Gravidez psicológica em animais de estimação

agosto 9, 2018
Este distúrbio, que ocorre em animais de estimação, não tem uma causa específica; no entanto, as fêmeas que nunca deram à luz estão muito mais vulneráveis ​​à chamada "pseudogestação".

A também chamada ‘pseudogestação’, é um desequilíbrio que fêmeas não esterilizadas podem apresentar alguns meses após o cio. A gravidez psicológica em animais de estimação é bastante comum e alguns deles até apresentam todos os sintomas da gravidez. Saiba mais sobre isso no artigo a seguir.

O que é a gravidez psicológica em animais de estimação?

Embora possa parecer estranho, o fato é que uma em cada duas cadelas experimentam uma gravidez psicológica em suas vidas. Este fenômeno ocorre por razões de sobrevivência e vem do ancestral selvagem dos cães: os lobos.

A fêmea dominante do grupo é a única que pode se reproduzir; mas as outras (de status inferior no grupo) não podem mudar sua natureza e seu cio. Portanto, uma vez que a superior dá à luz a seus filhotes; elas cuidam deles e até os amamentam. É isso mesmo, elas podem produzir leite sem ter dado à luz.

A semelhança com a mãe real é tal que os filhotes nem sempre sabem quem ela é. Esses mecanismos foram “repassados” para as cadelas; que não mudaram após anos de treinamento e domesticação.

Não há causas específicas pelas quais a gravidez psicológica ocorre em animais de estimação. Sabe-se que aquelas fêmeas que nunca procriaram estão mais vulneráveis ​​a sofrer desse transtorno.

Para entender um pouco como esta pseudogestação aparece, teríamos que falar sobre a reprodução dos mamíferos. Após a ovulação; um cisto chamado corpo lúteo aparece no ovário. Se ocorrer fertilização, será responsável pela manutenção da gravidez. Já do contrário, se não houver gravidez; ele desaparece.

cadela prenha

Nas fêmeas com gravidez psicológica, o cisto permanece ativo e estimula todo o mecanismo da gravidez. É por isso que elas apresentam todos os sintomas de uma gravidez.

Gravidez psicológica em animais de estimação: como detectá-la

Existem várias mudanças a nível físico e comportamental nas fêmeas para determinar que é uma pseudogestação. Os primeiros são geralmente evidentes e podemos destacar o seguinte:

  • Abaulamento do abdômen
  • Inchaço das mamas
  • Produção de leite
  • Aumento de peso
  • Secreção vulvar

Em relação às mudanças em seu comportamento e hábitos; também podemos encontrar alguns sinais de que nosso animal de estimação está tendo uma gravidez “fictícia”:

  • Alterações no apetite (inapetência ou gula)
  • Lamentação constante
  • Nervosismo
  • Personalidade insegura, medo e às vezes agressividade
  • Comportamento mais carinhoso ou ‘ligado’ aos seus donos

Sem dúvida, uma das formas mais comuns de perceber que nossa cadelinha tem uma gravidez psicológica é ver como ela “cuida” de seus brinquedos. Ela pode levá-los para a cama e ser agressiva se alguém quiser pegá-los, poderá colocá-los perto das mamas, cobri-los com cobertores, etc. Também é provável que ela se refugie em lugares quentes e confortáveis; como se estivesse preparando o lugar certo para dar à luz.

cadela Labradora prenha

É possível tratar a gravidez psicológica em animais de estimação?

Depois de ter identificado que seu animal de estimação tem uma pseudogestação, através de suas mudanças físicas ou comportamentais; o próximo passo é avaliar a intensidade desse desequilíbrio. Claro que devemos levá-la ao veterinário para ele nos dizer se é algo fictício ou não. Através de um ultrassom, o profissional irá verificar isso instantaneamente.

Nos casos mais leves, pode ser suficiente esconder os brinquedos que o animal utiliza como ‘filhos’ ou entretê-la para que não realize suas tarefas maternas. Às vezes; o veterinário pode indicar algumas mudanças em sua dieta, como a redução de carboidratos. Alguns médicos, inclusive, recomendam tratamentos homeopáticos.

Há casos mais graves em que é necessário administrar hormônios antiprolactina que impedem a produção de leite. É bom saber que, se esse líquido não sair das mamas (como acontece quando os filhotes são alimentados), o animal poderá sofrer de mastite no futuro.

se a sua cadela apresentar o problema regularmente, a melhor maneira de tratá-la é esterilizá-la. Assim, além disso, gravidezes indesejadas, tumores de mama, câncer uterino ou infecções no sistema reprodutivo serão evitados.

Recomendados para você