Aprenda a detectar os sintomas do parvovírus canino

· outubro 7, 2018
Esta doença pode causar a morte do animal e ainda não existe um tratamento 100% eficaz.

Se você tem um cachorro, já deve ter ouvido falar do parvovírus canino, uma doença muito contagiosa em cães e com alta taxa de mortalidade. Os sintomas do parvovírus canino são variados e podem ser detectados a tempo de prevenir uma fatalidade.

Prevenir esta doença é uma questão de conhecer os locais seguros para o seu parceiro passar seu dia a dia. Hoje vamos falar sobre os sintomas do parvovírus canino, sua disseminação e possíveis tratamentos.

Uma doença mortal

O parvovírus canino, também conhecido como parvovirose canina, é uma doença de origem viral que afeta principalmente o intestino de cães de todas as raças. Acima de tudo, afeta filhotes, mas também pode se espalhar entre os adultos facilmente.

O vírus afeta a mucosa intestinal do animal, espalhando-se rapidamente pelo sistema digestivo e atacando diretamente os glóbulos brancos, fundamentais para o sistema imunológico. O vírus diminui a eficácia do sistema imune do animal e pode apresentar duas formas potencialmente letais:

  • Entérico: afeta os enterócitos do trato digestivo, o que causa uma aparente gastroenterite comum. O que realmente acontece é que as células estão sendo forçadas à necrose, que pouco a pouco acaba afetando todo o organismo.
  • Miocárdio: é uma variante incomum, que afeta diretamente as células do coração do animal.

Entre as causas de morte pelo parvovírus canino estão morte súbita, ataques cardíacos, desidratação devido a vômitos e diarreia e septicemia.

Como ocorre a contaminação

parvovírus canino é transmitido por contato direto com as áreas infectadas. O vírus permanece ativo nas fezes e na urina dos animais por um longo período de tempo e pode até ser transmitido por meios indiretos.

Cães de rua correm mais risco de infecção pelo parvovírus canino

Uma pessoa que tenha entrado em contato com qualquer um desses locais pode transmitir a doença, já que o vírus pode sobreviver em praticamente qualquer superfície.

É por este motivo que se recomenda visitar lugares que apenas os cães saudáveis costumam ir, tendo como base a higiene do local e a boa saúde dos cães. Se algum dos cães que habitam a área adoecer com este vírus, expõe todos os outros a uma contaminação.

Além disso, cuidados especiais devem ser tomados com áreas sujas ou mal higienizadas, onde o lixo esteja exposto ao ar livre. Moscas, pulgas, carrapatos e pássaros que se alimentam desse lixo podem transmitir o vírus tão eficazmente quanto um humano.

O animal pode ser vacinado contra esta doença , mas isso não impedirá que ela se espalhe no ambiente. Em todo caso, a coisa mais aconselhável para evitar a propagação acidental deste vírus é manter uma boa higiene dos itens do seu cão.

Sintomas de parvovírus canino

Detectar os sintomas do parvovírus canino pode ser um pouco problemático no início, por causa de sintomas semelhantes aos de outras doenças. Entre eles, destacam-se:

  • Febre
  • Diarreia com sangue
  • Vômitos
  • Falta de apetite
  • Fadiga

Muitas vezes, esta doença é confundida com gastroenterite, por causa de sintomas semelhantes, mas a única maneira de ter certeza é fazendo um exame de sangue para verificar os níveis de glóbulos brancos. Como mencionado acima, a doença tende a eliminar o sistema imunológico do animal.

Cão no veterinário

Em qualquer caso, se você suspeitar de algum destes sintomas, é melhor levar seu cão para a sala de emergência, pois apenas o veterinário poderá fazer um diagnóstico preciso.

Tratamentos

Quando um desses casos é detectado, é comum recorrer à hospitalização imediata para evitar que outros indivíduos sejam infectados acidentalmente. Antibióticos podem ser administrados na maioria dos casos, mas não há garantia de que eles serão eficazes contra a doença.

Sendo uma doença viral, não há cura 100% efetiva para todos os casos. É melhor atacar os sintomas um por um, para que o animal recupere sua força e possa superar a doença.

Em qualquer caso, o ideal é vacinar o mais cedo possível o nosso animal de estimação, para assim evitar o sofrimento que essa doença terrível pode causar. Lembre-se de sempre de manter a área em que o cão vive limpa e de manter contato com outros proprietários sobre possíveis fontes de infecção.