A alimentação das chinchilas

· outubro 6, 2018
Esses roedores, que vivem nos Andes, podem comer alimentos muito variados, exceto carne. A alimentação desses pequenos inclui feno, ração, legumes e frutos secos.

As chinchilas são um grupo de roedores endêmicos dos Andes, na América do Sul. Amplamente apreciadas pela indústria de peles e quase levadas à extinção, elas agora se tornaram populares como pets. Portanto, hoje falaremos sobre a alimentação das chinchilas:

Noções básicas sobre a alimentação das chinchilas

As chinchilas são herbívoras e, portanto, não exigem qualquer carne na dieta delas para que esta seja adequada. Como outros animais exóticos, como as iguanas e os papagaios, os erros na alimentação das chinchilas são comuns, e podem causar problemas de saúde e, até mesmo, causar doenças.

Em seu habitat natural, seu principal alimento é uma erva conhecida como capim rei, embora consumam outras plantas. Nos Andes, elas bebem água de orvalho e consomem cactos e frutas, e até mesmo insetos.

Seu trato digestivo é semelhante ao de outros consumidores de grama, e tem um ceco muito desenvolvido e uma flora intestinal delicada. É por isso que o mais importante para alimentar nossa chinchila é fornecer fibras em sua dieta, e pelo menos três quartos da dieta deve ser completada com feno.

A disponibilidade de água limpa e fresca deve ser contínua, pois embora não exijam muita quantidade, em seu habitat estão acostumados a consumi-la junto com a comida na forma de orvalho, algo que não costuma ocorrer em cativeiro.

alimentação das chinchilas

O restante da dieta deve ser complementada, como regra geral, por alimentos especializados e uma pequena porcentagem de frutas e vegetais. Em termos de nutrientes, os seguintes percentuais são recomendados:

  • 30% de fibra
  • 35% de carboidratos
  • 14-16% de proteínas
  • 10% de comida úmida
  • 6% minerais
  • 3,5% de gordura e óleo
  • 4% de açúcar

A dieta também deve conter quantidades adequadas de vitamina D, vitamina A e vitamina E.

Feno na alimentação das chinchilas

Como já mencionado, dada a sua fisiologia digestiva, é necessário que a dieta seja baseada principalmente em feno, já que seu sistema digestivo necessita de uma grande porcentagem de alimentos fibrosos para ter uma motilidade intestinal adequada.

O feno também tem outra utilidade para estes animais, assim como para outros animais lagomorfos, já que seus dentes crescem continuamente e eles devem consumir alimentos como feno, para não adquirirem doenças bucais. É o mesmo caso dos coelhos.

Há outras soluções, tais como levar nossa chinchila a uma clínica para um check up odontológico ou, ainda, usar suplementos de cálcio. Mas a alimentação correta das chinchilas e a presença de feno em sua dieta são a melhor maneira para o seu animal de estimação não ter problemas ou malformações dentárias.

O feno não deixa de ser grama seca, por isso pode ser substituído por várias espécies, como cardo mariano e dente de leão, além de alfafa. Alternar entre diferentes espécies pode tornar a dieta de nossa chinchila mais interessante tanto a nível etológico quanto sanitário.

A ração na alimentação das chinchilas

É importante destacar que muitos proprietários cometem o erro de basear a alimentação das chinchilas apenas em ração ou pellets, que são necessários na dieta, em um quinto dela, ou seja, cerca de 30 gramas por dia.

Você também pode fornecer algumas das misturas para roedores que existem no mercado; mas apenas ocasionalmente e isso não deve ser a única fonte de alimentação desses animais.

É importante salientar que a ração e as misturas ou frutos secos devem ser servidas separadamente. Se não, é provável que o nosso animal de estimação selecione apenas o que ele gosta, o que provavelmente não será o mais saudável.

alimentação das chinchilas

Guloseimas e verduras na alimentação das chinchilas

A alimentação das chinchilas precisa de um suplemento muito pequeno de frutas e legumes (5% será suficiente). Recomendam-se alimentos fibrosos e folhosos, como maçã, rúcula, acelga ou espinafre.

Quanto aos frutos secos, assim como com outras espécies, estes devem ser servidos apenas como guloseimas, crus (sem ser torrados) e sem sal. É aconselhável usar os frutos secos através do enriquecimento ambiental; pois são alimentos que elas gostam muito e que farão de tudo para obtê-los. Portanto, é aconselhável dar-lhes frutos secos algumas vezes por semana e em pequenas quantidades.

É importante que antes de incluir qualquer alimento exótico na dieta de nosso animal de estimação, consultemos criadores ou veterinários. Isso porque alguns alimentos, como o chocolate, o excesso de milho ou a casca de algumas árvores, podem ser perigosos.