Acará-disco: uma espécie exótica de água doce

Nativos das águas do rio Amazonas, os acarás-disco são uma espécie admirada por sua beleza exótica e suas peculiaridades.
Acará-disco: uma espécie exótica de água doce

Última atualização: 29 Março, 2021

Os acarás-disco (Symphysodon) pertencem à família dos ciclídeos, que se caracterizam por serem bastante territoriais e formarem pares para a vida toda. Suas cores chamativas revelam a classificação desses peixes como um grupo de espécies exóticas endêmicas de água doce.

Seu habitat natural são as águas do rio Amazonas, especialmente os trechos lentos e estagnados, sem fortes correntes. São peixes um tanto medrosos, por isso buscam refúgio constante em lagoas e águas com extensa vegetação, onde conseguem se camuflar. Curiosamente, esses animais podem se desenvolver em águas ácidas com pH entre 4,0 e 6,0.

Comportamento e características dos acarás-disco

Apesar de ser uma espécie natural, foi possível desenvolver artificialmente algumas variedades de acarás-disco híbridos. As múltiplas cores e os particulares olhos vermelhos são algumas das suas principais características. Seu nome vem da aparência de seu corpo, pois é alto, redondo ou oval e com as laterais comprimidas.

Em boas condições, os acarás-disco podem atingir 20 centímetros.

Esse peixe possui uma barbatana dorsal que vai até à barbatana caudal. Esta última se move ao lado das barbatanas peitorais para impulsionar o peixe. A barbatana anal percorre todo o seu corpo na parte inferior para se juntar à barbatana caudal, mantendo assim uma forma triangular para se mover rapidamente. No entanto, é um peixe de movimentos lentos.

Quanto ao comportamento, esses animais são agrupados em cardumes de mais de 8 indivíduos, onde uma hierarquia é estabelecida. Fisicamente, é um tanto difícil encontrar diferenças sexuais nos acarás-disco. Eles podem ser vistos apenas durante a época de reprodução, e os machos geralmente são um pouco maiores.

Um acará-disco.

Linhas e espécies

Os acarás-disco possuem linhas verticais com as quais expressam seu nível de estresse ou bem-estar físico no caso de uma possível doença. Quando o nível de estresse excede o normal, os acarás-disco podem ficar pretos. No entanto, alguns híbridos não possuem essas listras ou têm pequenas manchas que tentam se assemelhar a elas.

O gênero Symphysodon apresenta as seguintes 4 espécies selvagens de acarás-disco. Contamos a você suas peculiaridades:

  • Symphysodon aequifasciatus (disco-azul-marrom): seu corpo é verde adornado por linhas pretas. Os olhos são castanho-avermelhados e a cabeça é atravessada por uma linha preta vertical.
  • Symphysodon aequifasciatus haraldi (acará-disco-azul): possui olhos vermelhos brilhantes e a parte inferior do corpo desse peixe é marrom-claro. Além disso, apresenta linhas irregulares de cor azul iridescente em algumas partes como na barbatana dorsal, na testa e na barbatana anal.
  • Symphysodon aequifasciatus axelrodi (acará-disco-castanho): sua cor é marrom com tons de amarelo, alaranjado ou vermelho semelhantes à ferrugem. Seus olhos variam entre o vermelho e o preto. Na cabeça ou em uma de suas barbatanas, pode apresentar linhas iridescentes de vermelho e azul.
  • Symphysodon discus (Henkel): tem como principal característica possuir uma quinta faixa mais visível e larga que as outras. Seu corpo é marrom acinzentado e adornado com listras azuis.

Alimentação e reprodução em aquários

Os acarás-disco selvagens são onívoros. No caso daqueles que são criados em cativeiro ou das espécies híbridas, é recomendado fornecer alimento granulado para ciclídeos. Sua dieta pode conter alimentos crus e vegetais ricos em proteínas. No entanto, eles também precisam comer alimentos congelados – como larvas de mosquitos ou vermes.

É importante não alimentá-los em excesso e garantir que não fiquem acumulados restos de comida no tanque, pois isso pode levar à presença de protozoários e bactérias que afetarão a saúde dos peixes. Outro aspecto essencial é manter a temperatura elevada entre 28 e 30 graus Celsius, já que os patógenos não sobrevivem nessa temperatura.

Em relação à reprodução, quando os primeiros ovos são gerados, é comum que os pais se alimentem deles. Após essa primeira vez, os pais deixarão de consumi-los e os alevinos começarão a nadar muito próximos e sem se separar. Para evitar o consumo dos filhotes, alguns aquariófilos decidem separar o casal em outro lago.

Para que os acarás-disco cresçam sem problemas, recomenda-se que o aquário tenha uma capacidade superior a 180 litros. A temperatura deve ser elevada – seu ambiente natural são as águas quentes da Amazônia – e o pH não deve ultrapassar 7,0. Também é necessário introduzir cascalho e plantas onde os peixes poderão se refugiar.

Um zoom no rosto de um acará-disco.

Os acarás-disco são um dos mais belos animais para manter em um aquário de água doce. Infelizmente, eles são bastante exigentes no que diz respeito aos cuidados e aos parâmetros da água, por isso só devem ser adquiridos por tutores experientes no mundo da aquariofilia.

Pode interessar a você...
Quatro tipos de filtros ideais para um aquário
Meus AnimaisLeia em Meus Animais
Quatro tipos de filtros ideais para um aquário

Os filtros são muito importantes para qualquer aquário, pois eles filtram a água, eliminando as impurezas. Conheça os mais comuns.



  • Chong, A. S., Hashim, R., Chow-Yang, L., & Ali, A. B. (2002). Partial characterization and activities of proteases from the digestive tract of discus fish (Symphysodon aequifasciata). Aquaculture, 203(3-4), 321-333.
  • Chong, A. S. C., Hashim, R., & Ali, A. B. (2002). Assessment of dry matter and protein digestibilities of selected raw ingredients by discus fish (Symphysodonaequifasciata) using in vivo and in vitro methods. Aquaculture Nutrition, 8(3), 229-238.
  • Crampton, W. G. (2008). Ecology and life history of an Amazon floodplain cichlid: the discus fish Symphysodon (Perciformes: Cichlidae). Neotropical Ichthyology, 6(4), 599-612.