Uma terna história de amizade na guerra do Afeganistão

Quando pensamos na guerra, imaginamos situações cruéis e horríveis. No entanto, em meio a tanta morte e desespero, há também algumas notícias que nos roubam um sorriso. Neste artigo, iremos contar uma emocionante história de amizade no Afeganistão. E depois também iremos comentar sobre outro caso que pode nos levar às lágrimas.

História de amizade no Afeganistão – Número 1

Os protagonistas desta preciosa história são o soldado Julian McDonald e um cachorro chamado “Layka”. Graças ao animal, o rapaz está vivo. O cão o salvou enquanto servia na guerra e, em agradecimento, ele decidiu adotá-lo.

Durante a ação militar, o peludo foi baleado quatro vezes, quando não hesitou um momento ao colocar seu corpo para proteger seu amigo. Muito ferido, o animal teve que ser levado para uma sala de emergência. Ali, ele foi operado durante sete horas. Tiveram que lhe amputar uma perna dianteira, no entanto, puderam salvar sua vida.

Como forma de agradecer a coragem e a proteção oferecida por seu amigo peludo, Julian decidiu adotar o cãozinho, que agora faz parte de sua família e vive feliz, apesar de sua deficiência.

História de amizade no Afeganistão – Número 2

Em meio a balas e bombas, ninguém poderia pensar que iria surgir uma amizade entre um soldado e um cão. A história fala sobre o marinheiro das Forças Navais de Elite dos Estados Unidos, Craig Grossi, e um peludo “de cabeça desajeitada e de patas pequenas”, que vivia na rua.

Craig foi enviado em uma missão perigosa no distrito de Sangin, no Afeganistão. Ele foi deixado junto com suas tropas durante a noite. Desde sua chegada, eles tiveram que proteger suas vidas dos ataques do Taliban. Alguns dias depois desse tormento, ele viu um cão deitado no meio do nada, um pouco magro, mas com uma atitude calma.

Embora seja comum que os cães andem em bandos para se proteger e ficar longe dos humanos, este peludinho ousava se aproximar. Tinha certa confiança e apenas buscava um pouco de carinho. Os soldados não sabiam o que fazer, porque são proibidos de ter contato com animais de outros países.

Mas como aparentemente o animal era de rua (pelo seu aspecto) decidiram quebrar as regras. Eles o levaram com eles para o abrigo, onde recebeu um pedaço de carne seca. Como agradecimento, ele abanou o rabo e comeu sua ração. Craig não conseguia entender como um animal com quase nenhum contato com as pessoas pudesse ser tão dócil.

Quando o homem teve que voltar para sua área segurança, ele não pôde deixar seu novo amigo… Que o seguia por toda parte! Depois de ser batizado com o nome de Fred, ele foi acolhido como mais um membro do acampamento dos marinheiros. Quando ele disse aos seus superiores a intenção de ficar com o cão, começaram as formalidades de adoção. Em meio a isso, o homem foi enviado para uma nova missão. Levou três meses para se reunir com ele. Onde estava o cão o tempo todo? Na casa de Craig, em Nova York!

História de amizade no Afeganistão – Número 3

Para terminar, contaremos a bela história sobre três cães de rua que impediram que o soldado Chris Duke morresse depois que uma bomba explodiu. Mas, voltando um pouco para trás na história, tudo começou quando o americano ficou amigo desses três peludos, para quem dava comida e água, compartilhando sua própria ração diária.

Durante semanas, os animais (que tinham sido batizados com os nomes de Rufus, Target e Sacha) ficaram muito agradecidos e demonstraram gratidão e carinho pelo soldado. Uma manhã, um bombardeiro suicida tentou entrar na cabana onde dormia Duke. Mas os cães impediram que o intruso entrasse. No tumulto, o homem ativou o explosivo que carregava e tirou a própria vida.

Nessa tragédia, um dos cães morreu e dois ficaram gravemente feridos. Depois de lhes salvar a vida, o soldado pediu permissão para adotá-los e trazê-los para sua casa nos Estados Unidos, onde eles vivem como uma família.

Fonte de imagens: www.020mag.com e 3.bp.blogspot.com

Recomendados para você