Alergia a gatos: como tratar

· março 18, 2018

Acredita-se que o causador da alergia a gatos seja o pelo do animal, mas isso não é verdade. Na verdade, a causa da reação alérgica são as partículas que se acumulam na pele do felino. Muitas pessoas são “alérgicas a gatos”, por isso nesse texto lhe daremos alguns conselhos para tratar seus sintomas.

Acredita-se que o causador da alergia a gatos seja o pelo do animal, mas o responsável na verdade são as partículas que se acumulam em sua pele.

O que causa alergia a gatos?

É comum dizer que o culpado da alergia é o pelo do gato, mas ele não traz espirros, olhos vermelhos, tosse ou erupções na pele. Para entender um pouco a origem dessa reação, devemos falar de uma proteína presente nos felinos conhecida como Fel d 1” que, mesmo em pouca quantidade, pode ser bem perigosa.

Se essa molécula se dispersa pela casa, junto com outras partículas que o gato produz, pode causar alergias. Não é exagero dizer que o animal passa muitas horas por dia se limpando e lambendo. Durante esse processo, ele lança escamas de pele seca junto à proteína citada.

Uma pessoa com sistema imunológico mais sensível a substâncias como o pólen e os ácaros, ou alguém com asma, é mais propenso a sofrer com a alergia a gatos. Isso acontece porque suas defesas não conseguem combater os micro-organismos que passeiam pelo ambiente.

Mulher com máscara e alergia a gatos, com gato no colo

Ainda que o grau de problemas trazidos pelas partículas da pele do gato dependa do nível de imunidade de um indivíduo, existem outros fatores que podem aumentar os sintomas. Por exemplo, os felinos machos produzem mais secreções de alérgenos em comparação com as fêmeas. Isso pode ser reduzido esterilizando o animal.

Conselhos para tratar a alergia a gatos

Por nada no mundo você deve dar seu animal para adoção se você tem alergia a gatos. Ao contrário, você tem que prestar atenção nos seguintes conselhos, que vão melhorar sua vida e a do felino.

  1. Escolha um quarto “livre de gatos”

Pode ser seu quarto ou o de seus filhos. Ali o animal não poderá entrar, sobretudo se há tapetes no chão. Assim, você fará com que, ao menos algumas horas por dia – ou da noite, não haverá contato com os alérgenos.

É claro que você não pode evitar que as partículas voem pela casa roda, mas sim reduzir bastante sua incidência nesse cômodo proibido para o animal.

  1. Diga adeus a certos tecidos

Como já dissemos antes, os tapetes são um lugar “escolhido” pelas partículas, que tendem a se acumular neles. O mesmo acontece com certos sofás, cortinas e almofadas, por isso recomendamos que você reduza ao máximo esse tipo de objeto e móveis em casa.

Escolha materiais que sejam mais fáceis de lavar, ou cubra os móveis com plástico. Caso tenha tecidos que não possam repelir o pó, você deverá lavá-los com muita frequência para evitar a alergia a gatos.

  1. Use um purificador de ar

São acessíveis e fáceis de conseguir, pois são muito usados em casas onde moram pessoas alérgicas, já que evitam que o ambiente fique seco. O purificador deve conter um filtro especial chamado HEPA – ou similar – para que filtre as partículas do ar da maneira mais eficaz. 

Menino espirrando com alergia a gatos

  1. Passe o aspirador

A limpeza é fundamental para evitar o acúmulo de pelos e outros micro-organismos. Aconselhamos que, ao menos uma vez por semana, você passe o aspirador por todos os ambientes, inclusive no cômodo proibido para o gato.

Já que varrer com vassoura “levanta” mais pó e pode acentuar os sintomas, esse eletrodoméstico pode ser de grande utilidade. Consiga um modelo que tenha acessórios especiais para aspirar cortinas, tapetes, sofás, etc.

  1. Escove seu gato

Por último, é fundamental que você tire o excesso de pelo e tecidos mortos da pele de seu animal de estimação. Mesmo que o gato se limpe sozinho, isso não é suficiente para eliminar todas as partículas e pele morta e, portanto, os alérgenos.

A escovação deve ser parte da rotina de seu felino. Fazer ele acreditar que se trata de uma brincadeira pode ser interessante. Assim, você evitará que ele lhe morda, reclame ou se esconda.

Finalmente, não se esqueça de limpar com assiduidade a cama e todos os objetos que o gato utiliza. Ali também se acumulam muitas partículas causadoras de alergia.