O meu animal de estimação é agressivo. O que eu posso fazer?

· julho 23, 2017

Quando nos dão de presente um belo cãozinho, o adotamos imediatamente e nos apaixonamos perdidamente por ele. Nesse momento, começa uma longa amizade que durará por muito tempo. Mas o cãozinho cresce e começa a atacar os outros cães, crianças e, inclusive, pessoas adultas. Logo surgem as dúvidas a respeito de sua possível agressividade.

Se um cão doméstico começa a demonstrar comportamentos agressivos, sua família alerta você, os vizinhos olham de lado e as reclamações começam a chegar aos seus ouvidos. Mas por mais que digam, não há motivo para colocar o seu leal animal de estimação no olho da rua. O que, sim, é óbvio, é que você deve tomar as rédeas da situação.

A boa notícia é que existe um conjunto de técnicas úteis para adestrar seu animal de estimação em relação a sua agressividade, para que controle os comportamentos agressivos dele, não importa qual seja sua raça.

Estudando a agressividade de seu animal de estimação

Se o seu cãozinho se mostrar agressivo, a primeira coisa que você deve fazer é analisar como começaram os surtos de raiva. Existem animais que são propensos a atacar crianças pequenas quando elas se aproximam de repente. Outros desenvolvem simples rixas com outros cães, ou simplesmente caçam outras espécies, como gatos, ratos ou insetos.

Identificar as condições externas sob as quais seu animal age de forma exagerada é o começo da solução do problema. Tendo essa informação, você poderá tomar precauções e evitará repetir os padrões que podem colocar o seu cão em uma situação tensa. Você deve lidar com o entorno onde ele se encontra!

Socializá-lo cedo

Às vezes, os cães demonstram atitudes agressivas como consequência do seu isolamento social. Por isso, é fundamental que, entre os 2 e os 4 meses de vida, você comece a socializá-lo com outros cães e seres humanos. Uma maior relação social se traduz em adaptação e equilíbrio mental.

Além disso, deixar seu amigo animal de estimação brincar com outras da espécie dele lhe ajudará a inibir a mordida. Toda vez que ele morder inconscientemente seu amigo de brincadeiras, ele vai se afastar e a rejeição momentânea lhe ensinará a controlar suas ações. Para finalizar, você deve mostrar sua insatisfação com suas brincadeiras agressivas, mas premiá-lo quando for mais delicado.

Trabalhar a obediência profunda

Um cão que agride simplesmente está reagindo sem obedecer. Os especialistas afirmam que esses tipos de cães agressivos sofrem distúrbios mentais cuja origem está na falta de liderança e de regras claras. Isso significa que você tem que se esforçar para ser um verdadeiro líder do seu animal de estimação e condicionar seu caráter para que ele faça o que você considerar o certo.

Um excelente exercício é coordenar os movimentos dele por meio do uso da correia. Adestre-o para que ande na mesma velocidade que você. Dedicar tempo ao ensinamento de alguns truques é outro método para você fortalecer sua autoridade diante dele.

Ensine-o a soltar a mordida

Como você já deve saber, os cachorros são capazes de reconhecer algumas ordens verbais que seus donos lhes dão. Se forem bem adestrados, eles serão capazes de obedecer a vozes de comando como o som “vem”, “sentado” e “ataca”.

Os brinquedos de morder são ótimos instrumentos para abordar esse tipo de exercício. O que você terá que fazer é se sentar por um tempinho com ele para brincar e, toda vez que ele morder com agressividade o brinquedo, você deverá dar a ordem para que ele o solte, tratando tirar pouco a pouco o objeto de sua boca. Enquanto você fizer isso, repita para o seu cachorro a palavra “solta”.

Com o tempo, seu animal de estimação entenderá que nem tudo na vida é morder e que você não quer o cão mordendo tudo o que chega à boca dele. Ele vai moderar a mordida, controlará os impulsos e você poderá evitar uma desgraça, no caso dele chegar a usar as mandíbulas de forma errada.

Faça-o gastar energia

Se um cão passa muito tempo em lugares fechados e sem correr, é muito provável que se estresse e desenvolva comportamentos violentos. O sedentarismo é um dos principais causadores da violência canina.

Ao invés de levar o seu animal de estimação para passear por dez minutos por dia e com pressa, é preciso buscar mais tempo para a socialização e atividades físicas de qualidade. Leve-o para dar longas caminhadas, brinque com ele de pegar a bola e se certifique de que volte muito cansado para casa depois dessa atividade. O exercício físico e o cansaço são duas etapas fundamentais para a formação do seu equilíbrio emocional.

Por último, você deve entender que um cão é o reflexo de seu dono. Se você bate nele demais ou se não o adestra com disciplina, os resultados serão potencialmente catastróficos. Sempre devemos lembrar que violência gera violência.