Por que existem tantas raças de cachorro no planeta?

São muitas as raças registradas de cachorros. Algumas instituições de caráter mundial reconhecem mais de 500. Cada uma delas tem suas cores, tamanhos, comportamento, personalidade, formas, etc…

Os cachorros são os animais mamíferos com maior diversidade do mundo. Entre outras coisas, fomos nós próprios, os humanos, que contribuímos para isso, favorecendo suas características específicas.

O cachorro evoluiu a partir dos lobos. Logo, foi se convertendo em um mamífero completo e com muitas peculiaridades. Muitos especialistas dizem que não existem dois cachorros iguais em relação a sua personalidade. Dessa maneira, existem muitos detalhes que os diferenciam.

Em que momento começaram a surgir as raças de cachorros?

O comum é argumentar que isso aconteceu há mais de 30 mil anos. Aí foi quando os antepassados dos cachorros modernos começaram a se separar dos lobos. Dessa forma, surgiram as primeiras raças de cachorros.

As diferentes teorias dizem que a divisão entre as populações dos lobos pode ter dado início ao surgimento dos cães. Uma dessas divisões pode ter se convertido, mais tarde, em cachorros domesticados.

Dessa forma, os lobos iriam se domesticando a si mesmos à medida que se aproximavam dos humanos para comer os restos de suas refeições. A fome e a necessidade poderiam ter sido os motivos.

Sabemos que o cachorro e o lobo compartilham muita características, mas também são muito diferentes. O cachorro de hoje, quando adulto, pode ter comportamentos parecidos aos dos lobos, mas aos de lobos jovens. Também depende da raça. De fato, existem cachorros que apresentam um comportamento mais “infantil” que outros.

Domesticação e expansão das raças de cachorros

A fase seguinte seria a domesticação desses lobos e sua progressiva transformação em cachorros, por parte dos seres humanos. Com o passar do tempo, o cachorro foi se integrando à forma de vida de nossos antepassados da antiguidade. Assim, começaram a participar de suas diferentes atividades do dia a dia.

Num processo de expansão posterior, os cachorros domesticados se espalharam por todo o espectro internacional, até alcançar distintas partes do mundo.

Como surgem as raças

À medida que nossos ancestrais humanos foram distinguindo as diferentes habilidades dos cachorros, as raças foram se diferenciando, cada uma delas com sua própria característica única.

Os criadores de cachorros começaram a explorar e inclusive a comercializar essa especialização. Com cada uma das mudanças e adaptações, os cachorros começaram a adotar uma aparência e um comportamento cada vez mais distinto.

Com o passar do tempo e devido às mutações da própria natureza, do clima das regiões e das necessidades e preferências humanas, as raças foram cada vez mais numerosas. As classificações atuais se baseiam na diversidade de raças e nas habilidades dos cachorros. Tais como a caça, a vigilância, a lealdade, a capacidade de trabalho, etc…

Diferenças entre cachorros e raças

Como explicar as diferenças entre a fisionomia de um chihuahua, com um quilo de peso, e de um São Bernardo, com seu imenso tamanho? Ela poderia ser explicada pelas mudanças que foram se sucedendo nos genes.

Não podemos nos esquecer que o cachorro é o animal que mais varia em tamanho, peso e atitudes de comportamento entre os mamíferos. Até o “sonho” pode ser uma diferença entre as raças.

Ainda que os cachorros tenham sido domesticados há 14 mil ou 17 mil anos, a maioria das raças se desenvolveu nos últimos séculos. No momento em que os seres humanos do passado criavam cachorros, potencializando algumas atitudes, como um latido forte (para uma maior proteção da propriedade de seu dono) ou um temperamento dócil (porque seria menos provável que atacasse), eles estavam selecionando e também jogando com a seleção dos genes.

A primeira raça: Evolução

Estima-se que uma das primeiras raças preferidas pelo homem, por suas características, foi a dos galgos. Mais concretamente o Saluki, também chamado de galgo árabe, cujo nome se traduz como “nobre”.

Nas diferentes etapas históricas, foi aumentando o número de raças mestiças de cachorros, em muitos casos, reconhecidas como tal. É o caso do labradoodle (um cruzamento entre um labrador e um poodle), o cockapoo (um cruzamento entre um cocker spaniel e um poodle) e um puggle (o descendente de um pug e um beagle).