Terapia neural para cães

· junho 7, 2017

Existem muitos tratamentos “não convencionais” para animais de estimação. Florais de Bach, homeopatia, aromaterapia, fitoterapia… então, a terapia neuronal também é um desses tratamentos. Você gostaria de saber do que se trata? Neste artigo, vamos falar sobre isso.

O que é uma terapia neural?

Esse tipo de prática médica não tradicional consiste na injeção de um anestésico em concentrações baixas em determinadas áreas do corpo do animal. O objetivo da terapia neural é restaurar os potenciais elétricos na membrana celular do paciente, que sofreram alteração por causa de uma patologia específica.

Autores: Christine e David Schmitt

Esse tipo de tratamento é popular em vários países: Alemanha, Colômbia, Equador, Argentina, México e Espanha. Mas a ideia surgiu graças a um médico russo chamado Ivan Petrov, no ano de 1800. No entanto, a técnica neural foi desenvolvida com profundidade pelos médicos alemães Ferdinand e Walter Huneke. Em 1925, eles injetaram procaína na própria irmã, que sofria dores de cabeça.

Posteriormente, foram descobertas as vantagens da terapia “segmentária” para várias doenças. Graças a essas aplicações, foi possível tratar muitas doenças em seres humanos. Agora, há alguns anos, existem veterinários que fazem isso em animais.

Como funciona a terapia neural para cães?

Não só os cães se beneficiam dessa técnica, também outros mamíferos, como gatos, cavalos, vacas, etc. A terapia neural permite fortalecer o sistema nervoso e trata de maneira respeitosa e não invasiva diferentes doenças.

Aplica-se uma substância anestésica chamada procaína em uma dose de 0,7% em diferentes “pontos”. Eles são escolhidos depois de um minucioso estudo do animal. A terapia neural pode acabar sendo eficaz em cachorros que sofrem de certas doenças.

Para poder compreender como funciona, devemos imaginar o corpo de um bichinho como uma grande rede de conexões nervosas que “pulsam” quando se conectam entre si. No caso de uma patologia ou dor, uma zona do circuito fica danificada e é preciso curá-la.

Por exemplo, se o animal sofreu um acidente ou uma intervenção cirúrgica, o local específico da ferida ou da cicatriz pode estar provocando dores em outras áreas. A aplicação do anestésico é feita justamente nesse ponto específico.

Na consulta, alguns cães reagem melhor que outros a esse tratamento. Tudo depende do local onde se deve realizar a injeção. Outros fatores também influenciam, como se o animal é mais nervoso ou mais tranquilo, a idade dele, o tipo de doença que ele sofre, etc.

Alguns veterinários injetam a procaína de forma superficial e perto da zona que dói. Outros optam por aplicá-la diretamente sobre a ferida e em pontos mais profundos. Geralmente, as terapias são feitas em casa, a cada 1, 2 ou 3 semanas, conforme o caso.

Outros detalhes da terapia neural para cães

As principais vantagens da terapia neural são: sessões rápidas (a primeira é mais longa, porque deve ser encontrado o ponto exato para a injeção), baixo nível de estresse (porque o animal não é examinado durante muito tempo) e capacidade para ser aplicada em animais de estimação de todas as idades.

Recomenda-se esse tipo de técnica no caso de os tratamentos convencionais não serem capazes de oferecer resultados satisfatórios. Além disso, é aconselhável em cães idosos ou adultos que já tenham se submetido a outros métodos mais invasivos. E pode ser útil em casos de doenças terminais, quando os donos apenas desejam que seu animal de estimação não sinta mais dor.

A terapia neural se emprega, na maioria das vezes, para dores musculares, articulares e neurológicas, assim como para displasia coxofemoral ou pós-operatórios. Alguns veterinários a recomendam para problemas respiratórios, ansiedade, depressão e infecções de pele.

Embora não seja a solução para as dores de nosso animal de estimação, pelo menos essa técnica pode ser um complemento para um tratamento mais intensivo, ou, então, para que nosso amigo se sinta melhor e não experimente certas dores.