Raju, o elefante que chorou depois de ser resgatado por uma ONG

Nos dá muita tristeza ter que contar histórias como esta, mas esperamos que para todos aqueles animais que são maltratados, que este final sirva de precedente e que todos possam ter o mesmo final feliz. Hoje falaremos sobre Raju, o elefante que teve uma vida muito difícil.

Raju, o elefante. Sua história

Raju, o elefante, nasceu e cresceu na Índia, mas pouco tempo depois de nascer foi separado de sua mãe pelos caçadores furtivos deste mesmo país. Os elefantes são um bem muito precioso também na Ásia, por serem usados como atrações e pelo valor de algumas partes de seu corpo.

Por isso, depois de sido separado de sua mãe, Raju, o elefante, foi vendido ao melhor pagador e, depois, foi passando de mão em mão até somar 26 donos! Este pobre elefante não nasceu com sorte, pois é possível que entre os 26 donos nenhum deles o tenha tratado de uma forma minimamente digna.

O tratamento que Raju, o elefante, recebeu

O que é pior, Raju, o elefante, foi usado para diversas tarefas: como atração, como transporte, como amuleto, como modelo de fotografia… e um sem-fim de outras coisas mais.

Nenhum dos donos que o elefante teve durante 50 anos, lhe ofereceu cuidados de higiene e alguns nem sequer a alimentação mínima.

De fato, o último dono não se preocupou nada com isso. Viu Raju, o elefante, como uma máquina de ganhar dinheiro em que não era necessário investir nem sequer para que ele continuasse vivo. O pobre Raju sobrevivia graças ao alimento que os turistas lhe davam. Que tristeza, me parte o coração!

Não contente com isto, este “senhor” o tinha amarrado com correntes que causavam feridas profundas em seus tornozelos, também, o elefante não tinha nenhum lugar onde se proteger durante a noite. Os pelos de sua cauda tinham sido arrancados para serem vendidos como amuleto.

Finalmente sua situação chegou aos ouvidos certos

Raju-o-elefante-2

Fonte: www.stopalmaltratoanimal.com

Raju, o elefante, teve sua situação levada aos ouvidos da ONG Wildlife, que não ficou de braços cruzados e rapidamente viajou à Índia para saber o que estava acontecendo.

Por sorte, o dono do elefante era tão descuidado com as leis como era com o elefante Raju. Ele não tinha nem um só papel que creditasse que Raju, o elefante, era de sua propriedade. Isso somado às precárias condições nas quais vivia o animal, favoreceu com que o juiz desse a autorização imediata para que a ONG retirasse o elefante da posse de seu dono.

E as lágrimas chegaram…

Não foi fácil, pois o “senhor” que tinha a posse do animal resistiu e inclusive gritava para que Raju ficasse violento. Não sabemos o que se passou na cabeça de Raju, pois ele permaneceu surpreendentemente quieto, possivelmente o elefante sabia que o que lhe esperava era algo melhor.

Não importaram os esforços deste homem para que não levassem o animal, uma equipe de especialistas e policiais resgataram Raju durante a noite para evitar que o pobre elefante ficasse exposto aos fortes raios de sol.

Segundo o porta-voz do Wildlife, Raju, o elefante, chorava de alegria enquanto era posto em liberdade. Cinquenta anos acorrentados quase lhe fizeram esquecer o que é caminhar em liberdade.

A cena foi muito comovente, e lhe mostraremos mais abaixo no vídeo que foi gravado nessa ocasião. Suas lágrimas não paravam de cair, era algo incontrolável. Pobrezinho! Finalmente sua nova vida começaria…

O elefante foi levado para junto de outros elefantes onde foi muito bem acolhido e onde Raju se sentiu como em um sonho, do qual não queria despertar. Continue sonhando amigo, ninguém irá lhe acordar.

O elefante recebeu os cuidados médicos necessários e é alimentado diariamente, por isso Raju, o elefante, se recuperou estupendamente. Tudo isso graças aos muitos recursos que o Wildlife arrecadou junto aos generosos amantes dos animais.

Algo para se lembrar

Entendemos que histórias como esta nos fervem o sangue e nos deixam com raiva de quem trata os animais desta forma. Mas há uma mensagem subliminar na história de Raju, o elefante.

Se usaram a Raju como atração, é porque houve quem pagou por isso.

Se o usaram como transporte, é porque alguém pagava por isso.

Se venderam os pelos de sua cauda como amuleto, é porque pagaram por isso.

Para um bom entendedor, poucas palavras bastam. Não pague para que maltratem um animal.

Fonte das fotos: www.stopalmaltratoanimal.com