Toldo, o gato que visita diariamente o túmulo de seu dono

Toldo, o gato

A história de Toldo, o gato italiano, é mais um exemplo do amor e da lealdade que os animais nos demonstram. Esse amor que parece ir além da morte. Você gostaria de saber o que faz esse gato de tão excepcional? Ele visita o túmulo de seu dono diariamente.

A história de Toldo, o gato que visita o túmulo de seu dono

 Toldo, o gato

Toldo, o gato feliz que vivia em um pequeno povoado da Itália, vivia alegre com Renzo e sua família. Embora, assim como todos os animais que vivem com os humanos em uma casa, ele amava a todos os membros da família, mas os que o conhecem dizem que ele sentia uma predileção pelo patriarca: Renzo.

Eles iam juntos a todas partes e Renzo parecia que era o que mais cuidava dele. Por isso não é de se estranhar que ele tenha sentido saudades quando Renzo morreu, Toldo, o gato, foi um dos primeiros a seguir o caixão, algo que não surpreendeu nem a viúva e nem aos moradores do lugar.

Depois que seu dono foi enterrado, Toldo começou a ir diariamente ao seu túmulo para lhe levar presentes. Estes presentes consistiam em coisas que Toldo podia apanhar facilmente na rua, tais como flores, ramos, papéis, etc. Era sua forma peculiar e a que estava a seu alcance para dizer ao seu dono que ele o amava e que sentia sua falta.

A nova dona de Toldo, o gato

Toldo passou então, as mãos da viúva de Renzo, que morava junto com a filha do casal. Elas visitavam todos os dias o túmulo de seu querido pai e marido, e no primeiro dia encontraram um raminho de acácia, segundo as palavras da viúva “não duvidei que tivesse sido colocada por Toldo, o gato”.

Vizinhos e amigos da família são testemunhas presenciais das visitas diárias que Toldo, o gato leal, faz ao túmulo de seu dono.

É que o amor que Toldo sentia por Renzo era algo que a todos, família e vizinhos conheciam. Mais uma prova de que o amor animal não conhece obstáculos.

E este fato foi demonstrado por muitos animais que fizeram o impensável por seus donos, vamos relembrar?

Outras histórias que nos comoveram

  • Bobby. Bobby era o cão de John Gray, um policial escocês que o tinha como companheiro. Gray morreu de tuberculose e Bobby acompanhou o caixão no funeral e ficou sobre o túmulo de seu companheiro durante quatorze anos, até que o cão morreu. Lealdade de toda uma vida, em todos os sentidos.
  • Fido. Este cãozinho tem uma história parecida com a do Hachicko. Ele acompanhava Luiggi, seu dono, diariamente à estação de trem. Mas a Segunda guerra mundial fez com que Luiggi fosse recrutado e levado à Rússia. Fido continuou esperando por seu dono na estação durante anos.
  • Collie. Um cão da Argentina. Chegou ao túmulo de seu dono quando o enterraram e, embora os familiares tenham tentado buscá-lo para levá-lo para casa, ele sempre fugia e até chegou a se esconder por entre os túmulo para que não o encontrassem. O cão permaneceu sobre o túmulo de seu dono durante 9 anos, até que também morreu.

Cachorro no cemitério

Estes são apenas alguns exemplos de animais que, como Toldo, demonstraram um nível extremo de amor e lealdade para com seus donos. Há outras muitas histórias que já compartilhamos em nosso blog e que você irá adorar ler.

Não importa se se trata de cães ou gatos, coelhos ou hamster, os animais sempre nos enchem de bons sentimentos, algo que deveria nos mover a atuar em consonância com isso e tratá-los com o mesmo carinho, amor e respeito que eles nos tratam.

Sabemos que estas não são as únicas histórias de animais leais e cheios de amor. Você conhece alguma outra? Compartilhe sua história conosco e honraremos estes animais cheios de dedicação por nós.

Fonte da imagem principal: www.abc.es