O primeiro caso de um gato com coronavírus na Espanha

maio 20, 2020
O primeiro caso de um gato com coronavírus foi registrado na Espanha. Entretanto, a carga viral no animal era muito baixa e essa doença não foi a causa de sua morte.

Os alarmes soaram em toda a mídia global: “gato morre após pegar coronavírus”, “Espanha registra o primeiro caso de gato com coronavírus”. A notícia, é claro, é verdadeira, mas os donos de animais precisam entender outros aspectos antes de tirar conclusões precipitadas. O exame de COVID-19 desse gato deu positivo, mas essa não foi a causa de sua morte. Aqui vamos mostramos tudo o que você precisa saber.

A zoonose e os animais de estimação

Em primeiro lugar, é necessário delimitar esse termo para entender essa notícia aparentemente preocupante.

A zoonose é um termo que se refere a qualquer doença infecciosa transmitida de animais para humanos ou vice-versa. No caso de o animal ser contaminado por meio do contato com uma pessoa, o termo mais correto seria antropozoonose.

  • Alguns exemplos de zoonose, em seu sentido estrito, são a gripe A (H1N1) ou a gripe suína. Ao longo da história, animais doentes foram capazes de, pontualmente, causar epidemias na sociedade humana. O coronavírus COVID-19 também parece ser um caso de zoonose, pois tudo indica que o morcego foi seu reservatório inicial.
  • A antropozoonose, embora menos conhecida, também é comum. A tuberculose, causada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis, pode ser transmitida de humanos para animais, e aqueles que mais são atingidos costumam ser animais de estimação ou o gado.
Gato de máscara: gato com coronavírus

A zoonose já foi previamente registrada entre animais de companhia e seus responsáveis. A revista Smithsonian esclarece que sim, houve casos em que os donos transmitiram certas cepas da gripe aos seus animais de estimação e eles podem acabar passando para outras pessoas, mas isso é algo totalmente pontual.

Os vírus estão em constante mudança. Com taxas de mutação muito altas, é normal que um contágio atípico entre espécies seja observado de vez em quando. Esse poderia, perfeitamente, ser o caso do gato infectado por coronavírus.

O sexto gato com coronavírus no mundo

Na primeira semana de maio, o instituto de pesquisa em saúde animal (CRESA) recebeu o corpo de um gato falecido recentemente. Esse animal morava em uma casa onde vários membros tinham recebido resultado positivo para COVID-19. Os donos já tinham levado o animal ao veterinário, pois ele apresentava insuficiências respiratórias. Entretanto, a doença se complicou, pois o gato também apresentava uma contagem muito baixa de plaquetas no sangue e uma doença cardíaca crônica. Nesse caso, então, a eutanásia foi a única opção.

Após ser analisado pelos pesquisadores, o gato apresentou vestígios de coronavírus em duas regiões: na cavidade nasal e no gânglio linfático próximo ao intestino.

Mas o coronavírus foi a causa da morte do animal? A resposta é: não.

  • A carga viral no corpo do animal era muito baixa.
  • O gato tinha uma doença genética congênita chamada miocardiopatia hipertrófica, que foi a principal causa de sua morte.
  • Nenhum dos sintomas do animal foi associado ao quadro clínico de infecção por coronavírus.
  • Em outras palavras, e de acordo com os veterinários, “o vírus não teve nenhum tipo de impacto em sua saúde”.

Agora a notícia não parece mais tão catastrófica, não é mesmo?

Bem, ainda devemos adicionar a isso o ínfimo valor estatístico que esse acontecimento comporta. O gato infectado na Espanha é o sexto caso global, e já foram encontrados outros animais com coronavírus, como leões ou tigres, em certos zoológicos. Eles contraíram a doença e venceram o vírus sem problemas.

Amor entre humanos e gatos

Tenho um animal de estimação: devo me preocupar?

A resposta é clara: não.

As afirmações da Organização Mundial da Saúde (OMS) são muito claras: não há evidências significativas de que gatos e cães manifestem sintomas da doença e menos ainda que eles possam contrair o vírus. A notícia apresentada aqui é um fato pontual, e não é o primeiro.

Portanto, quem tem um animal de estimação deve continuar a levar uma vida normal e não se preocupar em excesso com esse assunto. Obviamente, no caso de receber um resultado positivo para COVID-19, sempre será uma boa medida intensificar as precauções recomendadas, tanto em relação a outras pessoas quanto aos animais da casa, pois o isolamento deve ser realizado em todos os âmbitos possíveis.

  • Spain records its first case of a cat with coronavirus, El País. Recogido a 9 de mayo en https://english.elpais.com/society/2020-05-08/spain-records-its-first-case-of-a-cat-with-coronavirus.html.
  • Can cats catchthe flu or a cold?, Hills magazine. Recogido a día 9 de mayo en https://www.hillspet.com/cat-care/healthcare/can-cats-get-flu-cold-virus.