Estresse em gatos durante o confinamento

maio 20, 2020
Os gatos são animais muito sensíveis às mudanças no ambiente, o que pode causar estresse e desconforto. É necessário identificar os sinais emocionais do felino para corrigir situações estressantes.

Não é comum que um gato saia passear com seu dono, mas certamente você notou uma mudança na rotina do seu bichinho agora que a casa nunca fica vazia por causa da quarentena. Com mais tempo livre para se dedicar ao seu animal de estimação, agora pode ser um bom momento para aproveitar e melhorar o espaço disponível em casa. Aqui vamos te dar algumas dicas para prevenir o estresse em gatos.

Como identificar o estresse em gatos?

Em primeiro lugar, o estresse em gatos pode causar problemas de saúde: afeta o sistema imunológico e pode levar a distúrbios alimentares e alopecias.

Um gato estressado pode ficar muito reativo, nervoso e agitado. Seu comportamento normal pode mudar, arranhando lugares que antes não arranhava, fazendo suas necessidades fora da caixa de areia, marcando território, realizando comportamentos compulsivos e vocalizações excessivas, apresentando e hiperatividade, entre outros sintomas.

A posição do corpo, as orelhas, o tamanho das pupilas, os bigodes e a cauda são indicativos do estado de espírito do animal. Portanto, esses sinais podem dar indicações sobre o nível de estresse dele.

Gato estressando miando
Interpretar as emoções de desconforto nos mamíferos é simples, pois nós temos muitos músculos faciais que revelam nosso humor.

Um gato frustrado ou ansioso fica com as pupilas dilatadas, as orelhas e os bigodes ficam apontados para frente, o corpo fica tenso e encolhido com a cauda imóvel ou sua ponta se movendo de um lado para o outro. Além disso, ele também pode ficar miando constantemente e andando de um lado para o outro repetidamente. Esses movimentos repetidos são chamados de estereotipias.

Se você notar algum desses sinais por um longo tempo, a primeira coisa a fazer é descartar um possível problema de saúde com o veterinário. Depois de garantir que essa mudança de comportamento não esconde nenhuma patologia, tente descobrir o que pode estar causando estresse no seu bichinho para eliminar a causa e começar a tratar o problema.

Causas de estresse em gatos

A seguir, listamos as causas mais comuns de estresse em gatos domésticos:

  • Mudanças durante o confinamento. Uma casa habitada 24 horas por dia é uma situação nova à qual o felino não está acostumado. Embora o animal goste da companhia humana, é importante permitir que ele tenha seu espaço, pois os gatos são animais muito independentes e, quando quiserem atenção, vão pedir.
  • Pouco enriquecimento ambiental. Esse problema é comum em muitas casas com gatos. A falta de estímulo causa estresse em animais domésticos. É importante, portanto, satisfazer todas as necessidades físicas e mentais do felino para manter o animal saudável e feliz: um arranhador adequado, brinquedos para ativar o instinto de caça e a prática de exercícios ou uma janela para olhar a rua são alguns dos elementos que enriquecem seu ambiente.
  • Recursos insuficientes. Esse problema ocorre em casas onde mais de um gato convivem. Se não houver recursos suficientes para ambos os animais, podem surgir problemas de competição entre si ou pela atenção dos donos. O ideal, portanto, é ter brinquedos, comedouros, bebedouros, locais de descanso e arranhadores suficientes para ambos. Em relação às caixas de areia, é aconselhável ter uma para cada gato que houver na casa, além de mais uma adicional.
Brandeiras: combater o estresse em gatos

Como evitar o estresse em gatos?

Eliminar a causa do estresse é a melhor solução para melhorar a vida do felino, mas também existem alguns truques que você pode colocar em prática enquanto tenta identificar a origem do problema:

  • Incentive as brincadeiras. É uma boa maneira de manter o felino em forma e, paralelamente, passar um tempo junto com seu bichinho.
  • Aumente o enriquecimento ambiental. Com novos locais de refúgio (você pode espalhar algumas caixas de papelão, que os gatos os adoram), arranhadores de várias alturas bem firmes no chão ou acesso a uma janela (sempre protegida para evitar quedas).
  • Use feromônios calmantes. São comercializados em um difusor que fica ligado na tomada e existem vários tipos: de relaxamento, para reduzir conflitos e para redirecionar os arranhões.

Se não for resolvido, o estresse em gatos pode se tornar crônico com o tempo, causando graves problemas de saúde. Como donos, precisamos considerar que são animais caçadores que ficam muito ativos em determinados momentos do dia. Portanto, é importante destacar que os gatos precisam de estímulos suficientes em suas vidas diárias, não apenas durante a quarentena.