Na Rússia, câmera capta um gato-de-pallas

gato de Pallas

Uma recente expedição à Reserva Natural de Altai, no sul da Sibéria, obteve um notável resultado: com uma câmera, foi possível fotografar um gato-de-pallas. Este felino, também conhecido como Manul, é um animal que não se deixa ser visto com muita frequência pelos olhos humanos. Além disso, integra a Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza. Ali, a espécie tem a classificação de “quase ameaçada”. Por isso é notável o fato de que um exemplar tenha sido fotografado.

Conheça a história por trás da câmera que captou um gato-de-pallas

Por ser resistente a se mostrar diante das pessoas — eles têm seus bons motivos — não são muitas as oportunidades de se ver imagens destes felinos em seu habitat natural.

Nesta oportunidade, o registro foi feito durante uma expedição organizada pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF), o Fundo Regional de Argalí para o amparo animal e a Reserva Natural de Altai.

Bem, já que fotografaram um gato-de-pallas, feito nada usual, vamos aproveitar a oportunidade para saber mais sobre este lindo felino.

Alguns dados sobre o Manul

Como se pode ver pelas fotos, estes animais são bastante grandes e gordinhos. Entretanto, têm o mesmo tamanho e peso que um gato doméstico médio. Mas seu comprimento e densa pelagem (para poder suportar as baixas temperaturas dos lugares onde habitam) dão a impressão que eles têm um tamanho maior do que na realidade.

É que o Manul tem cerca de 9 mil pelos por centímetro quadrado, e alcançam um comprimento de até 7 centímetros.

Os domínios deste mamífero carnívoro pertencente à família Felidae se estendem, principalmente, além da citada Sibéria, para a região da Mongólia e do Tibet. Ele pode ser encontrado em alturas de até 5 mil metros acima do nível do mar.

Ele foi classificado em 1776 pelo zoólogo alemão Peter Simón Pallas, que o denominou Felis manul. Mas recentemente, chegou-se à conclusão de que ele se encontra dentro do gênero Otocolobus.

Uma câmera conseguiu captar imagens do esquivo gato-de-pallas na região da Sibéria. Também conhecido como Manul, este felino, de pernas mais curtas que os gatos domésticos, é perseguido por caçadores ilegais por causa de sua grossa e linda pelagem.

Mais informação sobre o gato-de-pallas

Entre outras características destes lindos felinos, podemos destacar:

  • Patas e garras curtas
  • Corpo redondo e maciço
  • Cauda com anéis pretos, larga e peluda
  • A cor da pelagem vai do cinza ao avermelhado
  • Olhos com pupilas arredondadas
  • Orelhas baixas e separadas
  • Focinho de aspecto plano

Além disso, são animais de hábitos solitários que costumam caçar em horas de pouca luz. Seu alimento principal é constituído de pequenos roedores e de pássaros. E, embora eles passem boa parte do dia abrigados em buracos nas rochas, ou em tocas, também ficam — como bons bichanos que são — deitados ao sol.

Uma espécie perseguida por caçadores ilegais

camera-gato-em-perigo-de-extincao

Fonte: siberiantimes.com/home/

A fêmea do Manul dá à luz entre 2 e 6 gatinhos por ninhada, depois de um período de gestação de entre 66 e 75 dias. As crias pesam em torno de 90 gramas e nascem cobertas por uma grossa pelagem. O tamanho adulto é atingido aos seis meses.

Em cativeiro, tem-se registro de que os gatos de Pallas vivem até 11 anos. Entretanto, embora possam se reproduzir nestas condições, as taxas de sobrevivência são baixas, por causa das infecções que eles sofrem. O motivo parece estar em um sistema imunológico pouco desenvolvido, já que em seu isolado habitat natural não estariam expostos a vírus.

O Manul, além disso, é uma espécie vítima da caça ilegal. São animais perseguidos por sua pelagem. Essa também é uma das causas do comportamento esquivo desses felinos, mas não se têm dados concretos sobre o problema. Também é difícil de se estimar o número exato destes felinos que habitam hoje o planeta.

Entretanto, pudemos desfrutar de belas imagens graças à câmera que captou a um gato-de-pallas, imponente em seus domínios. E agradecemos pela oportunidade.

Fonte das fotos: Siberian Teme (iberiantimes.com/home/)