6 regras para conviver com um gato

Dizem que os gatos são uma das espécies mais difíceis de serem entendidas. É claro que se você ama gatos não estará de acordo com isso. Mas é verdade que entender um felino pode ser mais difícil do que entender um outro animal menos expressivo. Se você tem um gatinho (ou pretende tê-lo), e ele está demorando para se adaptar a você, confira estas regras de convivência, que te ajudarão muito.

Guia de regras para conviver com um gato

Este guia foi elaborado com a ajuda de veterinários experientes e servirá para entendermos um pouco mais desta espécie que compartilha a vida com os humanos há uns nove mil anos. Alguns dizem que é tão simples quanto “me deixe dormir e eu darei sossego a vocês”. Porém, daremos a você outras regras a serem seguidas.

Se é a primeira vez que você tem um gato, lembre-se de que ele não é um cão

Já sabemos que ambas as espécies são diferentes. Mas quando adotamos um gato pela primeira vez, é possível que esperemos um comportamento similar ao dos cães. Pois bem, este é um erro grave. O ilustrador Puño explica-o desta maneira, citado textualmente:

“O cão é um lobo que se aproximou de nossas fogueiras de caçadores e que amansamos a pauladas, por isso ele tolera bem os gritos e a dominação. Em contrapartida, o gato se aproximou por vontade própria dos celeiros que construímos no deserto, atraído pelos roedores que se amontoavam neles. Por esta razão, eles sentem natural curiosidade pelos humanos e ficam com raiva sempre que os castigamos, gritamos com eles ou batemos neles, ainda que seja de forma branda”

Gato recebendo carinho

E não tem casa

Uma vez que você tenha adotado um gato, sua casa passa a ser a casa dele. Os felinos são territoriais e se apropriam de tudo o que os rodeia. De modo que, não se esqueça, não é você quem tem um bichano, mas sim é seu gato quem tem um humano. Ele gosta de te deixar viver próximo dele.

Se você o deixar dormir uma noite com você, prepare-se para uma vida de noites acompanhado

Ainda que os gatos sejam muito independentes, como já dissemos, eles são territoriais, mas também carinhosos. Estes dois adjetivos juntos fazem com que, se alguma vez você os deixa dormir em sua cama, terá que fazê-lo todas as noites.

Se você acha que será bom todas as noites o seu gato subir em você e te acordar, será melhor que, sob nenhuma circunstância, você o deixe entrar sequer em seu quarto.

Porém, se você gosta de desfrutar da companhia dele enquanto dorme, então deixe que ele passe a noite contigo. Ainda que você seja solteiro e de vez em quando durma acompanhado, tem que saber que serão três em uma cama e não dois.

Fique tranquilo, seu gato te ama

Os gatos não são animais tão expressivos como os cães, que ficam super contentes ao nos ver ou quando estamos com eles que às vezes até achamos que sorriem. Mas fique tranquilo, seu gato te ama, só que não precisa fazer festas nem se jogar sobre você. Talvez ele apenas afie suas unhas em seu lugar preferido ou se esfregue em sua perna muitas vezes seguidas.

Gato tigrado descansando

Se você vive com um gato precisará de:

  • Um aspirador
  • Rolinhos para tirar pelos
  • Escova para remover o excesso de pelos

Há uma desvantagem em se conviver com um gato: ele solta pelos. Por todas as partes, por todos os lados estará cheio de pelos de seu bichano. Pode dizer adeus a sua roupa preta e esperamos que seu sofá não seja de veludo.

Escove seu gato diariamente e aspire todos os dias a casa para que não acumule pelos, pois inclusive você poderá acordar com uma alergia.

Se não ronronar…

Dizem que os gatos ronronam quando estão à vontade, mas isso não quer dizer que não o estejam quando não o fazem. Também, isso pode ser indicativo de que algo não está bem. Às vezes, os gatos ronronam quando sentem dor ou estão doentes. Se você acha que o ronronar de seu gato está fora de lugar a maior parte do tempo, vá ao veterinário com urgência.

Fique atento a estes conselhos para conviver com um gato, sua vida será mais fácil e feliz junto com seu felino.

Recomendados para você