Quais as vacinas obrigatórias que devo dar a meu cão?

novembro 17, 2017

Para evitar que eles contraiam certas doenças infecciosas, os animais de estimação precisam receber certas vacinas obrigatórias. Também há outras opcionais, que mudam de acordo com a localização geográfica e o estado de saúde do animal. Neste artigo, contaremos mais a você sobre estes tratamentos que atuam sobre o estado de saúde do cão.

Vacinas obrigatórias e a saúde do seu cão

Os filhotes começam a ser vacinados a partir de 12 semanas de vida (aproximadamente). Antes dessa etapa, os anticorpos maternos podem bloquear os efeitos. Por isso, pode-se iniciar a vacinação dos cães assim que eles deixarem de consumir o leite da mãe.

Filhote de cão sendo vacinado

Quando se compra um cão, ele costuma ser entregue com uma caderneta de vacinação e uma dose de algumas vacinas obrigatórias. Se o animal foi imunizado, ele não poderá ter contato com outros, já que está mais propenso a ser contagiado por doenças e infecções.

Ao aplicar a vacina, o cão recebe uma mistura de antígenos para um vírus específico. Desta maneira, o organismo deve reagir e atuar sobre esses microrganismos, para que eles não se reproduzam.

Depois de vacinar o seu cão, ele poderá sofrer uma diminuição da imunidade celular e adoecer (como ocorre com as pessoas ao se vacinarem contra a gripe, por exemplo). Apesar do estado transitório da imunodepressão, é fundamental que eles estejam protegidos contra vírus e bactérias. Se no futuro ele entrar em contato com os organismos causadores das patologias contra as quais ele foi imunizado, não se contagiará.

Quando um animal de estimação foi vacinado, é menos provável que ele venha a sofrer de doenças graves e inclusive mortais. Além disso, evita-se a transmissão para as pessoas, como no caso da raiva. Devem ser aplicadas as vacinas obrigatórias (e as opcionais) quando o animal estiver são e em boas condições. Os efeitos secundários das vacinas são completamente normais e inclusive esperados.

Por exemplo, pode ocorrer febre alta nas horas seguintes à aplicação, aparecimento de manchas roxas, brotoejas e coceiras, principalmente na área onde se colocou a agulha, e desenvolvimento de inchaço. Neste último caso, isso ocorre se o animal não ficou quieto durante a picada, ou porque o líquido da injeção não fluiu para o sangue. Se isso perdurar por vários dias, devemos levar o animal ao veterinário.

Quais as vacinas obrigatórias para meu cão

O calendário de vacinação foi desenvolvido por um regulamento a nível nacional. Portanto, é necessário consultar uma clínica veterinária. Basicamente, as injeções obrigatórias protegem os cães contra a cinomose, o parvovírus e a raiva. Quanto as vacinas opcionais, há contra a leptospirose, a tosse dos canis, a Leishmaniose, entre outras patologias.

O calendário básico de vacinas em cães está composto por:

  • Primeira vacina: 6 semanas de vida
  • Polivalente: com 6-8 semanas
  • Segunda dose da Polivalente: 10-12 semanas
  • Raiva: 16 semanas
  • Polivalente e raiva: Reforço anual
Cãozinho sendo vacinado

A vacina polivalente protege contra as seguintes doenças (por isso é tão importante que se reforce as doses uma vez ao ano):

  • Cinomose
  • Hepatite infecciosa canina (adenovírus 1)
  • Leptospirose
  • Parvovirose
  • Tosse dos canis (adenovírus 2)
  • Coronavírus canino
  • Parainfluenza

Quanto à vacina da raiva, a injeção provoca uma resposta imune frente ao vírus, por isso o animal estará protegido depois de 2 semanas da aplicação. A efetividade é de 100%, se administrada corretamente, e tem a duração de 1 ano. A segunda aplicação costuma durar de 2 a 3 anos.