Seu cão está com problemas estomacais? Ajude-o!

Dizem que existem raças mais propensas que outras a ter problemas estomacais. No entanto, muitos cães podem ter o estômago mais sensível devido a outras razões que nada têm a ver com a raça.

Não há nada que nos doa mais do que ver nosso cachorro sofrer. Por isso, queremos sempre ajudá-lo, a qualquer custo. Mas, como podemos ajudá-lo, no caso dele apresentar problemas estomacais? Então, preste atenção nestes conselhos, que achamos que serão muito úteis para você.

Conselhos para cães com problemas estomacais

Às vezes, os problemas estomacais de nosso cachorro não são causados nem por ele nem pela sua fisionomia. Muitas vezes também é culpa de nossos descuidos.

Por isso, é importante tentar ajudar o nosso cão e tentar corrigir os maus hábitos que ele possa ter. Por conseguinte, devemos:

Colocar água limpa

Devemos admitir isso: muitas vezes, nossa vida atarefada não nos permite fazer tudo o que queremos, nem que devemos fazer. Às vezes, vamos adiando o que achamos que tem menos importância. Outras vezes, inclusive, nossa memória dá prioridade para lembrarmos de coisas mais fundamentais.

O correto seria que a nossa prioridade fosse mudar a água de nosso animal de estimação, porém, às vezes, simplesmente damos uma olhadinha de longe para ver se o seu bebedouro tem água e pronto. Mas ela pode estar suja e ter atraído bactérias ao longo do dia, algo que poderá causar os problemas estomacais.

Alimentação

Devemos estar cientes da alimentação que o nosso animal de estimação tem. Às vezes, ela não está tão equilibrada e saudável como achamos. É possível que tenhamos esquecido de mudar o tipo de comida de acordo com a idade ou o peso do nosso cão.

É provável também que estejamos dando uma comida com alguns nutrientes desnecessários para nosso cãozinho, ou que já não são exigidos na fase da vida em que o animal está.

Leve-o para uma consulta no veterinário

É importante que o seu médico veterinário faça nele um check-up para descartar a hipótese de que ele tenha algum tipo de alergia ou intolerância a algum componente que possa estar presente ração consumida pelo seu cachorro.

O veterinário, depois desse exame, e caso dê positivo, poderá recomendar a você a ração mais adequada para o seu animal de estimação.

Dê alimentos que contenham fibras para o seu cão

As fibras são essenciais para um bom desenvolvimento intestinal. Além disso, elas são fundamentais para todo o aparelho digestivo em geral, que inclui o estômago. Por isso, é necessário que você se certifique sobre qual quantidade de fibras contém o alimento que o seu animal de estimação está consumindo e quanto é necessário para equilibrar os seus níveis.

Ter ideia da quantidade correta de fibras que o seu animal deve consumir fará com que toda a flora intestinal e o sistema digestivo dele trabalhem da maneira correta.

Divida a ração dada ao seu bichinho de estimação

É verdade que, quando o seu cãozinho atinge uma certa idade, ele começa a comer somente uma vez por dia. Mas não se esqueça de que isso pode nos levar a colocar comida além do necessário e com isso empanturrá-lo, criando, assim, os temidos problemas estomacais.

Pergunte ao seu veterinário qual é a quantidade de alimento que o seu animal de estimação precisa ingerir por dia.

Evite que ele coma até ficar empanturrado

Os animais comem com ansiedade, já que pensam que alguém vai roubar a comida deles. Por isso, não são pouca as vezes que comem pedaços extremamente grandes, que depois não conseguem digerir.

Fique de olho no que o seu cachorro come. Se você lhe oferece algum tipo de alimento que não seja ração, certifique-se de que os pedaços tenham o tamanho correto para a sua fácil digestão.

Os problemas estomacais podem levar seu animal de estimação a ter problemas mais sérios ou, inclusive, obesidade, fato que logo poderia acabar gerando doenças cardíacas. Por isso, não dê como certo que o seu cão está se alimentando bem e que os problemas dele provêm do fato de ele pertencer a uma raça ou outra.

Como dissemos antes, a raça pode, sim, influenciar, mas, é claro que nem sempre é o único fator que causa os problemas estomacais.