Adestramento positivo em cães: o que você deve saber

Você já deve ter ouvido falar sobre o adestramento positivo para cães nos últimos anos. Se quiser saber como essa técnica pode beneficiar seu cão, aqui você descobrirá como aplicá-la.
Adestramento positivo em cães: o que você deve saber

Última atualização: 16 Junho, 2021

Educar o cão é uma parte fundamental do seu desenvolvimento e afeta diretamente a convivência entre humanos e animais. É por isso que cada vez mais pessoas estão optando por utilizar o adestramento positivo para seus cães.

Mas em que consiste essa forma de treinamento? Por que é melhor do que os métodos tradicionais? Se você está pensando em aprender mais sobre esse tema, aqui estão algumas dicas para começar a usar o adestramento positivo da maneira mais segura possível.

O que é o adestramento positivo?

A primeira coisa que você deve saber é que não existe uma definição operacional para o adestramento positivo. Na verdade, trata-se de uma filosofia de educação canina que busca ser a mais ética possível. Suas bases são evitar o estresse e o sofrimento do cão durante todo o processo.

Para isso, o adestramento positivo usa técnicas que evitam o castigo positivo, como bater, gritar ou usar acessórios problemáticos, como coleiras de asfixia ou de choque. Em suma, parte da ideia de que induzir o medo no cão não ajuda a ensinar ao animal o que fazer e o que não fazer, mas apenas reduz a incidência do comportamento quando o tutor está presente.

 

Um cachorro feliz.

Técnicas usadas no adestramento positivo

Mesmo que as técnicas de castigo positivo sejam desaprovadas, é impossível não usar o castigo em si ou evitar a exposição total do cão a estímulos aversivos. O objetivo em todos os casos é eliminar qualquer forma de abuso do processo educacional.

Na verdade, uma parte importante desse estilo de adestramento é ensinar o cão a lidar com esses estímulos desagradáveis, pois eles fazem parte da vida de qualquer animal.

Existem várias técnicas amplamente difundidas para a educação positiva que se originam de padrões muito básicos de modificação de comportamento. Abaixo, você poderá encontrar as mais comuns.

Reforço positivo

Essa técnica visa manter ou aumentar a frequência de um comportamento por meio de um estímulo agradável: estamos falando da recompensa de sempre. Um exemplo disso é parabenizar o cão ou dar a ele um petisco quando você o chama e ele obedece. Dessa forma, o animal ficará mais receptivo a ir até você em ocasiões futuras, já que antecipa que você irá recompensá-lo.

Castigo negativo no adestramento positivo

Essa forma de castigo evita a violência e a apresentação de estímulos aversivos, pois consiste em retirar algo de positivo para o cão quando se deseja reduzir ou extinguir determinado comportamento. Um bom exemplo é parar de brincar – que seria uma situação positiva – toda vez que o cachorro começar a morder.

Extinção do comportamento

Para realizar essa técnica, é necessário que exista um reforço prévio para o comportamento que se deseja eliminar, pois consiste em deixar o comportamento se extinguir por si mesmo na ausência de recompensa.

Para alguns comportamentos, pode ser necessário combinar a extinção com outras técnicas, como o castigo negativo.

Imagine que você adotou um cachorro que era recompensado sempre que subia na perna de uma pessoa. Se você quiser usar a extinção para que o animal não faça mais isso, pare de parabenizá-lo e, com o tempo, o cão deixará de reproduzir o comportamento, pois não receberá uma recompensa por isso.

Comportamento incompatível

Essa técnica é muito útil quando o reforço e o castigo negativo não surtem efeito. Consiste em pedir ao cão para executar uma ação que o impeça de reproduzir o comportamento que se deseja eliminar. Também é útil para controlar o foco de atenção de cães que ficam obcecados ou muito nervosos.

Um bom exemplo é pedir ao cão para seguir você quando quiser atacar alguém. Desse modo, se ele obedecer ao comando, não poderá correr em direção ao alvo de sua agressão.

Contracondicionamento e dessensibilização

Essas duas técnicas são complementares e são usadas para alterar o valor emocional de um estímulo. Vamos vê-las separadamente:

  1. Contracondicionamento: esta estratégia consiste em desfazer um condicionamento por meio da associação do estímulo – que está vinculado a uma emoção negativa – a uma recompensa. Por exemplo, se um cachorro tem medo de carros, ele pode ser parabenizado toda vez que passar perto de um.
  2. Dessensibilização: com essa estratégia, o objetivo é reduzir a intensidade da resposta gerada por um estímulo. É utilizado principalmente em fobias, já que o cão vai sendo gradualmente exposto à fonte do seu medo até parar de responder de forma intensa.

Em geral, por serem procedimentos que exigem tempo para se tornarem efetivos, são combinados dentro do mesmo tratamento. Dessa forma, o processo é acelerado e os novos aprendizados são mais bem estabelecidos.

 

Você sabe o que é o adestramento positivo?

O adestramento positivo é uma tendência relativamente nova e está em constante evolução, pois busca novas estratégias para melhorar a qualidade de vida dos cães que convivem com humanos. Portanto, é importante se manter atualizado se você deseja adotar esse estilo de educação.

Embora o castigo possa parecer mais rápido e eficaz, o adestramento positivo parece produzir resultados mais sólidos a longo prazo. Requer trabalho e paciência, mas é a melhor maneira de garantir que você e seu cão desfrutem da companhia um do outro de forma saudável, estável e feliz.

Pode interessar a você...
Erros que cometemos ao adestrar um cachorro
Meus Animais
Leia em Meus Animais
Erros que cometemos ao adestrar um cachorro

Sem dúvida, ao adestrar um cachorro, nunca devemos usar técnicas negativas, tanto físicas quanto psicológicas, quando ele fizer algo errado.



  • Miranda, A. P. (2010). Psicología y aprendizaje del adiestramiento del perro. Ediciones Díaz de Santos.
  • P. (2017, 26 septiembre). Adiestramiento en Positivo – La Guía Mas COMPLETA Que Existe. Adiestramiento Canino. https://adiestramientocanino.org/adiestramiento-en-positivo/
  • Ros Cuéllar, E. (2020). Alternancia de mirada en perros de intervenciones asistidas con animales: una comparación entre perros adiestrados con el método de refuerzo positivo y perros adiestrados con el método cognitivo emocional (Master’s thesis, Universidad Internacional de Andalucía).