dos caninos poder sofrer desta doença da pele, existem algumas raças em que o seu desenvolvimento costuma ser muito mais comum do que em outras.

Estas são algumas delas:

  • Boxer;
  • Buldogue;
  • Cão dinamarquês;
  • Mastim napolitano;
  • Mastiff inglês;
  • Rottweilers;
  • Doberman;
  • Sharpei.

Como pode-se ver, aqueles que estão predispostos a sofrer de acne são os cães de raças que contam com pelos curtos.

Quais são os sintomas mais comuns?

Embora eles possam experimentar normalmente inchaço e coceira, a acne pode ser determinada facilmente através de uma série de sintomas muito comuns. Estes são os mais destacados:

  • Surgimento de cravos e espinhas;
  • Forte sensação de dor no momento de tocar as lesões;
  • Vermelhidão da pele que se encontra ao redor das áreas afetadas;
  • Nos casos mais avançados, pode ocorrer o surgimento de pus;
  • Cicatrizes nas lesões que se curaram.

O que devo fazer se meu cão sofre de acne?

Se você notar que o seu animal de estimação está sofrendo com este problema em sua pele, deve ir imediatamente a um veterinário para que ele tome as medidas mais pertinentes. O primeiro passo será identificar diferentes informações sobre o seu cão, como a sua idade, raça, e o momento em que apareceram as primeiras lesões.

Para realizar o diagnóstico, o médico irá usar várias amostras das áreas afetadas para analisar e determinar se se trata de qualquer outro tipo de doença do mesmo tipo, como uma micose ou demodicose.

Uma vez que tenham sido descartados outros possíveis tipos de infecções cutâneas, é preciso determinar o tratamento mais adequado para tratar a acne.

Qual é o tratamento mais eficiente?

Cão dinamarquês

São muitas as maneiras de tratar a acne nos cães. No entanto, o veterinário é quem deverá ter a última palavra sobre os medicamentos que devem ser usados em cada caso.

Os mais recomendados são as pomadas, já que foi demonstrado que eles podem proporcionar resultados muito eficazes para combater as espinhas e cravos. O médico saberá escolher a pomada com a maior eficiência e o menor dano para o seu cão.

Além disso, é importante lembrar que nunca devemos usar os produtos para seres humanos para tratar a acne dos cães, pois eles costumam conter substâncias químicas que podem prejudicar a saúde do seu animal de estimação.

Tome nota!

A acne é algo que, provavelmente, o seu querido amigo terá que enfrentar. É por isso que a recomendação é não ficar preocupado em excesso uma vez que forem detectadas as lesões, já que manifestar uma atitude nervosa pode causar um estresse desnecessário no cão.

Tenha em conta que esta doença é muito comum e que não representa maiores riscos para a vida do seu animal, por isso você só deve se preocupar em tratar adequadamente as lesões durante os poucos meses nos quais este problema estará presente.