Alimentos para gatos com hepatite

As recomendações dietéticas para a hepatite devem ser individuais, pois mudam bastante dependendo da patologia que causa a inflamação no felino.
Alimentos para gatos com hepatite

Última atualização: 25 Dezembro, 2021

O fígado é um órgão importante para a vida dos animais de estimação, pois desempenha funções como desintoxicação e absorção de nutrientes. Por isso, qualquer doença que impeça seu funcionamento causa consequências fatais. Entre as patologias mais comuns está a hepatite, uma inflamação do fígado que pode colocar a vida dos gatos em risco.

Os sinais de alerta de problemas hepáticos geralmente são visíveis apenas quando as condições são graves. Isso significa que o fígado não tem capacidade para realizar suas funções normais. Uma maneira de evitar que esse órgão se deteriore ainda mais é mudando a dieta dos gatos para reduzir a demanda de sua digestão. Continue lendo aqui e descubra como alimentar um gato com hepatite.

Como funciona o fígado nos gatos?

O fígado é um dos órgãos mais importantes do corpo do animal, pois está envolvido em diversos processos metabólicos. Se uma estrutura tão essencial sofrer danos, esses animais de estimação começarão a apresentar sinais clínicos graves que devem ser tratados com rapidez. Entre as funções desempenhadas por esse órgão estão as seguintes:

  • Funções digestivas: é responsável pela absorção de vitaminas e gorduras durante o processo digestivo.
  • Desintoxicação e excreção: elimina fármacos e toxinas que podem afetar o organismo.
  • Funções de armazenamento: também serve como um tipo de reservatório que armazena gorduras, vitaminas e alguns minerais.
  • Metabolismo (proteínas, açúcares, gorduras, vitaminas e hormônios): sintetiza e decompõe proteínas, açúcares, gorduras e vitaminas para regular o metabolismo geral. Além disso, ele modula a quantidade de hormônios que viajam pelo sangue.

No momento em que o fígado é afetado por alguma patologia, suas funções são reduzidas ou completamente inibidas. Se esse órgão estiver incapaz de absorver nutrientes ou desintoxicar o corpo, o organismo não conseguirá manter a estabilidade de seu metabolismo e vai se deteriorar.

O fígado de um cachorro.

Quais são as causas da hepatite em gatos?

A hepatite é uma patologia que pode ser causada por vários fatores. É comumente associada a doenças preexistentes que levam à inflamação do fígado. Algumas das causas desse problema são as seguintes:

  • Infecções no fígado: por bactérias, vírus ou protozoários.
  • Pancreatite: inflamação do pâncreas.
  • Doença inflamatória crônica do intestino: essa patologia engloba uma série de disfunções do sistema digestivo que também afetam o fígado.
  • Problemas autoimunes: os anticorpos atacam diretamente o fígado e os dutos biliares, causando inflamação.
  • Peritonite: infecção geral do peritônio que pode afetar outros órgãos.
  • Lipidose hepática: acúmulo de gordura no fígado do felino.
  • Toxinas e medicamentos: a administração de diazepam, tetraciclinas, paracetamol, estanozolol ou metimazol sem supervisão veterinária pode causar insuficiência hepática.
  • Neoplasias: massas anormais no fígado que causam inflamação.

Por que devo cuidar da alimentação de um gato com hepatite?

A inflamação impede o fígado de absorver certos nutrientes. Portanto, alimentos mais difíceis de digerir levam o órgão ao limite, prejudicando ainda mais sua integridade. Por isso, recomenda-se fornecer uma dieta adequada para facilitar o tratamento e a recuperação dos gatos com hepatite.

O que posso dar para um gato com hepatite?

A maioria das doenças hepáticas afeta o apetite do animal. Isso faz com que o gato evite comida ou se recuse a aceitá-la. Apesar disso, não é recomendável forçar o animal a comer, pois pode causar uma maior rejeição à comida. Caso o gato fique sem comer, a melhor opção é levá-lo ao veterinário para receber alimentação por sonda.

É importante notar que a hepatite frequentemente causa desnutrição, então o felino não deve ficar sem comida por mais de um dia. Se você tiver alguma dúvida, consulte o seu veterinário imediatamente para não causar complicações ainda mais graves ao seu animal de estimação.

Em geral, a dieta de gatos com hepatite deve conter entre 30 e 50% de gorduras “boas” (monoinsaturadas e poli-insaturadas) junto com 35% de carboidratos. Além disso, suplementos de vitaminas, minerais e fibras devem ser adicionados para complementar a dieta. Infelizmente, é muito complexo formular um cardápio caseiro que atenda a todos esses requisitos.

Dietas comerciais

Felizmente, existem dietas comerciais destinadas a fornecer todos os nutrientes de que os gatos com hepatite precisam. O benefício dessas rações formuladas é que nada mais precisa ser adicionado à ração. Com elas, você garante que seu animal de estimação receba tudo o que precisa para se recuperar totalmente.

Lembre-se de que você deve consultar um veterinário sobre a melhor opção disponível ao seu alcance. Além disso, antes de modificar a dieta do animal ou comprar um novo alimento, converse com o profissional de saúde animal e discuta se isso é recomendado. Não se esqueça de que durante essa patologia o gato fica fraco, por isso seus cuidados devem aumentar a fim de evitar complicações.

Um gato pode comer arroz?

Como você pode ver, a dieta de gatos com hepatite visa facilitar sua digestão. Graças a isso, o fígado permanece estável para continuar a se recuperar da doença. Lembre-se de que cada caso pode ser diferente, por isso não se esqueça de consultar o veterinário em caso de dúvidas ou alterações na dieta do animal.

Pode interessar a você...
Cuidar de um gato com hepatite
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Cuidar de um gato com hepatite

Os animais podem sofrer de diferentes doenças; neste artigo, vamos falar sobre como cuidar de um gato com hepatite da melhor maneira.



  • Tella, S. K., Tavera, F. J. T., & Mayagoitia, A. L. (2001). Lipidosis hepática idiopática felina. Veterinaria México, 32(2), 109-116.
  • Pérez, E. G. (2007). Entender y tratar la lipidosis hepática felina. Revista complutense de Ciencias Veterinarias, 1(2), 490.
  • Case, L. P., Carey, D. P., & Hirakawa, D. A. (1997). Nutrición canina y felina: manual para profesionales (No. Sirsi) i9788481742466). Madrid, España: Harcourt Brace.
  • Gasca Roa, A. (2020). Guía para el diagnóstico, manejo clínico y terapéutico de pacientes con Lipidosis Hepática Idiopática Felina (Doctoral dissertation, Corporación Universitaria Lasallista).
  • Fermín Rodríguez, M. L., & Puchol de Celis, J. L. (2007). Nutrition in the patient with hepatobiliary disease. Canis et Felis (España).