Não ao embargo de animais de estimação

Tratar os animais como objetos é algo que parece não ter fim. E isso apesar dos estudos que já demonstraram que eles têm sentimentos e da manifestação evidente de que nós desenvolvemos sentimentos por eles. Mas ainda há pessoas que não os veem como o que são: seres vivos que podem sentir. Por isso, falaremos hoje do embargo de animais de estimação.

Na Espanha, estipulou-se que os animais de estimação podem ser embargados se estes tiverem um valor econômico. Um motivo a mais para fomentar a adoção de cães sem raça.

Foi aprovado o embargo de um animal de estimação

musica-para-os-gatos

Tudo começou com o caso de um senhor que devia muito dinheiro e não tinha como pagar. Começaram a bloquear suas contas correntes e a embargar sua casa, seu carro, seus móveis e até seu cão! Um cão de raça pura que ele tinha comprado antes de saber que aos peludos não se compra, mas sim se adota.

Pois bem, quando ele reclamou a respeito disso, alegando que o cão não era um objeto de sua posse, mas sim um membro a mais da família, o juiz opinou a favor de seus credores. Isso serviria como precedente ao embargo de animais de estimação.

Obviamente, isto não diz respeito a qualquer animal. Apenas se embargariam animais de estimação que tivessem um alto valor econômico, como os de raça pura. Segundo o decreto que permite este ato, os animais são chamados de semoventes e o decreto os coloca na mesma categoria dos móveis de uma residência!

Sem dúvida, esta é uma forma cruel de tratar os muitos animais que serão obrigados, sem serem responsáveis pelos atos de seus donos, a se separarem de suas famílias. Eles serão vendidos a outras pessoas sem saberem o que a vida os reserva.

Por outro lado, humilha e machuca as pessoas que ficam sem um ser que influi enormemente na felicidade e saúde emocional delas.

Os animais de estimação não são os únicos incluídos neste decreto. Além deles, os animais de fazenda também podem ser embargados.

Os animais têm sentimentos?

Este foi um tema de debate ao longo dos anos. Diversos estudos demonstraram uma verdade iminente: sim, os animais têm sentimentos.

Devido ao terror que muitos animais causam ao homem, muitas pessoas chegaram a pensar que eles tão somente se deixam levar pelo instinto. Acreditam que não têm nenhuma capacidade de sentir. Entretanto, conviver com animais de estimação nos ajuda muito a avançar para uma resposta diferente.

Os animais de estimação têm demonstrado durante os anos de convivência com o ser humano diferentes tipos de sentimentos. Estes são os mais comuns:

cao-com-medo-dos-raios

  • Amor. Seu animal de estimação lhe demonstra isso diariamente, isto é um fato inegável. Quando você chega em casa, quando está doente, quando chora ou quando sai de casa… A expressão e os gestos deles dizem muito mais do que as palavras que nós podemos proferir.
  • Tristeza. Foram muitas as histórias que já lhe contamos sobre animais que não quiseram se separar das tumbas de seus donos. Por acaso essa não é uma forma de demonstrar tristeza, amor e lealdade? Não são sentimentos?
  • Medo. Os animais sentem medo. E infelizmente, sentem medo de nós. Por isso, em muitas ocasiões, os animais selvagens procuram nos atacar. Não se engane, não somos nós quem têm medo deles, são eles que têm medo de nós.

Estes são apenas alguns sentimentos que os nossos animais de estimação nos demonstram dia a dia. E isso sem contar a lealdade e a empatia deles, que não têm limites.

Portanto, embora em Meus Animais nunca nos coloquemos de um lado ou de outro diante de disputas, quando se trata de proteger os animais, não podemos ficar passivos. Nós estamos a favor do NÃO embargo dos animais, porque se embarga os bens e as posses de uma pessoa, e um animal não é nenhuma das duas coisas. Um animal é um membro da família, um amigo para a vida toda dele ou nossa.

Recomendados para você