Emergências veterinárias em período de quarentena

março 26, 2020
As emergências veterinárias estão entre as exceções em tempos de quarentena. Buscar atendimento nesses casos é a coisa certa a fazer.

As emergências veterinárias nunca são agendadas. Elas podem surgir a qualquer momento, com ou sem status de alarme. Se você é guardião de um animal, deve estar preparado e conhecer as diretrizes para evitar violar as regras e ser penalizado durante o período de quarentena.

Abaixo, falaremos mais sobre esse tópico e daremos alguns conselhos, mas é claro que não temos nenhuma intenção de substituir os profissionais veterinários, que sempre devem ser consultados.

Assim como os passeios com os animais de estimação, uma consulta veterinária pode ser legítima, apesar da quarentena. No entanto, em muitas ocasiões, decidir quando a consulta é urgente e quando não é pode ser difícil para nós. Você deve prestar atenção no que as autoridades publicam nas suas redes sociais.

Atendimento para emergências veterinárias

O sistema de classificação, com base na gravidade do estado de saúde do paciente, é chamado de triagem. Este sistema provou ser muito eficaz e serve para priorizar casos em que o risco de vida do paciente é real. Dessa forma, os veterinários garantem o atendimento de pacientes cuja saúde está em maior risco.

Gato sendo examinado

Por esse motivo, quando uma pessoa chega ao pronto-socorro devido a dores nas costas, pode levar até três horas para ser atendida. Embora possa parecer desesperador, há uma boa razão por trás desse tempo de espera.

Com base nesses critérios, o paciente pode ser dividido em 5 níveis:

5. Sem urgência: a vida do paciente não apresenta nenhum tipo de risco; é apenas um problema pequeno. Por exemplo, dores musculares.

4. Menor urgência: a princípio, não há risco vital para o paciente. Exemplo: gastroenterite.

3. Urgência: existe perigo para o paciente, mas há estabilidade. Exemplo: um membro quebrado.

2. Urgência com risco de vida: o paciente precisa de estabilização porque há um perigo crítico para a sua saúde. Uma perda maciça de sangue devido, por exemplo, a um corte profundo.

1. Reanimação: prioridade absoluta, falha dos sinais vitais. Exemplo: um ataque cardíaco.

Este é, de um modo geral, o sistema de classificação do estado de saúde dos pacientes e os critérios para a tomada de decisão em atendimento de urgência.

Qual nível requer atenção veterinária imediata em período de quarentena?

Em geral, os níveis 1, 2 e 3 são aqueles que requerem atenção veterinária. Em certas ocasiões, um nível 4 pode exigir atenção veterinária.

Um nível 5 nunca exigirá atenção urgente; por esse motivo, não deve ser motivo de consulta, exceto por uma recomendação veterinária específica.

Devo levar o animal ao veterinário ou não?

Como guardiões, pode ser difícil para nós, em certas ocasiões, discernir se existe um perigo real para a saúde dos nossos animais de estimação. Em caso de dúvida, devemos sempre entrar em contato com um veterinário de confiança. O profissional será o único a decidir, com base nas informações fornecidas, se o animal precisa de cuidados urgentes ou não.

A seguir, veremos algumas situações que podem surgir e se elas representam ou não um problema urgente.

Situações não urgentes

Em geral, podemos incluir problemas de pele, como alopecia ou acne, como não urgentes. Esses processos são bastante comuns nos animais de estimação e não representam um sério problema de saúde.

Outra situação comum consiste em animais com sintomas respiratórios, como tosse ou espirro. Esses sintomas, desde que não durem muito tempo, também não costumam ser considerados urgentes.

Hoje em dia, a diarreia está se tornando comum. Talvez porque passamos mais tempo em casa e temos uma tendência maior a nos divertir dando qualquer coisa aos animais de estimação, como biscoitos e snacks.

Com poucas exceções, como cães idosos, filhotes ou cães com qualquer patologia associada ou diarreia prolongada, esse sintoma não é motivo de urgência. Ele costuma se resolver sozinho depois de alguns dias.

Situações de emergências veterinárias ou com motivo justificado para consulta

Como motivos da consulta obrigatória para emergências veterinárias, qualquer situação em que haja um risco real para o animal pode ser incluída. Por exemplo:

  • Processos gastrointestinais graves: diarreia com duração de vários dias, diarreia com vômito ou letargia podem ser motivos para levar o animal a uma emergência.
  • Acidentes: um acidente é sempre um motivo para levar o animal ao veterinário. Por exemplo, um pequeno corte deve ser avaliado e desinfetado adequadamente, além de exigir medidas preventivas contra o tétano.
  • Ingestão/envenenamento por corpo estranho: devido à atividade física reduzida, muitos animais de estimação podem desenvolver comportamentos anormais como resultado do estresse. Esse estado pode levar à ingestão de objetos não comestíveis.
Cachorro prestes a fazer cirurgia

  • Desmaio: mesmo que momentâneo, um desmaio temporário ou perda de consciência é sempre um motivo de emergência veterinária. Esta situação requer uma avaliação correta do estado de saúde do animal e tratamento subsequente, se necessário.
  • Febre/letargia: se o animal estiver abatido, ou se você notar que ele está com febre, deve levá-lo para uma consulta, principalmente se essa situação durar mais de um dia.

Essas são algumas das situações mais comuns que podem ocorrer nesses dias de quarentena, mas existem muitas outras.

Mais uma vez lembramos que, em qualquer situação, o mais recomendável é entrar em contato com o veterinário e seguir as suas instruções ao proceder a possíveis consultas de emergências.