Você deveria fazer um seguro para o seu cão?

· agosto 2, 2018
Embora seja verdade que existem algumas raças que são considerar potencialmente perigosas, e que em tal caso os proprietários devem contratar um seguro, há uma série de razões pelas quais pode ser conveniente ter um.

Você deveria fazer um seguro para o seu cão?

Você já deve ter ouvido falar sobre seguros para cães, mas você pode pensar que isso só é necessário se o seu cão é de uma raça potencialmente perigosa. É verdade que, nesses casos, é obrigatório, mas isso não impede que qualquer pessoa que queira assegurar seu animal de estimação não possa fazê-lo. Se você está se perguntando se você deveria fazer um seguro para o seu cão, leia a informação a seguir.

Um seguro para o seu cão, por quê?

A lei diz que somos responsáveis ​​por nossos animais de estimação e que, portanto, temos que ‘pagar’ de uma forma ou de outra pelos danos que eles causam à propriedade de outras pessoas ou a outras pessoas ou, ainda, a outros animais de estimação.

É possível que você conheça bem seu animal de estimação ou sua raça, e que você seja um daqueles que acreditam que não há perigo.

Isso pode ser assim ou pode não ser. Há um ditado que diz que “sob opressão até um homem sábio age como um louco”.

Pode seu que cão tenha que enfrentar uma situação desesperada que o leve a morder um animal de estimação, uma criança ou a outra pessoa.

A verdade é que um seguro para o seu cão não custa muito por ano e poderá evitar muitos problemas. 

Isso é algo a se considerar, também levando em conta outros fatores.

rottweiler

 

O que levar em conta?

Por exemplo, a obrigação de ter um cão assegurado ou não, é suportada por órgãos estaduais, municipais ou federais, dependendo de cada país.

Isto é, se um órgão oficial exige que certos cães ou todos os cães tenham um seguro, não há outra lei que o isente disso.

É importante que você se informe no lugar onde mora, para saber se deve ou não assegurar seu cão.

Por exemplo, na Espanha, mesmo que o seu cão não seja de uma raça potencialmente perigosa, mas pese mais de 20 quilos, o proprietário tem a obrigação de assegurá-lo.

Além disso, deverá garantir, no caso de contratar um seguro, que o valor da responsabilidade civil esteja em harmonia com o estipulado pela Lei da Comunidade Autônoma em que reside.

Em muitos países, o seguro, cada vez mais, é um requisito adicional para a posse responsável de animais, pois é uma maneira de evitar grandes problemas.

Comparar preços

Se você já decidiu que é melhor deixar seu cão assegurado, mesmo que não seja obrigatório, é importante comparar os preços.

O preço médio de um seguro para animais de estimação varia muito, embora você saiba que as seguradoras lutam para conquistar clientes e você pode conseguir bons descontos se souber negociar.

Você também poderá se informar, se você já tem um seguro residencial, se ele cobre o seu animal de estimação e que tipo de cobertura oferece, caso algo aconteça.

Além disso, o valor seria incluído no custo de seu seguro e não seria uma despesa extra.

Cães potencialmente perigosos

Outro aspecto a ser levado em conta é o preço do cão. Sim, você sabe que não gostamos de misturar dinheiro e animais, mas neste caso é necessário.

Muitas raças de cães custam muito dinheiro, e este tipo de seguro cobriria seu valor econômico total, obviamente, no caso de ele ter se perdido, roubado ou ter sofrido um acidente.

Além disso, eles cobrirão seus tratamentos veterinários e permanecerão em residências caninas.

No caso das raças potencialmente perigosas, como já dissemos no início, este seguro é obrigatório na maioria dos países. 

Quando você for contratá-lo, a seguradora verificará se você atende a determinados requisitos, tais como:

  • Tem idade legal.
  • Não tem antecedentes criminais.
  • Capacidade física e psicológica para cuidar de um cachorro com essas características.
  • Você terá que contratar seguro para danos a terceiros com um valor mínimo estipulado por cada seguradora.

Afinal, você sabe que ter um animal tem uma série de responsabilidades e, em determinadas situações, você é quem deverá responder por ele e por seus atos.

Portanto, um seguro para o seu cão poderá cobrir muitos gastos emergenciais e não lhe custará muito dinheiro. É melhor prevenir do que remediar, você não acha?