Conselhos para reduzir o estresse em cães

· março 7, 2019
Há diversas causas para o estresse em cães, que pode ser observado no comportamento, nos sons que eles emitem e nos gestos faciais.

Os cães também podem sentir estresse, e ele pode causar danos a sua saúde mental e física. Por isso, é fundamental para o nosso animal de estimação que saibamos identificá-lo e saber como podemos ajudá-lo. Neste artigo, falaremos sobre o que fazer para reduzir o estresse em cães.

Como saber se um cão está estressado

Muitos são céticos em relação ao fato de que um cachorro possa ter estresse, pois pensam que eles têm uma vida confortável na qual recebem carinho e não precisam pensar em comer ou sair, pois todas as suas necessidades estão cobertas.

Esta teria que ser a realidade, mas o mundo louco em que vivemos também pode afetar a saúde de nossos animais. Sim, o estresse em cães é real.

O estresse não é uma situação normal do corpo, humor e comportamento dos nossos cãezinhos, por isso é crucial observarmos qualquer mudança para que possamos perceber se há um problema.

Os comportamentos mais comuns que eles podem apresentar são:

  • Gestos faciais: embora os cães não possam falar, têm uma linguagem corporal que pode falar muito sobre a sua situação. Por exemplo, seus olhos, sua cabeça e suas orelhas podem indicar que estão vivendo uma situação de estresse permanente ou pontual. Lamber-se, farejar ou girar a cabeça, bem como mostrar uma atitude de submissão em todo momento, podem ser sinais do estresse em cães.
  • Sons: lamentos e grunhidos podem indicar que seu cão está estressado. Estes podem ser momentos pontuais por uma situação particular, mas, quando são repetidos, sem dúvida demonstram que há um problema.
  • Comportamento: caminhar com a cabeça baixa, ter tremores ou manter o rabo baixo ou escondido entre as pernas são demonstrações claras de que algo não vai bem e de que seu animal de estimação precisa de ajuda.
  • Queda de pelos, falta de apetite, comportamentos destrutivos ou obsessivos, automatização, alergias e outros símbolos indicam que há uma situação de estresse.
Cachorro estressado na grama

O que pode provocar o estresse em cães

São várias as razões pelas quais os cachorros podem ficar estressados. Estas são algumas das principais:

  • Mudanças: os cães são animais de rotina, se acostumam a fazer a mesma coisa diariamente e a estar no mesmo lugar, por isso, quando há uma alteração, o estresse aparece. Embora uma mudança deva ser um passo de curta duração, eles podem ser mais afetados do que imaginamos.
  • Seu dono: tudo que nós fazemos influencia os nossos animais de forma positiva ou negativa. Por exemplo, se estamos estressados, eles se estressam também. Se vivemos brigando ou os tratamos com dureza, criaremos neles um medo que se transformará em ansiedade e estresse.
  • Chegada de outros animais: isso pode ser incluído como uma mudança de rotina, mas também pode ser visto como uma invasão da qual seu cão não vai gostar.

Como reduzir o estresse em cães

Uma vez que já sabemos como identificar o estresse e por que ele aparece, vejamos o que podemos fazer para ajudar nossos animais de estimação.

Cachorro chateado

Acostume-o à nova mudança de rotina

Os cães se estressam quando sentem que algo escapa do seu controle, por isso, se uma mudança na rotina ou a chegada de um outro animal é inevitável, não faça tudo de uma vez. Dê-lhe tempo e acostume-o de maneira gradativa a nova situação da sua vida.

Dê-lhe um espaço tranquilo

É possível que estar perto da família e de outro animal não seja o que seu cão precisa. Dê a ele um lugar onde possa relaxar e fugir do rebuliço. Se você trouxer um novo animal para casa, é fundamental que cada um tenha o seu próprio espaço.

Brinque com ele

Esta é a melhor maneira de estimular a sua mente e reduzir o estresse em cães. Passeiem juntos, brinquem de bola e até interaja com ele em outras brincadeiras.

Se depois de tudo isso você não notar mudanças positivas, não hesite em consultar um veterinário para cuidar do seu bichinho da melhor maneira.

  • Beerda, B., Schilder, M. B., van Hooff, J. A., & de Vries, H. W. (1997). Manifestations of chronic and acute stress in dogs. Applied Animal Behaviour Science, 52(3-4), 307-319.
  • Mariti, C., Gazzano, A., Moore, J. L., Baragli, P., Chelli, L., & Sighieri, C. (2012). Perception of dogs’ stress by their owners. Journal of Veterinary Behavior: Clinical Applications and Research, 7(4), 213-219.