Dicas para levar gatos ao veterinário

Os gatos, ao contrário dos cães, não gostam de sair de casa. E quando se trata de levar gatos ao veterinário, muito pior. Os amantes dos gatinhos acabam se angustiando tanto quanto os próprios animais quando precisam cumprir a rotina de levá-los ao veterinário.

Há algumas dicas para levar gatos ao veterinário muito úteis para que esse momento não seja sinônimo de dor de cabeça, nem para os animais, nem para os proprietários.

Levar gatos ao veterinário. Missão Impossível?

É necessário manter a calma em todos os momentos. Os gatos detectam facilmente quando seus donos estão nervosos, terminando por ficar igualmente inquietos na maioria das vezes.

Para transportá-lo, o ideal é utilizar uma caixa de transporte para gatos. Para comprar o modelo certo, é recomendável que os proprietários pensem na praticidade. Aquelas que possuem porta na frente funcionam muito melhor e as que podem ser abertas ou desmontadas a partir do topo também são práticas.

gato azul russo de olhos verdes

“Brigar” com o gato para colocá-lo em uma caixa transportadora não é o cenário ideal. É preciso tentar fazer com que o animal se familiarize com a caixa de transporte e que ele inclusive a aceite como sua. Para fazer isso, é preciso deixá-la aberta em um cômodo onde o gato goste de dormir. Se ele mostrar resistência ou indiferença, podem ser introduzidos brinquedos ou alguns petiscos dentro da caixa.

Quando o gato se acostumar a frequentemente ir para dentro e fora da caixa, sem inconvenientes, o passo seguinte é dar pequenos passeios ao redor da casa. Há gatos que vão até dormir dentro da caixa de transporte.

Se você tiver tempo suficiente para esse processo de adaptação, pode incluir passeios na rua e, eventualmente, algumas voltas no carro.

No dia da consulta ao veterinário, você pode pulverizar a caixa com feromônios 30 minutos antes da hora marcada para a partida. Assim, é mais fácil levar o gato ao veterinário de uma forma tranquila.

Levar gatos ao veterinário em suas mãos: má ideia

Se para a visita do gato ao veterinário não houver uma caixa de transporte disponível, levar o animal nos braços não é a melhor ideia. Embora haja raças que mantêm um certo nível de calma quando nos braços de seus proprietários, em geral, os felinos são animais que tendem a ficar fora de controle quando se sentem ameaçados ou assustados.

Uma sacola de material esportivo pode ser uma boa opção, preferencialmente modelos com furos ou de náilon. Dessa forma, o animal pode ver do lado de fora e, mais importante, pode respirar facilmente.

O fundo do saco deve ser rígido. Para o gato, vai ser ainda mais desconfortável viajar enclausurado dentro de um espaço onde não possa ficar de pé.

Habituar-se a andar de carro

Se o consultório do veterinário não for tão perto de casa para poder ir andando, então o melhor é que o gato se familiarize com passeios de carro.

Ao levar o gato ao veterinário de carro, é bom reduzir ao mínimo os ruídos provenientes do exterior. Mas também é essencial que o veículo seja bem ventilado, especialmente no verão.

Veterinário consultando gato

Se você não tiver o seu próprio carro, pode usar o transporte público para levar o gato ao veterinário. Nesses casos, é necessário um processo de adaptação ao transporte público, seja lá qual for o meio (ônibus, trem ou metrô).

Na sala de espera

Na maioria das vezes, é preciso esperar um tempo dentro da clínica, antes que o veterinário finalmente atenda o animal de estimação. Durante esse período, os proprietários devem estar cientes de que, embora não pareça, o animal está desconfortável.

O animal de estimação deve sempre esperar dentro da caixa de transporte (ou bolsa), colocada sobre as pernas do dono. É recomendável falar com frequência e acariciá-lo somente se o espaço disponível para introduzir a mão for suficiente para isso, sem o risco do animal escapar.

Se durante a espera houver o compartilhamento do local com cães, a situação pode ser tensa. É melhor colocar o gato de costas para a sala e evitar, se possível, que os cães venham farejar a caixa.

De volta para casa

Se o gato vive com outros animais da mesma espécie, os companheiros dele podem achá-lo estranho assim que chegar. Isso porque os cheiros mudaram ao levar o gato para o veterinário. É preciso ter paciência.

Recomendados para você