Por que os cães lambem os pés das pessoas?

Quando os cães lambem nossos pés, ficamos pensando: por que eles escolhem essa área entre todas as áreas do corpo? Descubra as razões aqui.
Por que os cães lambem os pés das pessoas?

Última atualização: 08 novembro, 2021

A língua dos cães é, junto com o olfato, sua janela para o mundo. Eles a usam para explorar, comer, se comunicar e cuidar de si próprios, entre muitas outras coisas. Como reconhecem tudo através desse órgão, às vezes levantam questões como as seguintes: por que existem cães que lambem os pés dos humanos? Alguns parecem ter fixação por essa parte do corpo.

Os seres humanos tendem a rejeitar esses comportamentos atípicos, mas na realidade eles são muito mais complexos do que se pode imaginar de um ponto de vista evolucionário. Por isso, neste artigo analisamos um dos mais comuns para que você possa apreciar suas nuances e se comunicar ainda melhor com seu cão. Não perca.

Características comportamentais de cães

Lamber é um comportamento instintivo em cães ligado à sua evolução e à sua natureza gregária. Socialmente, lamber serve para reforçar os laços entre os indivíduos. Também é comumente visto como uma forma de apaziguamento após o conflito.

Por outro lado, lamber faz parte da limpeza pessoal do cão. Com esse ato, eles eliminam sujeira, pelos mortos e ectoparasitas que poderiam se reproduzir excessivamente em sua própria pelagem (ou na de seus coespecíficos).

A saliva do cão contém substâncias com propriedades bactericidas. Portanto, infecções em feridas são evitadas quando o cão as lambe. A língua áspera dos cães também atua como raspador para remover outros detritos que podem piorar o estado da lesão, como sujeira ou pequenos corpos estranhos.

Portanto, quando os cães lambem um humano (mesmo que seja nos pés), eles estão apenas seguindo seus instintos, sendo um comportamento perfeitamente normal. No entanto, por que essa parte do corpo? Mais tarde você terá a resposta.

Um cachorro se lambe o tempo todo.

Por que os cães lambem os pés?

Como você viu, o comportamento de lamber responde a várias funções sociais. Quando se trata de pés em particular, pode se dever a uma série de razões:

  • Seu cachorro ama você: ele está lambendo seus pés como faria com suas mãos ou seu rosto para demonstrar carinho.
  • Quer pedir atenção: se o seu cão estiver com fome, com sede, quiser passear ou brincar, ele provavelmente lamberá seus pés para chamar sua atenção e transmitir sua necessidade. Isso envolve uma parte importante do aprendizado, pois o cão sabe que você responde quando isso acontece.
  • Ansiedade: se o seu cachorro lambe você mais do que o normal e de forma compulsiva, a ansiedade pode ser uma razão convincente. Se você acha que é esse o caso, leve-o ao veterinário.
  • Ele quer conhecê-lo melhor: os cães não apenas farejam você para identificá-lo, mas podem querer “prová-lo” e, para isso, lambem seus pés. Mesmo se você for uma pessoa que mantém uma higiene perfeita, os pés sempre contêm algum odor pessoal, e os cães são capazes de detectá-lo.
  • Forma de relaxamento: a catação também desempenha uma função de alívio do estresse que o cão direciona para si mesmo ou para os outros. Portanto, se você observá-lo lambendo seus pés calmamente (talvez deitado no chão), poderá intuir que ele está tendo um comportamento social.

O que acontece se cães lamberem seus pés?

O fato de os cães terem esse comportamento tem alguma consequência negativa? Para responder a essa pergunta é necessário que você analise o comportamento específico do seu cão e a situação em que o realiza.

Se você identificar um padrão patológico nesse comportamento do seu cão, como obsessão ou submissão sem motivo, deve considerar procurar um especialista para ajudar o animal a superar essa situação. Se não, pode ser que ele simplesmente goste dessa parte do seu corpo.

É bom deixar um cachorro fazer isso?

Além do fato de fazer parte de um comportamento patológico (neste caso, você deve impedir o cão de lamber seus pés), você pode não gostar. Para fazer o animal desistir disso, é melhor oferecer uma distração (como um brinquedo) ou redirecionar a lambida para outra parte do corpo, como as mãos.

Por outro lado, você deve manter uma coisa em mente. Se você andar pela casa descalço, pode acumular patógenos nos pés, e o cão os introduzirá na boca através da lambida. Um cão com um sistema imunológico forte não precisa ser afetado (menos ainda se for mantida uma higiene adequada em casa), mas você deve ter cuidado com isso.

Como evitar que o cachorro lamba seus pés?

Se você não quer que seu cão lamba seus pés, há muitas maneiras de fazer isso. Aqui estão algumas dicas úteis:

  1. Desvie sua atenção: essa é a solução mais confortável. Se toda vez que o cão tentar lamber seus pés você desviar o comportamento dele para outra atividade ou objeto, em algum momento ele vai parar de tentar.
  2. Reforço positivo: sempre que você pedir ao cão para parar e ouvi-lo, recompense-o com petiscos ou amor.
  3. Comandos básicos: treinar seu cão em obediência básica tem muitas vantagens, pois se você tiver combinada com seu cão uma ordem associada para parar de fazer algo, também será útil para quando ele lamber seus pés.
Você sabe os motivos pelos quais seu cachorro dorme com você?

Em qualquer caso, em situações em que você não consegue controlar, sempre será uma boa ideia procurar um etologista canino. É a melhor maneira de garantir que você entende completamente o comportamento do seu cão e poderá ajudá-lo se ele tiver um problema, garantindo assim a felicidade dele e a sua.

Pode interessar a você...
Porque os cães lambem as pessoas?
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Porque os cães lambem as pessoas?

"Não me lambe". Quantas vezes damos essa ordem para nosso cão? Por que será que os cães lambem as pessoas?



  • Hart, B. L., & Powell, K. L. (1990). Antibacterial properties of saliva: role in maternal periparturient grooming and in licking wounds. Physiology & behavior48(3), 383-386.
  • Overgaauw, P., & van Knapen, F. (2012). Is being licked by dogs not dirty?. Tijdschrift voor diergeneeskunde137(9), 594-596.
  • Scott, J. P., & Fuller, J. L. (2012). Genetics and the Social Behavior of the Dog (Vol. 570). University of Chicago Press.