Como passear com o cachorro em dia de chuva?

· junho 27, 2018
O essencial é usar o bom senso e manter uma atitude que não deixe o cão nervoso, e sim seguro. Também é preciso equipar o animal com uma roupa específica para evitar que ele se molhe.

Se vai ser bom ou não passear com o cachorro em dia de chuva vai depender do temperamento dele. Alguns são tão inquietos e brincalhões que não se importam em correr no meio da chuva. Mas outros se estressam, se assustam e se irritam.

Na prática, de algum jeito, deve-se fazer o passeio diário para que, entre outras coisas, ele faça suas necessidades. Sobretudo se for difícil para ele fazê-las em casa.

Se é um cão que está acostumado a sair, ele se mostrará ansioso e inquieto. Nesse caso, não há outra opção a não ser tomar atitudes para protegê-lo para um passeio na chuva.

Cachorro olhando pela janela em dia de chuva

Dicas gerais para passear com o cachorro em dia de chuva

É preciso dar ao cão boas experiências para evitar comportamentos inesperados por conta do clima. Os adestradores sugerem não superproteger o animal, nem forçá-lo a passear se não desejar. Ainda que a decisão dependa dele, podem ser aplicadas estratégias para reduzir possíveis problemas.

  • Escolha bem o lugar: se o cão não gosta de se molhar, escolha locais fechados, como condomínios ou áreas arborizadas. Também é útil escolher áreas sem terra, para que ele não se suje demais.
  • Use o reforço positivo: os cães amam guloseimas e geralmente obedecem melhor seus donos se, ao cumprir ordens, ganharem alguma. Uma boa tática pode ser oferecer sua guloseima preferida como prêmio por ter se deixado guiar em um dia de chuva.
  • Demonstre uma boa atitude: é fundamental que o dono transmita tranquilidade ao animal, mesmo em meio a uma chuva forte. É preciso aprender a aproveitar cada minuto.
  • Não descuide dele: ainda que pareça óbvio, sob nenhuma circunstância se deve deixar um animal submetido às interpéries ou debaixo da chuva.
  • Seque o cão depois do passeio: Uma vez em casa, é fundamental ter uma toalha para secar o cão, especialmente se ele tem muito pelo. Deve-se dar atenção especial às almofadinhas das patas, já que elas armazenam líquido sem que notemos.
  • Reduza os banhos: durante as épocas de mais umidade, não é conveniente dar banho no cão com frequência. Algumas raças demoram muito para se secar e podem contrair doenças. O melhor é recorrer aos sabonetes hipoalergênicos de lavagem a seco.
Dono enxugando cão com uma toalha

Indumentária para passear com o cachorro em dia de chuva

A indústria de acessórios para pets tem se esforçado para criar uma seleção de roupas adequadas para proteger o cão da chuva. Pouco a pouco você pode ampliar seu equipamento com esses acessórios:

  • Traje impermeável: deve ser transpirável, mas sobretudo oferecer conforto e liberdade de movimento. Usá-lo reduz o mau cheiro característico de um cachorro molhado.
  • Capa de chuva: a maioria conta velcro para se adaptar ao tamanho do animal. As capas com listras que refletem a luz melhoram a visibilidade e são especiais para protegê-los em nevascas.
  • Botinhas d’água: previnem o acúmulo de água nas patas, que podem se irritar pelo frio e umidade. Muitos cães não gostam e tentam tirá-las, mas é necessário acostumá-los. Podem ser de plástico ou Neoprene.
  • Gorros: evitam que entre água nos olhos dos cão. São muito parecidos com os que os pescadores usam e estão disponíveis em várias cores, sendo fabricados de látex e plástico.
  • Reboques: Adaptam-se às bicicletas e são carrinhos com rodas que podem incorporar protetores de chuva.
  • Guarda-chuvas: não pesa muito e é muito prático, já que é engatado no arnês.

Doenças que o cão pode contrair

Passear com o cachorro em dia de chuva não deveria trazer inconvenientes. Se ele está vacinado, alimenta-se bem, é enérgico e tem boa saúde, ficar molhado não lhe afetará. No entanto, os cães de idade avançada ou muito jovens podem desenvolver doenças se não recebem o cuidado devido.

  • Pneumonia: Quando está muito frio no ambiente, uma superexposição do cão à chuva pode causar uma inflamação séria das vias respiratórias superiores e nos pulmões.
  • Problemas nas almofadinhas: Ainda que pareçam fortes e capazes de suportar qualquer terreno, essa parte da pele é muito frágil. O acúmulo de água lhes torna um ninho de fungos ou irritação.
  • Nós no pelo: se o animal tem um pelo muito comprido e volumoso, o contato com a água fomentará o surgimento de nós. O melhor remédio para essa situação é escová-lo regularmente.
  • Doenças na pele: Por sorte os cães têm uma camada de proteção natural na pele. No entanto, a chuva em excesso provoca sua ruptura, e aí a pele resseca.