Cuidados básicos com uma serpente

· maio 14, 2018

Um número crescente de pessoas, inclusive crianças, se interessa em criar uma cobra como animal de estimação exótico. É preciso evitar que essa moda seja perigosa para humanos e animais. Por isso resumimos aqui os cuidados básicos com uma serpente.

Posse legal e responsável

Nunca é tarde para lembrar que muitos animais não são permitidos como animais de estimação. Em muitos países, existe uma lista detalhada de espécies exóticas consideradas ilegais. Por isso, recomendamos consultá-la antes de escolher uma serpente apenas por sua aparência.

Também é necessário esclarecer que a criação em cativeiro de espécies em risco de extinção é ilegal. O proprietário pode sofrer sérias sanções econômicas e penas legais.

Por isso, é fundamental ter certeza sobre a origem do animal e escolher conscientemente onde adquiri-lo. Não se recomenda negociar com pessoas ou lojas sem registro reconhecido pelo órgão competente.

Cobras de estimação

Fonte: Victoria Achkasova

É preciso dizer que não se recomenda criar animais venenosos em casa? A posse de serpentes venenosas também não é permitida no Brasil. O risco de um acidente doméstico é muito alto, principalmente quando há crianças no lar.

O que levar em conta antes de escolher uma serpente como animal de estimação?

O termo “serpente” é popularmente utilizado para denominar diversas espécies dessa família de répteis.

Existem serpentes de 5 metros e outras de 20 centímetros. Deve-se escolher uma espécie que se adapte ao espaço disponível na casa. Todos os animais podem se tornar agressivos ou adoecer se forem criados em um habitat desfavorável.

Depois, vem a sociabilidade e facilidade de domesticação. De maneira parecida com os cães, há serpentes que se adaptam melhor à convivência humana do que outras.

Os principiantes na criação de serpentes devem optar por espécies menores de 2 metros, com maior facilidade de manipulação e domesticação. Lidar com serpentes de grande porte e ariscas requer muito conhecimento e prática.

Outro aspecto importante é o financeiro. As serpentes podem acabar sendo animais de estimação caros. A começar pelo custo de adquirir uma serpente de forma legal em uma loja de animais exóticos. E os gastos seguem elevados com a atenção veterinária especializada durante toda a vida.

Um último aspecto importante: os répteis são animais muito independentes. É por isso que conseguem sobreviver no mundo selvagem. Isso significa que não se deve comprar uma serpente esperando que ela peça carinhos ou faça mimos, apesar de algumas espécies já estarem demonstrando afeto pelos seus.

Cuidados básicos com uma serpente: o terrário ideal

O primeiro dos cuidados básicos com uma serpente consiste em preparar o habitat. Isso significa reproduzir as ótimas condições para o desenvolvimento saudável da espécie.

Tudo começa por escolher o terrário adequado para sua serpente. Sob nenhuma circunstância se recomenda deixá-la solta pela casa. Pode ser um risco para a saúde do animal e dos demais a seu redor.

As serpentes adultas podem alcançar mais de 5 metros de comprimento. No entanto, um animal “bebê” geralmente tem só alguns centímetros. Isso significa que o terrário deve estar preparado para o crescimento rápido.

A maioria das espécies necessita de uma pequena piscina ou banheira para se refrescar, se hidratar e respeitar seus costumes naturais.

Algumas espécies também precisam de ramos para se enrolarem como se fosse em seu habitat natural.

É fundamental não descuidar da higiene do terrário. Uma limpeza completa deve ser feita de 1 a 2 vezes por semana. Já a água deve ser trocada diariamente.

O clima adequado para sua serpente doméstica

As serpentes são répteis de sangue frio. Por isso, utilizam o calor e a luz externa para regular sua temperatura corporal.

Os cuidados básicos com uma serpente em relação ao clima variam de acordo com a espécie. As serpentes de clima temperado são as únicas que hibernam durante o inverno.

Como regra geral, a temperatura do terrário deve estar entre 26ºC e 32ºC durante o dia. Com a chegada da noite, deve se refrescar suavemente, ficando entre 24ºC e 29ºC.

serpente

As serpentes de climas tropicais não hibernam e mantêm sua alimentação e atividades regulares durante todo o ano. Mas necessitam de um microclima específico quando são criadas em cativeiro.

Devem contar uma umidade elevada do ar (cerca de 70%). As temperaturas não podem ser inferiores a 30ºC no verão e 25ºC no inverno. A incidência de luz deve estar presente de 10 a 12 horas por dia.

A alimentação: fator chave para os cuidados básicos com uma serpente

A dieta equilibrada de uma serpente se baseia em um elevado nível de proteína animal.

A maioria das espécies se alimenta ratos, pequenos mamíferos e aves (vivos). Mas algumas preferem comer insetos, crustáceos, pescados e caracóis. Essas últimas são mais fáceis de criar e nutrir em cativeiro e mais indicadas para os principiantes.

Os cuidados básicos com uma serpente também devem incluir uma ou duas visitas anuais a um veterinário especializado. Os répteis também requerem atenção e procedimentos preventivos. 

Fonte da imagem principal: muffinn