Qual é o melhor alimento para meu cão?

· junho 3, 2018
Dependerá de muitos fatores, como o tipo de vida de seu cão, sua estrutura e a etapa de vida na qual ele se encontra. Porém, o melhor alimento para o seu animal de estimação, pode não ser o mais caro, já que, como dissemos, isso dependerá de cada caso em particular

É sabido que nossos animais de estimação precisam de frutas, verduras, arroz e carne, pois são animais omnívoros. Ainda que sua alimentação deva ser muito variada, o ritmo de vida e de trabalho que seus donos levam hoje em dia, os impede de cozinhar os alimentos que seus animais precisam.

Para complementar a alimentação dos cães, existem muitos preparados prontos no mercado. Estes contribuirão com essa parte da nutrição necessária para nossos cães e que não podemos cozinhar, e assim eles poderão ter uma dieta completa e equilibrada.

Estes alimentos chamados ‘balanceados’, se forem de boa qualidade, contribuem com todos os elementos necessários, como proteínas, vitaminas, etc. Mas, qual é o melhor alimento?

Preparados alimentares

Ainda que estes preparados sejam bastante completos, e cada vez estejam melhores elaborados para contribuir com a máxima qualidadesempre deveríamos integrar na dieta de nossos animais de estimação o maior número possível de alimentos naturais.

Se formos analisar a chamada ‘ração para cães’, o primeiro passo será conhecer os componentes que a formam, não se trata apenas de escolher a marca mais conhecida ou a mais cara.

Ração para cães

O fabricante deverá mencionar no rótulo os ingredientes que são utilizados no alimento preparado, bem como a proporção de cada um deles.

O melhor alimento: proteínas da carne

No que se refere aos diferentes produtos, devemos levar em conta que o cão descende do lobo e que se trata de um animal carnívoro. Por isso, sua alimentação tem que ser formada, em sua maior parte, por carne ou proteínas de qualidade similar a da carne.

Quando nos deparamos com cereais e pensamos que estes também podem ser uma boa contribuição para os nossos cães, temos que nos lembrar que não é bem assim. Os cereais não contribuem em nada com à alimentação de nossos cães.

A informação sobre os produtos que adquirimos para os nossos animais, devem ser a mais precisa possível. Pensemos, por exemplo, que no rótulo de determinado alimento informe que contém ‘frango’, isso pode se tratar da carcaça, dos miúdos, e não de uma carne de primeira qualidade. O melhor é selecionar aqueles produtos que têm rótulos precisos e detalhados.

Quantidade de alimento segundo as etapas

A primeira questão é conhecer a frequência com que se deve dar o melhor alimento ao seu cão. Como regra geral, até os quatro meses, ele comerá quatro vezes ao dia, três vezes de quatro a oito meses, duas vezes até um ano e meio e, após essa idade, uma vez ao dia.

O alimento, tanto o natural como o procedente de preparados que adquirimos no mercado, se diferenciam em cada etapa da vida do animal. Há alguns alimentos específicos para filhotes, outros para cães grandes, para cães médios e pequenos, etc.

Labrador comendo

proporção dos alimentos de nossos animais de estimação dependerá de muitas variáveis: de seu tamanho, da atividade física que desenvolva, se queima muitas calorias ou é mais caseiro e sedentário, etc.

Muitos especialistas não aconselham a comida caseira para os cães. Eles afirmam que esta não costuma ser uma dieta equilibrada, mas que se trata de uma dieta altamente rica em carboidratos. Os especialistas são mais favoráveis a uma alimentação com preparados ‘balanceados’.

No caso de optar por alimentos caseiros, é importante se lembrar que nunca eles nunca devem ser as sobras de nossas refeições. Deve ser um menu preparado especificamente para eles, de acordo com as suas peculiaridades.

Se optarmos em dar ao nosso animal de estimação um pouco de comida caseira, faremos o possível para que esta seja de qualidade. Como vemos, não sobras, mas sim uma porção equilibrada, como se fosse para um outro membro da família.

Gravidez

No caso de você ter uma cadelinha grávida em casa, é importante cuidar da alimentação da futura mamãe. Esta será composta com pouco alimentos extras, nas primeiras cinco ou seis semanas de gestação, já que os fetos não crescem muito nesta etapa. Temos que considerar que a maior parte do crescimento se dará nas últimas três semanas.

Cão labrador obeso

Para o cuidado de nossa cadela, aumentaremos 15 %, aproximadamente, a contribuição energética a cada semana. O mesmo ocorrerá no período de amamentação, quando o animal precisará se alimentar adequadamente para dar aos filhotes os nutrientes que eles precisam.

Em função do tamanho dos filhotes, de seu número e do tempo que decorre desde seu nascimento, assim deverá ser a necessidade de contribuição energética da cadela.