O que você deve saber sobre a insuficiência renal em gatos idosos

O que você deve saber sobre a insuficiência renal em gatos idosos

Última atualização: 23 Dezembro, 2017

A insuficiência renal em gatos é uma doença progressiva e silenciosa que afeta um a cada três bichanos idosos de 10 anos, e mais da metade dos que ultrapassam os 15 anos. Também conhecida como falha renal, provoca uma deterioração gradual dos rins que costuma se manifestar quando o dano já é irreversível.

Um inimigo silencioso que espreita os bichanos idosos

Como em toda doença silenciosa, os sinais são inespecíficos. E, lamentavelmente, quando aparecem sinais relativamente mais claros, a deterioração da função renal já costuma ser preocupante. Nesse momento, já estão afetados 75% dos rins.

Ante este panorama, a única opção para detectar a tempo a insuficiência renal em gatos é realizar no animal exames periódicos de sangue e de urina, a partir de 8 anos de vida.

Desta maneira, podem ser obtidos melhores resultados quanto à qualidade e à expectativa de vida do bichano.

A insuficiência renal é uma doença comum em gatos idosos de 10 anos.
Seus sinais só se manifestam quando os rins já estão muito afetados

Sinais tardios e inespecíficos que indicam falha renal nos felinos domésticos

Ainda que os sinais de insuficiência renal em gatos possam passar desapercebidos, ou confundirem-se com os de outras doenças, consulte o veterinário se seu animal de estimação:

  • Apresentar uma progressiva diminuição de peso
  • Perder o apetite
  • Beber mais água do que o habitual
  • Urinar muito
  • Vomitar

Nas etapas finais da doença, o animalzinho se mostrará letárgico.

Tratamento para um bichano com doença renal

Um aumento da ureia e da creatinina no sangue e uma baixa densidade de urina são os indicadores de uma falha renal. Mas se esta insuficiência não for detectada a tempo, o mais provável é que o gato tenha que ser hospitalizado para ser hidratado.

Depois, ele terá que seguir uma dieta específica, com proteínas de alta qualidade e uma redução do fósforo e do sal. De qualquer maneira, é provável que o animalzinho não aceite a nova comida. Nestes casos, é preferível oferecer-lhe algum alimento que seja de seu agrado. Também é possível recorrer ao uso de alguma substância que atue como saborizante, para que ele se entusiasme e recupere o apetite.

O veterinário também deve indicar um suplemento que contenha:

  • Vitaminas do grupo B
  • Antioxidantes
  • Potássio
  • Ácidos graxos ômega-3

Por que a insuficiência renal em gatos não apresenta sinais precoces?

Os rins são compostos por uma grande quantidade de canos diminutos denominados néfrons, que são os encarregados de filtrar e de reabsorver os líquidos. Um gato jovem e saudável possui grande quantidade de néfrons. É por isso que alguns são armazenados.

Quando ocorre algum dano renal, alguns néfrons param de funcionar. Nesse momento, entram em ação os que tinham sido armazenados e já não fica nenhum de reserva.

Então, à medida que a falha dos rins avança, e sem néfrons de respaldo, começam a se tornar evidentes os primeiros sinais da insuficiência. O sistema de “reserva de néfrons” é o que mascara os sinais da doença até que o dano seja realmente importante.

Causas da falha renal nos bichanos

Mas o que faz com que os rins do felino já não possam filtrar e nem eliminar os dejetos do sangue de forma adequada?

Lamentavelmente, na maioria dos casos não se consegue estabelecer o motivo específico da doença renal. As biopsias costumam mostrar uma grande quantidade de tecido fibroso que substitui o tecido normal, fato que se dá também em outras doenças.

De todas as formas, algumas causas podem ser:

  • Rins policísticos
  • Tumores renais
  • Infecções
  • Glomerulonefrite

Insuficiência renal em gatos, uma doença que deve ser detectada a tempo

Ainda que se trate de uma doença irreversível, o bichano poderá conviver com sua insuficiência renal se a doença for detectada precocemente e receber os cuidados necessários.

Mas se o diagnóstico for tardio, ainda que nem todos os animais reajam da mesma forma ao tratamento, o prognóstico não costuma ser favorável.

Por isso, mesmo se fazendo todos os esforços necessários para manter o gato equilibrado e dar qualidade de vida a ele, é provável que sua saúde continue se deteriorando e que ele morra em pouco tempo.