O inimigo número 1 das espécies ameaçadas de extinção

Uma preocupação que vem se desenvolvendo no mundo científico é determinar se estamos nos aproximando a uma nova extinção massiva. As extinções massivas foram eventos que envolveram a extinção, em mais de 75%, das espécies de animais e plantas que habitavam o planeta, sendo o caso mais comum deste tipo de eventos o da extinção dos dinossauros.

Uma situação preocupante, se levarmos em conta que, na atualidade, existem 2448 espécies de animais ameaçadas de extinção, das quais 1665 encontram-se em estado crítico.

Para declarar que uma espécie está a caminho da extinção, considera-se um critério chamado de “Estado de Conservação”, no qual é determinado, além da população atual em estado silvestre e em cativeiro, a viabilidade de que uma espécie continue existindo em um prazo curto ou médio de tempo.

Os fatores que afetam significativamente estes estudos são as tendências de reprodução que a espécie tem mostrado em um longo período, a presença de predadores e as mudanças em seu hábitat.

Porém, devido à intervenção do homem, milhares de espécies foram afetadas, levando muitas a um estado crítico e centenas delas à extinção.

Isso se deve a dois fatores que ainda não puderam ser controlados, inclusive depois da adaptação das políticas de conservação. Estes fatores são a matança irresponsável das espécies e a perda do hábitat natural.

Matança das espécies

Tartaruga morta

É uma vergonha que nossa espécie, o homem, seja a única que mata por prazer, depreda sem necessidade e desperdiça recursos de forma irresponsável.

Apesar de ostentar o uso da razão, as práticas de depredação dos recursos naturais pelos humanos são comparáveis às das pragas.

Alguns dos fatores que influenciam na depredação são:

A caça indiscriminada: não desenvolver um processo de seleção das presas acaba machucando ou matando os animais, sem importar que devam ser descartados por não serem comerciáveis, porque não são o objetivo da caça, como quando vemos redes de pesca estendidas.

As práticas ilegais: por exemplo, a pesca com explosivos.

A caça excessiva: esse tem sido um dos fatores que vem ameaçando mais os animais, especialmente aqueles que são caçados por sua pele, ossos ou são considerados pelos colecionadores como troféus exóticos.

Sobredemanda: algo que quase tem causado a extinção de muitos animais, como as baleias, focas e golfinhos por causa da demanda e uso de sua gordura para a elaboração de múltiplos produtos.

Portanto, são realizadas verdadeiros massacres com o objetivo de conseguir suficiente matéria prima para satisfazer a necessidade crescente do consumo.

Perda do hábitat natural

Panda

Cada vez é mais comum ouvir histórias de encontros de pessoas com animais selvagens (ursos, tigres, leões), que antes eram pouco frequentes.

Isto se deve a que o ser humano demanda cada vez mais espaço, e ao morar em um planeta superpovoado, o crescimento das cidades e a formação de indústrias, comércio, agricultura e gado se torna inevitável, e aliado às formas de processamento da matéria prima conseguimos, como consequência, uma diminuição considerável dos espaços onde poderia se desenvolver a vida de milhares de espécies.

Os ecossistemas são muito delicados e qualquer variação neles pode alterar significativamente as cadeias alimentares e os ciclos de reprodução, gerando a morte direta de muitos animais e o desaparecimento indireto de outros.

Isso se deve a que os ecossistemas são cadeias que envolvem todas as espécies, animais e vegetais, também o clima e demais condições que possibilitam as condições de vida de determinado grupo de animais.

O que fazer para melhorar

Tome consciência de que suas práticas de consumo são a principal fonte do problema.

Recicle, compre casas usadas, evite o uso de objetos ou de substâncias que tenham em sua composição produtos feitos à base de algum animal ameaçado de extinção (a maioria dos produtos de maquiagem oleosos possuem como base gordura de baleia, procure por informação e escolha as opções com gorduras de origem mineral).

Não compre espécies exóticas para adotar como animais de estimação, denuncie toda vez que observar irregularidades que possam afetar o meio ambiente (processos incorretos de controle de desperdícios, contaminação de fontes de água, etc.) converse com a sua comunidade e apoie, através das redes sociais, as instituições que lutam pela conservação e a proteção das espécies.