A cistite em cães

· fevereiro 10, 2018

É mais comum do que imaginamos. A cistite em cães afeta animais de todas as idades e é uma doença que deve ser tratada o quanto antes. Veremos em que consiste e quais os sinais de alerta para tomarmos medidas sem perda de tempo.

O que é esta doença?

A cistite em cães é uma infecção que afeta a bexiga urinária do animal. É bastante frequente, além de muito incômoda.

A causa pela qual ela aparece é a presença de bactérias que ingressam através dos intestinos e passam pela uretra até chegar à bexiga. Lá, provocam uma inflamação que, em muitas ocasiões, vem acompanhada de dor.

Segundo os estudos médicos realizados em cães com cistite, a bactéria que costuma se detectar geralmente é a Escherichia coli. Ainda que possa ocorrer a presença de outros tipos de agentes patogênicos. A doença pode ser aguda ou crônica e será necessário tratá-la o quanto antes.

Filhote de cão passeando na coleira

Por sua vez, como a uretra da fêmea é mais curta que a do macho, a afecção é mais frequente nas cadelas. Por isso, é imprescindível manter uma correta higiene como forma de prevenção.

Cistite em cães: sintomas

Ainda que conheçamos os nossos animais de estimação, muitas vezes consideramos uma mudança de comportamento como algo sem importância ou uma questão passageira. Mas é importante que se tenha cuidado com isso, porque pode se tratar de um sintoma que revela a presença de uma doença ou o começo dela.

o ideal é detectar o problema em seus estágios iniciais, para que o tratamento seja mais simples. Dessa forma, será possível deter a infecção.

Mas quais são os sinais de alerta no caso da cistite?

  • A mudança de comportamento é um dos sintomas. Se levarmos em conta que este tipo de infecção causa incômodo, a maneira que os animais de estimação têm de manifestar isso é a partir de comportamentos não habituais.
  • Choros ou resmungos. Podemos perceber que o animal sofre ao urinar. Isto demonstra que ele sente dor.
  • Micções mais frequentes. A bexiga aloja a urina vinda dos rins. Quando as paredes desta inflamam pela cistite e diminui o espaço, nosso cão terá a necessidade de urinar mais frequentemente, mas em menor quantidade. Este é um dos sinais mais comuns. É possível que muitas vezes apareçam sinais de sangue. Por isso, se o nosso animal de estimação urina em lugares ou momentos pouco habituais, não devemos atribuir isso a um repentino capricho ou malcriação, mais sim ao sintoma de uma doença.
  • Dificuldade para urinar. Se você observar que seu cão dá voltas e não consegue urinar, leve em conta que isso pode se tratar de um problema. Seja pela mesma infecção ou pela obstrução da uretra, é fundamental se consultar com um veterinário para que seja ele quem detecte a doença.
  • Hiperatividade. O incômodo que causa a doença, a necessidade de urinar frequentemente ou a impossibilidade de o fazer, fazem com que o animal se encontre mais ativo do que o habitual.
  • Bebe mais do que o normal. Se este comportamento vier acompanhado de alguns dos sinais anteriores, é um importante alerta a se considerar. Também pode ser que o problema esteja afetando os rins.

Tratamento

É importante observar bem os sintomas e as condutas do cão para informar o veterinário.

O diagnóstico e a forma de tratar o seu animal de estimação dependerá do critério e da situação. Mas o mais provável é que se realize um exame de urina. Isso será feito para detectar com precisão o problema e avaliar a causa e seu estado.

Também pode ser que seja conveniente realizar uma ecografia, uma radiografia, etc.

O tratamento da cistite em cães costuma ser baseado na administração de antibióticos receitados pelo veterinário. Sua correta administração é importante para a recuperação total de seu animal de estimação.

Cachorro bebendo água

É ideal controlar para que o cão beba suficiente água. Isto favorecerá uma recuperação completa.

É possível prevenir a cistite?

Sempre existem hábitos que favorecem a prevenção de doenças. Neste caso, beber suficiente água é benéfico para evitar uma desidratação e um possível aparecimento de bactérias.

Também são importantíssimas uma correta higiene e uma alimentação saudável. Além de tudo isso, é necessário manter em dia o calendário de vacinação, assim como fazer consultas regulares ao seu veterinário de confiança.

Todas estas ações são importantes para prevenir, não apenas o aparecimento da cistite, mas também de muitas outras doenças.