Uso de cosméticos em cães e seus riscos

· março 7, 2019
Existem cada vez mais produtos para a higiene e cuidado de nossos cães, mas quais são os reais perigos do uso de cosméticos em animais?

Quando falamos sobre o uso de cosméticos em cães, devemos diferenciar os dois tópicos para não causar confusão. Os primeiros e mais complexos são os experimentos realizados em cães e outros animais nos laboratórios associados à indústria cosmética.

Em segundo lugar, há a popularização de produtos cosméticos feitos para animais de estimação. O que deve ser levado em conta?

A experimentação de cosméticos em cães

Sem dúvida, a experimentação em animais é uma das maiores controvérsias em relação à indústria cosmética. 

Embora tenhamos feito progressos em termos de legislação, a realidade mostra que esses testes continuam sendo realizados globalmente.

Em todo o mundo, mais de 115 milhões de animais são usados ​​anualmente neste tipo de teste. Considerando apenas a União Europeia, cerca de 12 milhões de animais são usados ​​na indústria cosmética a cada ano.

A nova lei

No entanto, desde 2003, foi aprovada uma lei que proíbe a experimentação em animais na União Europeia. Sua implementação envolveu duas etapas, e ambas já foram implementadas.

A primeira etapa foi implementada em 2009, e seu objetivo era erradicar este tipo de testes na indústria cosmética europeia, bem como impedir a importação e exportação de produtos testados em animais até esta data.

A segunda fase foi implementada em 2013 e afeta especificamente os produtos que devem passar por testes de toxicidade.

No entanto, a legislação oferece a esses fabricantes 10 anos de prazo para implementar integralmente os requisitos desta segunda fase.

A lei sobre o uso de cosméticos em cães… e a brecha

Agora, todos estamos nos perguntando: como ainda pode haver tantos experimentos com animais se há uma lei atual que os proíbe?

Se lermos atentamente o texto desta lei, encontramos um “detalhe” ao qual os fabricantes se agarram para não cumprir a legislação.

Ao afirmar que eles não têm um método alternativo que seja suficientemente confiável, as indústrias podem continuar seus experimentos em animais.

cão no pet shop

Os riscos de testar cosméticos em cães

A atitude permissiva de muitas pessoas em relação a experiências com animais geralmente é baseada na ignorância.

De fato, muitos acreditam que testar em animais significa aplicar um creme em sua pele para ver se há uma reação alérgica.

Mas a experimentação cosmética vai muito além e apresenta inúmeros riscos à saúde dos animais.

Além dos sintomas desconfortáveis ​​de uma alergia, os animais são expostos a numerosos produtos químicos perigosos para medir seu nível de toxicidade em relação à saúde humana.

Em outras palavras, eles são envenenados em um ambiente controlado para testar a reação do corpo aos componentes dos cosméticos.

Outros testes podem levar a danos genéticos irreversíveis e ao desenvolvimento de tumores malignos no organismo do animal.

Se considerássemos esse mesmo tipo de evidência em humanos, isso seria impensável. Mas milhões de animais são diariamente submetidos a essa realidade em todo o mundo.

Esse é o grande problema ético da experimentação de cosméticos em cães e, também, em outros animais.

Precauções com o uso de produtos cosméticos para cães

A indústria pet friendly apresentou um crescimento incrível em todo o mundo. Roupas, calçados, cosméticos, joias, fantasias, móveis, brinquedos, petiscos…

Atualmente, encontramos uma infinidade de produtos e serviços projetados especialmente para nossos melhores amigos.

Mas quando falamos sobre o uso deste tipo de cosméticos em cães, que riscos e precauções devemos levar em consideração? 

Primeiro, devemos prestar muita atenção ao escolher os produtos de beleza e higiene que usamos para cuidar de nossos cães.

Em pet shops e supermercados encontramos muitos xampus, cremes, sabonetes, perfumes e até branqueadores de pelos.

Recomenda-se sempre ler atentamente o rótulo de cada produto para identificar seus componentes.

O ideal é preferir produtos que não contenham álcool; o álcool pode irritar a pele e as membranas mucosas dos cães.

Também não devemos usar cosméticos e produtos de higiene humanos para banhar ou perfumar nossos cães. Lembre-se de que os ingredientes desses produtos podem causar alergia e intoxicação em nossos cães.

yorkshire no colo da dona

Cuidado com a humanização!

A humanização é um fenômeno cada vez mais frequente e preocupante na criação dos cães. Embora possa parecer fofo tratar um cão como um bebê, na realidade, não estamos respeitando sua própria natureza e terminamos fazendo mal a eles.

Logicamente, eles precisam da nossa dedicação para preservar sua boa saúde e higiene. Por isso, alguns cosméticos podem ser úteis em seus cuidados básicos; mas devemos saber reconhecer os limites e não exagerar.

Cães são cães e devem ter a liberdade de se comportar e viver como tal. Isso não significa que eles sejam melhores ou piores que as pessoas. Simplesmente que eles merecem ser respeitados por suas próprias particularidades, necessidades e diferenças.

Pfuhler, S., Fautz, R., Ouedraogo, G., Latil, A., Kenny, J., Moore, C., … Barroso, J. (2014). The Cosmetics Europe strategy for animal-free genotoxicity testing: Project status up-date. Toxicology in Vitro. https://doi.org/10.1016/j.tiv.2013.06.004