Adotaram um cão que tinha sido esfaqueado em Almería

Cão esfaqueado é adotado

Naif encontrou um lar. O cão que tinha sido esfaqueado na nuca, em Almería, e logo resgatado por integrantes da organização “O Refúgio”, foi adotado por Chus, uma mulher que reside em Madri.

A história de Naif, o cão que foi esfaqueado na nuca

A vida tende a se vingar ante feitos atrozes que cometem alguns humanos.

Naif tinha sido encontrado em um descampado do município de Adra, na província da Almería. Tinha as patas amarradas, estava amarrado a um poste pelo pescoço e apresentava uma apunhalada em sua nuca.

O animal conseguiu sobreviver ao covarde ataque e foi resgatado por integrantes da organização protetora.

Como Naif encontrou um lar

Cão com dona

Os membros do “O Refúgio” difundiram a informação sobre o maltrato sofrido por Naif, que se multiplicou pelas redes sociais e provocou a indignação de uma infinidade de pessoas.

Mas o mais importante é que, em 10 dias, mais de 20 famílias manifestaram a intenção de adotar o animal.

Finalmente, Chus se transformou na afortunada dona do cão Naif, com quem se deu bem logo de cara.

Todas as coisas da criação são filhos do Pai e irmãos do homem… Deus quer que ajudemos aos animais se eles necessitarem de ajuda. Cada criatura em desgraça tem o mesmo direito a ser protegida

-São Francisco de Assis-

A família de Naif

“A história de Naif me partiu o coração e decidi que queria ser sua mãe; sinto-me muito afortunada que a vida me tenha permitido estar ao seu lado”, explicou a mulher.

Assim foi como Naif encontrou uma família na qual se sentiu amado e protegido. A mulher que o adotou, que reside em Madri, convive também com outros três animais de estimação: um cão e dois gatos, que já se transformaram em seus companheiros de brincadeiras.

“Temos vivido uma experiência preciosa ao testemunharmos a adoção de Naif, somente alguns dias depois de ele ter sofrido um capítulo tão terrível. Naif se viu entre os braços da pessoa que o adotou, e com quem vai desfrutar de uma vida muito longa e feliz. Para nós, do “O Refúgio”, a felicidade -neste momento- é infinita”, disse Nacho Paunero, presidente da organização protetora “O Refugio”.

Alguns dados sobre “O Refúgio”

O Refúgio é uma organização sem fins lucrativos que tem como principal objetivo ajudar a cães e gatos maltratados ou em situação de abandono.

Dado que não aceita subvenções de organismo oficiais, empresas ou partidos políticos, a protetora se financia com a cota de seus sócios e as doações que recebem de seus simpatizantes.

Em relação à agressão sofrida pelo cão, Paunero disse: “Feitos como este reiteram que na Espanha têm que mudar muitas coisas. É necessário por fim à impunidade como a que alguns desalmados cometem, como as barbaridades que ocorreram com Naif. Fazemos um apelo para que todos aqueles que testemunhem um caso de maltrato, denuncie sempre e confiamos em que nossos juízes condenaram os responsáveis como ditam nossas leis”.

Como trabalha a protetora

Cães em parque

Autor: Juanedc

Entre as ações desta protetora, destacam-se:

  • Atenção veterinária aos animais recolhidos;
  • Identificação e esterilização;
  • Busca de adotantes;
  • Empreendimento de ações legais contra os autores dos delitos de abandono e maltrato;
  • Campanhas de divulgação em diferentes meios de comunicação para promover o respeito e a defesa dos direitos dos animais.

“O Refúgio” conta com um centro veterinário na capital espanhola, que está aberto ao público, e com um centro de acolhimento no município de Espinar, na Segovia.

“Sacrifício zero” e posse responsável

Além disso, os membros da organização protetora que resgatou Naif são defensores do “sacrifício zero”. Só praticam a eutanásia quando uma enfermidade terminal produz um sofrimento irreversível nos animais.

Também trabalham por conseguir uma série de direitos básicos para os donos dos animais de estimação: por exemplo, o livre acesso a diferentes lugares públicos:

  • Transportes;
  • Comércios;
  • Museus;
  • Parques;
  • Praias.

Tudo isto sem se esquecerem de advogar pela posse responsável de animais. No caso de Naif, que tinha sido esfaqueado e maltratado, a organização “O refúgio” parece ter obtido com louvor esse objetivo.