Dicas para andar de bicicleta com o seu cão

março 29, 2017

Nossos cachorros precisam praticar exercícios. Isso é muito importante para a saúde e o desenvolvimento do animal. Mas às vezes pode ser difícil encontrar uma atividade adequada para eles. Uma das mais interessantes é passear de bicicleta com o cão ao nosso lado.

No entanto, é necessário estabelecer  algumas regras para que que a atividade seja feita com segurança tanto para nós como para nosso cão. Confira os passos a seguir antes de andar de bicicleta com o seu peludo.

Tudo o que você precisa saber para pedalar com o seu cão

A primeira coisa que você deve fazer antes mesmo de pensar em passear de bicicleta com o seu cão é ir ao veterinário. Peça a ele exames para verificar se o seu animal de estimação está em apto para realizar uma atividade física como essa.

É possível que o seu cão não esteja em boa forma e o melhor seja diminuir a duração dos passeios. O veterinário também pode indicar a prática de alguma atividade física por alguns meses até que o seu peludo esteja pronto para acompanhá-lo em suas aventuras de bicicleta.

Se o seu cachorro tiver menos de um ano de idade ou pesar menos de 5 quilos, esqueça, ele não está apto para passeios de bicicleta. Vejamos o que mais você deve fazer:

exercício cachorro

Prepare-se

Uma pessoa prevenida vale por duas, já dizia o ditado. Por isso, não suba na bicicleta sem capacete, joelheiras e um colete refletor que permita que os automóveis vejam ambos, você e seu cão.

Também não se esqueça de levar água para você e para o seu animal de estimação. Leve também o seu celular, documentos de identificação e a bomba de ar caso o pneu murche.

Prepare o seu bicho de estimação

Não é fácil ensinar um cão a permanecer próximo de uma bicicleta sem se jogar entre as rodas ou se lançar na frente de um carro. Embora muitos donos optem por prender o animal com uma coleira e até amarrá-la na bicicleta, essa não é a melhor opção. A coleira pode se enroscar na bicicleta e até enforcar o animal.

O ideal é que você conte com equipamentos adequados para a ocasião. Você pode utilizar, por exemplo, uma coleira acolchoada e não muito longa para que o cão não se aproxime dos automóveis. Além disso, ela deverá ir atada a um suporte fixado na bicicleta.

Se você puder, compre uma coleira com refletores para que o seu cachorro seja visível a todos e evite atropelamentos. Se não encontrar um modelo assim, existem colares com luzes intermitentes que cumprem a mesma função.

Avalie a compra de um pequeno trailer para bicicletas. Se você gosta de longas caminhadas, talvez o seu cão não esteja tão disposto fisicamente na hora de voltar para casa e necessite ser carregado. Carregá-lo nos braços é muito perigoso e um pequeno reboque pode resolver o problema.

Treine o cão

Como já comentamos antes, o cão pode facilmente deixar de te seguir ou correr para o outro lado. Por isso, é muito importante ensiná-lo a andar junto da bicicleta.

O primeiro passo a ser tomado caso o animal não esteja acostumado a andar de bicicleta é habituá-lo a ela. Coloque a bicicleta no chão e deixe o cão farejá-la e explorá-la. Em seguida, vá junto com ele para que se sinta mais confortável. Se fizer carícias enquanto está junto da bicicleta, o animal irá relacioná-la com algo positivo.

Enquanto saem para os passeios normais, leve a bicicleta, mas não suba ainda. Monte nela de vez em quando e em trajetos curtos para ver como o animal reage e para ajudá-lo a se acostumar.

Ensine ordens

passeio cachorro

É imprescindível, antes de sair para longos passeios de bicicleta, que o seu animal já saiba obedecer a comandos básicos, como parar, correr, seguir, girar ou deixar algo que ele tenha pego.

Essas são ordens que ele deverá aprender antes dos passeios.

Escolha um bom lugar

Busque um ambiente tranquilo e pouco frequentado para que os perigos sejam os menores possíveis. A calçada deve estar em boas condições, plana e sem muitos buracos. Embora você queria andar de bicicleta pelas montanhas, esse cenário não será o ideal para que o seu cachorro comece esse exercício.

E por último, não corra muito. Vá devagar e aumente a velocidade aos poucos de acordo com as reações do seu peludo.