Conselhos para não cometer erros ao escolher um cão

Como escolher um cão

Quando você se propõe a escolher um cão para fazê-lo parte de sua família, além do impulso ou do amor à primeira vista que um desses bichinho poderá te provocar, você deverá também levar em conta uma série de diferentes fatores.

Responsabilidades na hora de escolher um cão

O primeiro ponto a se considerar é que quando você escolhe um cão, está adquirindo um compromisso que poderá durar, em média, entre 15 e 20 anos.

Também deverá levar em conta que se você se tornar responsável por um cão, isso não deverá ser pela metade. Por isso devolução e abandonos devem ser, de antemão, descartados de suas possibilidades.

Então, é muito importante que, antes que um peludo entre em sua vida, analise de forma detalhada que tipo de cão se encaixaria melhor em seu estilo e condições de vida.

Também, você deverá se fazer a seguinte pergunta: como posso suprir as diferentes necessidades do animal?

Considere o seu estilo de vida

Cão com dono no sofá

Tanto se você vive sozinho como com o seu grupo familiar, você deve sim pensar em quanto tempo pode dedicar aos passeios com o seu futuro animal de estimação ou em quantas horas o animal terá que ficar sozinho em casa.

Além disso, lembre-se que você também deverá ter tempo para:

  • Socializá-lo e educá-lo;
  • Levá-lo a veterinário;
  • Dar banho;
  • Escová-lo;
  • Comprar seu alimento;
  • Prover diariamente água e comida;
  • Estimulá-lo física e mentalmente com jogos e brincadeiras;
  • Manter limpo e confortável o espaço destinado para o descanso de seu pet.

Antes de escolher um cão, analise de forma responsável que tipo de animal é o que melhor poderá se encaixar em seu estilo e condições de vida.

Considere os gastos que ter um cão implica

Um animal de estimação implica em gastos fixos e variáveis, que podem ser diferentes – por exemplo – de acordo o seu tamanho e condições de saúde.

Em um orçamento inicial, você não pode deixar de incluir:

  • Alimento de qualidade, adequado ao tamanho, raça e idade do animal;
  • Controles periódicos com o veterinário;
  • Vacinas;
  • Desparasitação;
  • Acessórios indispensáveis.

Calcule o espaço disponível para o novo habitante de seu lar

Um assunto importante é se sua casa é suficientemente grande para que estejam cômodos você, o resto de sua família e seu animal de estimação.

Esta questão, não é apenas determinante para o tamanho do cão, mas também para a sua personalidade e a energia que ele requeira gastar. É necessário saber, então, se se tratar de um animal nervoso, ou, bem mais tranquilo, se late por qualquer coisa ou só quando é importante.

Você também não deve se esquecer, nesta primeira análise, de seus vizinhos, principalmente se você mora em um apartamento e se o seu futuro animal de estimação for muito barulhento.

Férias e festividades

Certos temas podem parecer menos importantes e não surgem no momento de se escolher um cão, mas ainda assim devemos considerar:

  • Que deverá dedicar especial atenção durante as celebrações que incluam fogos de artifício, já que os cães são muito sensíveis a este tipo de ruídos.
  • O que irá fazer com o seu animal de estimação na hora de sair de férias. Ele pode ficar aos cuidados de familiares? Você está em condições de pagar um hotel canino para deixá-lo lá enquanto você viaja? Você levará ele com você? Neste último caso, tenha em mente que o transporte público tem regras determinadas a respeito disso e que podem não se adaptar a suas necessidades.

Outros pontos a serem considerados para evitar erros na hora de escolher um cão

Antes de se decidir por um animal de estimação, preste atenção também a essas questões:

  • Não escolha porque é uma raça de moda. As modas passam e os animais ficam.
  • Não se deixe guiar apenas por questões estéticas. O fato de um animal ser bonito não implica que o resto de suas características sejam as mais adequadas para as condições de vida que você pode lhe oferecer.
  • Não despreze a adoção. Os cães abandonados necessitam uma segunda oportunidade e são tão belos, nobres e bons quanto aqueles que podem ser comprados.

Escolha com a razão e com o coração

Cão no colo de dona

Por isso, pense bem em todas essas questões. Assim, você evitará uma decepção futura quando se der conta de que o cão que você escolheu por impulso, pode não ser o que você queria.

Lembre-se que o animal não tem culpa de seus erros.

Então, além de escolher com o coração e a intuição, se informe sobre as características do cão que você quer incorporar em sua vida. Certamente, com tempo e paciência, você encontrará o peludo mais indicado para você.

Créditos da imagem: Kinmartin.