Anti-inflamatórios em cães e gatos: um risco mortal

· agosto 2, 2018
Os efeitos colaterais dos medicamentos receitados a cães e gatos podem levar a lesões em órgãos e até mesmo à morte, que pode ser imediata ou de 18 a 36 horas após a ingestão. Saiba mais sobre o risco dos anti-inflamatórios neste artigo.

Os anti-inflamatórios são remédios prescritos para cães e gatos com o propósito de diminuir inflamações e aliviar dores. Geralmente estão associados a doenças osteoarticulares, como artrose e artrite, entre outras.

Quando devemos dar anti-inflamatórios a cães e gatos? Analisando os riscos, os medicamentos sempre devem ser tomados sob prescrição médica.

Classificação e alguns riscos a considerar

Os anti-inflamatórios se dividem em dois grupos: os não esteroides, como a aspirina, e os esteroides, como o paracetamol. Os esteroides são mais problemáticos em animais devido à presença de corticoides e seus efeitos são os mais poderosos e mais conhecidos pelos humanos.

Devido ao grau de periculosidade destes anti-inflamatórios em cães e gatos, é necessário que sua administração seja sempre aprovada por um veterinário. Como vimos, medicar animais sem uma recomendação médica pode gerar danos irreversíveis.

A aspirina, por exemplo, pode causar a morte em gatos com apenas um comprimido. Ela é mais potente nos cães do que nos humanos, por isso, nos caninos, sua eliminação é mais lenta.

Anti-inflamatório em cães e gatos: perigos mortais

Deve-se ter em conta que a prescrição destes medicamentos deve ser individualizada em todos os casos. Recomenda-se apresentar a história clínica do animal ao veterinário encarregado de receitar os remédios. Também é aconselhável realizar análises de sangue e urina, antes e durante o tratamento, para poder controlar os possíveis efeitos negativos.

Efeitos colaterais de anti-inflamatórios em cães e gatos

Anti-inflamatórios em cães e gatos podem causar efeitos colaterais. Em muitos casos, o grau de toxicidade destes fármacos pode levar à morte de ambos os animais.

Para algumas raças de cães, como o Border collie e outros pastores, a morte é quase instantânea devido à incompatibilidade de seu organismo com os remédios esteroides.

Anti-inflamatório em cães e gatos: um risco mortal

Peculiaridades de efeitos em cães e gatos

Embora alguns dos efeitos colaterais dos anti-inflamatórios sejam compartilhados, é importante reconhecer as particularidades para detectar os sinais de alerta em cada um.

Nos cães, há uma série de sintomas secundários. Os mais conhecidos são: decaimento progressivo, presença de restos de sangue na urina e na matéria fecal, vômitos, dores abdominais, perda de apetite, aceleração do ritmo cardíaco e até morte.

Nos gatos, podemos detectar o surgimento de doenças como anorexia, hipotermia, depressão, debilidade, presença de mucosa de cor escura, salivação e vômitos. Da mesma maneira, devemos levar em conta o aparecimento de edemas no rosto e nas patas.

Anti-inflamatório em cães e gatos: alergias

Devemos estar muito atentos aos casos graves de intoxicação. Estes sintomas podem ser seguidos por um estado de coma e posterior morte entre 18 e 36 horas após a ingestão dos remédios.

Quando a intoxicação é alta, além do risco de morte, podem produzir-se lesões nos órgãos. Em alguns casos, há o desenvolvimento de insuficiências hepáticas e renais. Estes sintomas podem ser percebidos pela presença da cor amarela na pele, gengivas e olhos, assim como por sinais de desidratação, aumento da sede e micção.

Precauções, medidas preventivas e cuidados

Além de por prescrição médica, os anti-inflamatórios não podem ser tomados em combinação com outros corticoides. Além disso, é aconselhável que o remédio seja dado após cada refeição, para que a droga possa ser absorvida pelo organismo sem causar danos. Durante o tratamento, você deverá prover água fresca aos animais durante todo o dia para evitar a desidratação.

O fim do tratamento

Quando o tratamento chega ao fim, é importante atentar para a forma como o medicamento deixa de ser administrado. Uma retirada súbita poderia gerar uma diminuição brusca do cortisol. Essa diminuição poderia causar uma crise suprarrenal, com sintomas como: debilidade, fadiga, vômitos, perda de apetite e dificuldade para respirar.

De mesmo modo, uma vez realizada a administração dos anti-inflamatórios em cães e gatos, é necessário observar os sintomas nas horas seguintes. Uma mudança no comportamento do animal é indicativo da presença de alguma anomalia. Nesse caso, você deve interromper o tratamento e ir imediatamente ao veterinário.