Animais resgatados: as vítimas dos incêndios florestais

25 Novembro, 2020
Infelizmente, os incêndios implicam mudanças na natureza a curto e longo prazo. Apesar de ser uma força ambiental difícil de controlar, às vezes várias espécies podem ser salvas do desastre.

Durante o verão, os incêndios e os animais resgatados, vítimas desses acontecimentos, são frequentemente noticiados. Infelizmente, em agosto de 2020, ocorreu um grande incêndio na Califórnia que resultou no resgate de mais de 1000 animais. Apesar da situação, esse trabalho de empatia e altruísmo humano é uma forma de manter a esperança.

Você sabe quais são os efeitos dos incêndios sobre os ecossistemas e as espécies que neles vivem? Você conhece o protocolo a seguir diante desse desastre? Aqui vamos responder a essas e muitas outras perguntas.

Os incêndios florestais e os animais resgatados

No final de agosto de 2020, muitos incêndios florestais foram registrados no norte da Califórnia. Esses acontecimentos devastadores são sinônimos de destruição, perda e desolação.

Entretanto, em alguns casos, animais ou áreas podem ser salvos do incêndio, mantendo a esperança de uma possível sucessão ecológica subsequente. Esse é o caso relatado pela equipe veterinária da  Universidade da Califórnia em Davis.

Essa equipe já tratou mais de 1000 animais resgatados dos incêndios californianos. A maioria sofreu ferimentos leves e foi rapidamente liberada. No entanto, cerca de 30 animais precisaram de cuidados adicionais. Por essa razão, eles permanecerão no hospital veterinário associado à Universidade da Califórnia em Davis.

Entre os animais tratados encontramos desde gatos e vacas até uma alpaca.

O incêndio ocorreu no Complexo Relâmpago. Devido a essa situação, foi estimado que cerca de 1,25 milhões de acres de terra foram queimados. Para se ter uma ideia do tamanho da região afetada, essa área é maior que o Grand Canyon e causou a evacuação de centenas de milhares de pessoas de suas casas.

Animais resgatados: as vítimas dos incêndios florestais

Como lidar com os incêndios florestais e os animais resgatados?

Embora seja uma situação com a qual esperamos nunca ter que lidar, é preciso saber como reagir caso ocorra. Nesse sentido, há certas orientações que podem ser seguidas quando se enfrenta um incêndio. Vamos falar mais sobre elas a seguir.

Agir com calma e responsabilidade

Embora a situação em si não estimule a calma, o pânico só causará mais problemas. Por essa razão, é necessário pensar friamente ao agir, principalmente se houver pessoas ou animais em risco. Portanto, a primeira coisa a fazer é tranquilizar os mais vulneráveis. Para evitar que fiquem estressados, é adequado dar uma série de diretrizes curtas e claras, tais como:

  • Mover-se na direção oposta à da fumaça.
  • Molhar um lenço e colocá-lo na boca e no nariz, o que evita a inalação de fumaça.
  • Chamar as equipes de emergência e avisar os vizinhos mais próximos.
  • Estar preparado e saber como agir. Não esperar para ser evacuado.
  • Afastar-se da área de incêndio e tentar ir para um lugar tranquilo para a pessoa ou o animal.

Naturalmente, se na área houver pessoas que estão preparadas para essas situações, elas devem ser obedecidas. Tanto os agentes florestais quanto os de proteção civil garantirão sua segurança em caso de emergência.

O que fazer com os animais resgatados?

No caso de um incêndio, somente especialistas ou voluntários com conhecimento devem estar envolvidos no resgate de animais. Isso porque é uma situação muito estressante para eles. Se você não tiver as ferramentas adequadas para manuseá-los, só piorará a condição do animal. No entanto, podem ser tomadas algumas medidas:

  • Chamar a equipe de resgate e indicar onde estão os animais que fugiram do incêndio.
  • Ter cuidado ao dirigir o veículo para fora da área de perigo. É comum atropelar animais que estão fugindo do incêndio.
  • Não se aproximar de um animal ferido ou, em todo caso, seguir as instruções dos especialistas.
  • Deixar água em recipientes onde os animais possam alcançá-la. Normalmente eles ficam desidratados e desorientados por causa da inalação de fumaça.

Ficar de olho em outros fatores climáticos

Às vezes um incêndio pode ser acompanhado por outros fatores meteorológicos que podem ajudar a erradicá-lo ou, pelo contrário, expandi-lo. Se o fogo estiver em uma colina, você nunca deve subir. A melhor opção é percorrer as áreas já queimadas, evitando buracos e barrancos.

Também é melhor se dirigir a barreiras naturais como rios ou estradas, que atuam como corta-fogo. Outro fator importante é a direção do vento: você deve ir na direção oposta.

É possível permanecer em casa?

A princípio, se não houver ordens de despejo, as casas podem ser refúgios seguros. Dentro da casa, a primeira coisa a fazer é fechar todas as portas, janelas e persianas. No exterior, uma boa dica é usar uma mangueira para molhar o telhado e o entorno. Os fornecimentos de diesel, butano e gás natural também devem ser desconectados.

Esteja sempre atento aos órgãos correspondentes caso eles ordenem despejos. Se for o caso, as autoridades indicarão as rotas mais seguras de evacuação.

Animais resgatados: as vítimas dos incêndios florestais

Em resumo, os incêndios são fenômenos relativamente frequentes e provocam grandes danos. Nessas situações, a fauna e a flora são as principais vítimas.

Embora os incêndios possam ocorrer por vários fatores, eles devem ser evitados ao máximo e com o fim de proteger a natureza. Somente através da conscientização da população mundial é que as notícias sobre animais resgatados deixarão de inundar os jornais.

  • Over 1,000 animals rescued from the deadly wildfires, BBC News. Recogida a 5 de septiembre de 2020 en: https://www.bbc.com/news/av/world-us-canada-53941518
  • Procedimiento de Búsqueda y Rescate de Fauna Lesionada por Incendios Forestales post liberación de áreas afectadas, Colegio Veterinario de Chile (2017). Recogida a 5 de septiembre de 2020 en:  http://emergencia.colegioveterinario.cl/docs/ProcedimientoBusquedaRescateFaunaLesionada.pdf
  • Incendios Forestales, Medidas de Autoprotección. Ministerio del Interio, Gobierno de España. Recogida a 5 de septiembre de 2020 en: http://www.proteccioncivil.es/riesgos/incendios/proteccion