Bo e Sunny, os cães de Obama

· março 29, 2017

Ainda que por pouco tempo, já que a presidência norte-americana se renovou, a Casa Branca contava com um novo inquilino, Sunny. Hoje vamos conhecer os cães que viviam com a família Obama durante seu Governo.

O filhote, penteado e muito bem arrumado, se uniu a Bo, que chegou à Casa Branca em 2009. É provável que, junto de seu novo “irmão”, fizesse companhia ao presidente no Salão Oval e em seus passeios noturnos.

Na época, a chegada de Bo à Casa Branca foi a maior campanha publicitária para essa raça de cães famosos nos Estados Unidos desde a introdução de seus primeiros exemplares na década de 60.

Celebridades caninas: Bo e Sunny, os cães de Obama

Durante os últimos anos, foram os animais de estimação mais conhecidos nos EUA. Eles se chamam Bo e Sunny e são dois cães de Água Portugueses.

Essa raça foi escolhida porque Malia, uma das filhas de Obama, tem alergia e esses belos cães são muito indicados nesses casos.

Apesar de parecidos, os dois cachorros se diferenciam muito bem porque a barriga e as patas de Bo são brancas, ao contrário de Sunny, cujos pelos são todos negros. E claro, ambos têm cachos de dar inveja a qualquer um.

As almas das festas

Todos nos EUA amam Bo e Sunny e se encantavam com a presença desses dois belos cães nas comemorações natalinas e de Páscoa. São dois dos membros mais famosos da família Obama.

Quando a agenda apertada do presidente dos Estados Unidos permitia, Barack Obama saía para passear pelos jardins da Casa Branca com seus cães. Em alguns momentos até permitiu que os animais o acompanhassem no Salão Oval.

Duas peludas estrelas midiáticas

E tem mais. Além de participar de histórias em quadrinhos e alguns programas de televisão, os cães de Obama, Bo e Sunny, são o patrocínio ideal das boas ações de Obama.

Os cães são adoráveis e com toda a sua beleza conquistam a todos nos eventos em que eles participam.

Nas obras de melhoria dos recursos hídricos dos Estados Unidos, um dos cães trabalhou pela causa através de vídeos nas redes sociais. Se Obama se encontrava com militares ou suas famílias, Bo e Sunny iam junto.

A apertada agenda de Bo e Sunny

Embora a vida de um cão possa ser bastante monótona, para Bo e Sunny, os cães de Omaba, seu cotidiano está cheio de aventuras e compromissos. Esses dois Cães de Água Portugueses fazem muito mais do que comer e dormir.

Bo, com seu pelo branco no peito e patas dianteiras da mesma cor, e Sunny, completamente negro, “trabalhavam” como embaixadores caninos da Casa Branca. E são tão populares quanto seus familiares humanos.

Os animais são tão conhecidos que possuem até agenda e horários pré-estabelecidos. Como Michelle Obama disse, Bo e Sunny têm muitos seguidores: “Todo mundo quer ver os dois e tirar fotos com eles”, disse a primeira-dama. “Recebi um memorando no início deste mês com a agenda de horário de ambos e tenho que aprová-lo”.

Algumas tarefas peculiares

O maior trabalho da dupla canina era uma importante tarefa: ajudar Dale Haney, jardineiro-chefe na residência presidencial, em suas rondas pelos jardins da propriedade, considerados como um parque nacional.

A senhora Obama disse: “Ele saía todas as manhãs e ia com Dale e todos os funcionários que trabalham com ele no parque. Dava pra vê-lo por aí, caminhando e se aproximando de todas as plantas. Acho que ele pensava que era um trabalho de verdade, pois levava tudo muito a sério… Por exemplo, se eu saía e o encontrava, era ignorada porque ele estava com ‘sua equipe de trabalho'”.

Risco de Sequestro

Bo e Sunny são tão queridos e apreciados por todos na Casa Branca que, em fevereiro de 2016, os alarmes foram ativados. Um homem planejava sequestrá-los. O Serviço Secreto prendeu em Washington um homem do estado de Dakota do Norte que pretendia levar à força os famosos animais de estimação.

Nadadores de primeira

Os cães de Água Portugueses são conhecidos há muito tempo como grandes nadadores. Ele são utilizados para resgates marítimos graças a suas grandes patas.

Essa raça foi utilizada por pescadores em Portugal como animais de companhia e também como cães guardiões. Os cachorros trabalhavam na cria de peixes, recuperação das redes perdidas ou danificadas e, inclusive, como mensageiros caninos entre os barcos pesqueiros e o litoral.