Como adestrar um gato em casa?

Fevereiro 22, 2018

O gato é um animal curioso, inteligente e indispensável: a sua elegância e magnetismo exercem atração sobre nós e agora, finalmente, temos um em casa. Os primeiros dias de convivência vão ser de aventura para ambos. Assim, apresentamos aqui um guia para você conseguir adestrar o seu felino em casa e ser capaz de criar um elo forte e saudável com ele.

Um gato feliz, um gato que escuta

A chave para uma boa convivência entre um bicho de estimação e seu dono é através do entendimento mútuo. No caso do gato, temos que levar em consideração que a sua maneira de se comunicar varia muito, dependendo do seu humor e das circunstâncias pelas quais esteja passando.

Um cão nunca vai ter nenhum problema em nos dizer o que quer e como quer. Um gato pode ficar estressado ou nervoso sem que seu dono se dê conta disso. A seguir, mostramos uma lista de comportamentos aos quais devemos prestar atenção:

gato brincando com a dona

  • O fato de se esconder ou de rejeitar o contato: todo gato que se preze tem o seu próprio espaço onde se refugiar das contínuas carícias do ser humano, mas também há problemas médicos que podem fazer com que o seu gato não se sinta bem e precise ficar só. Consulte o seu veterinário se suspeitar de que esse seja o caso.
  • Arranhões repetitivos e espalhados por toda a casa. A presença de móveis novos pode alterar a sua percepção do território, que eles costumam demarcar com feromônios. Se você tiver reformado a casa faz pouco tempo ou caso exista um grande número de gatos no local, é possível que seu bichinho esteja estressado ou com ansiedade.

Além disso, é preciso levar em consideração as mostras de felicidade ou de relaxamento: a cauda levantada e em movimento ondulatório, o fato de ele se roçar em você e a vontade de brincar indicam que o nosso gato está saudável e feliz.

Adestramento: táticas e conselhos

Como é de se esperar, nunca podemos ir contra a vontade de um animal de forma que faça algo que bata de frente com os seus instintos ou que seja antinatural. O que sim podemos fazer como donos responsáveis é canalizar a energia e potencializar as habilidades de nosso animal. E é com um estímulo adequado que vamos conseguir obter a reação adequada.

O objetivo é conseguirmos fazer com que o gato associe determinado comportamento à uma ordem ou à ação do seu dono. Quais técnicas podemos ter em mente para chegar a esse ponto na relação com nosso bicho de estimação?

  • Em primeiro lugar, devemos começar pelos reforços positivos. Um prêmio ou presente vão ser o estímulo ideal para o gato. Assim que o comportamento desejado se tornar instintivo, não vamos mais precisar da recompensa. Devemos retirá-la de forma gradual e ir substituindo-a por elogios e carícias. Devemos levar em consideração que o gato tenderá naturalmente a repetir a ação que trouxer consequências positivas.
  • Ser coerente. Isso é essencial. Um animal nunca vai aprender a se comportar da forma desejada se mudarmos de ordem constantemente. Devemos procurar utilizar a mesma frase ou estímulo. Quando ele já puder associar o comportamento desejado com esse estímulo, não vamos ter que repeti-lo de novo.
  • Começar o adestramento o quanto antes. O ideal é começar a educar o nosso bicho de estimação desde filhote, pois ele vai adquirir os conhecimentos mais rapidamente e eles vão ficar mais arraigados nele. Fazer com que ele se acostume com a presença de humanos ao seu redor é essencial.
  • Reforços negativos. Os gatos podem representar um problema para os nossos móveis, plantas e comidas. Nunca devemos agredi-los fisicamente, pois buscamos educá-los. De forma geral, eles vão responder a subidas bruscas do tom da voz (como quando dizemos “NÃO!” ou “FORA!”). Caso não funcione, podemos recorrer a um borrifador de água para dissuadir o nosso gato.
gato brincando

Adestramento com clicker: o que é isso?

O método de adestramento com clicker não utiliza reforços negativos. Ele se baseia na utilização de um pequeno dispositivo de plástico que emite um “clique” quando é pressionado. Esse som é algo estranho para o gato e seu entorno. Graças à sua especificidade, ele poderá associá-lo de forma clara a uma ordem dada.

Cabe destacar que o processo de adestramento com o clicker exige paciência e metas graduais. Em primeiro lugar, devemos familiarizar o nosso bicho de estimação com o som, e em seguida, dar-lhe algum prêmio ou recompensa que lhe faça perceber que merece a sua atenção.

Estes são alguns conselhos para que esse dispositivo seja eficaz:

  • O “clique” deve ser produzido na hora que ele apresentar o comportamento desejado, não depois.
  • Só deve ser produzido o “clique” uma vez por comportamento. Vários “cliques” poderão confundir o gato.
  • Começar com pequenas ações que o gato já seja capaz de fazer por conta própria, como se sentar ou responder ao chamado do dono.
Recomendados para você